Seguir o O MINHO

Futebol

Moreirense perde em Vila do Conde

I Liga

em

O Rio Ave venceu hoje o Moreirense 2-0, em partida da sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol, decidida com um ‘bis’ de Lucas Piazón, que permitiu aos vila-condense somar o primeiro triunfo da época em casa.

O médio brasileiro inaugurou o marcador, logo aos 14 minutos, e sublinhou a global superioridade da sua equipa ao longo do jogo, ao apontar o segundo golo, de grande penalidade, já aos 83 minutos.

Com este triunfo, o segundo consecutivo na Liga, o conjunto vila-condense ascende, à condição, ao quinto lugar do classificação, com nove pontos, enquanto o Moreirense, que somou o segundo desaire da época, segue no sétimo posto, com oito.

Num acontecimento invulgar, a partida começou sem os treinadores principais das duas equipas nos bancos de suplentes, com os vila-condenses a terem uma contrariedade de última hora, devido a uma indisposição de Mário Silva, e o Moreirense já com a esperada ausência de Ricardo Soares, por ter testado positivo à covid-19.

Os minhotos, que surgiram, também, desfalcados a nível de jogadores, devido a lesões e outros casos de coronavírus, e com apenas um guarda-redes [Pasinato] na ficha de jogo e cinco suplentes no banco, não conseguiram travar um maior embalo inicial do Rio Ave, que ainda antes dos 15 minutos se colocou em vantagem.

Numa jogada de envolvência, Pedro Amaral desmarcou Diego Lopes, que, vendo Lucas Piazón solto de marcação, assistiu o companheiro para que este rematasse, à entrada da área, para o 1-0, logo aos 14 minutos.

Apesar da madrugadora contrariedade, o Moreirense mostrou vontade em reagir, e mesmo com as limitações tentou explorar o contra-ataque, com Filipe Soares, aos 18, a falhar, por pouco, uma emenda a um cruzamento de Ferraresi.

O mesmo Ferrarasi esteve em destaque, já aos 32 minutos, mas por motivos diferentes, simulando um derrube na área do Rio Ave, num lance em que o árbitro ainda assinou grande penalidade, mas, após consulta às imagens do VAR, reverteu a decisão.

O sistema voltou a ser usado ainda antes do intervalo, para julgar um alegado corte com a mão de Fábio Pacheco, na área do Moreirense, também inicialmente sancionado pelo juiz da partida, mas igualmente revertido após consulta das imagens, precipitando 1-0 ao intervalo.

Para o segundo tempo, os minhotos tentaram ir em busca do ‘prejuízo’ e, aproveitando alguma quebra na intensidade ofensiva do Rio Ave, ainda ameaçaram com dois lances perigosos, por intermédio de Pires e Filipe Soares.

Os vila-condenses sentiram que o atrevimento contrário era um alerta à sua pequena vantagem e tentaram crescer no ataque, com Bruno Moreira e Lucas Piazón a testarem os reflexos do guarda-redes do Moreirense.

No entanto, o tento da tranquilidade para os locais só surgiu na ponta final, e desta feita numa grande penalidade assinalada sem dúvidas para o VAR, após falta de Rosic sobre Pedro Amaral, que Lucas Piazón não desperdiçou e fixou o 2-0 final.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.

Rio Ave – Moreirense, 2-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Lucas Piazón, 14 minutos.

2-0, Lucas Piazón, 83 (grande penalidade)

Equipas:

– Rio Ave: Kieszek, Ivo Pinto, Borevkovic, Santos, Pedro Amaral, Pelé, Filipe Augusto, Lucas Piazón (Meshino, 90+2), Diego Lopes (Francisco Geraldes, 90+2), Carlos Mané (Tarantini, 87) e Bruno Moreira (André Pereira, 73).

(Suplentes: Léo Vieira, Nélson Monte, Gelson Dala, Tarantini, Francisco Geraldes, Jambor, Meshino, Gabrielzinho e André Pereira).

Treinador: Mário Silva.

– Moreirense: Pasinato, Ferraresi, Steven Vitória, Rosic, Afonso Figueiredo (D’Alberto, 73), Fábio Pacheco (David Tavares, 73), Pires, Filipe Soares, Walterson, Alex Soares (Franco, 89) e Pedro Nuno (Ibrahima, 87).

(Suplentes: D’Alberto, David Tavares, Ibrahima, Reynaldo César e Franco).

Treinador: Ricardo Soares.

Árbitro: Iancu Vasilica (AF Vila Real).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Fábio Pacheco (20), Ferraresi (32), Pelé (40), Alex Soares (57) e Steven Vitória (79).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Populares