Seguir o O MINHO

Braga

Seis mil escoceses “salvaram o inverno” à restauração do centro de Braga

Reportagem

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Cerca de seis mil adeptos escoceses protagonizaram uma verdadeira invasão ao centro histórico da cidade de Braga, entre terça e esta quinta-feira, a propósito do jogo da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, onde os britânicos venceram o SC Braga por 0-1 (2-4 em agregado das duas mãos).

Concentrados na Praça da República, os milhares de adeptos não deram tréguas à restauração do edifício da Arcada, consumindo “dezenas de milhares de euros” em comida e, sobretudo, bebida.

O MINHO esteve esta quinta-feira no centro histórico, onde, de forma residual, ainda se encontravam alguns adeptos que só regressam a Edimburgo amanhã [sexta-feira], para alegria de alguns dos empresários e comerciantes locais.

“Braga é muito amigável. Provavelmente é uma das cidades mais amigáveis que já visitei. Já corri a Europa toda com o Glasgow, ao longo dos últimos anos e nunca tinha vindo a Braga. Não estou a dizer isto por estar a perguntar, mas sem dúvida que está a ser o meu local favorito de sempre”, disse Alex Maxwell, de Glasgow.

Ryan e Alex não deixaram de provar a cerveja portuguesa. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Ryan Nugent, também de Glasgow, concorda com o amigo: “Amigável” é o adjetivo favorito. “Quando regressar vou dizer que Braga é um local fantástico para visitar extra-futebol. Digo aos pessoal que cá não há problemas, não há lutas, as pessoas são amigáveis e gostam de nos receber”, refere.

Ryan deixa os “parabéns” aos cafés por acederem “colocar estas bandeiras”. “Em outros locais geralmente não nos querem lá, aqui fica a sensação que gostam de nós”, acrescenta.

Ainda sobre o café Vianna e as bandeiras do Rangers, Alex lamenta algumas críticas que leu nas redes sociais: “Tenho pena que alguns locais critiquem por só ter bandeiras do nosso clube, mas nós somos amigos, viemos para beber cerveja, comer, gastar dinheiro, e não é pouco o que gastámos, por isso acho que é bom para vocês e para nós e para a próxima os adeptos do Braga também podem colocar as bandeiras deles”.

Alex garante que irá voltar nas férias grandes: “Eu já disse à minha mulher que vamos vir cá de férias no verão”.

“Estive cá ontem à tarde, a deslocação para o estádio decorreu sem problemas, fomos a pé. Sabemos que existiram problemas com os adeptos do Wolverhampton, mas connosco foi tudo direitinho”, assegura.

[Sobre o jogo]. “Quando estávamos a perder por 0-2, aos 60 minutos, em Glasgow, achei que já não tínhamos chance. Mesmo quando chegamos a Braga, e pela qualidade da equipa, tínhamos ainda algum receio de não passar, até pela qualidade da equipa do Braga, mas não pareciam os mesmos que se apresentaram em Glasgow, por isso acho que vencemos justamente”, sublinha.

“A vinda dos escoceses salvou o mês e até diria que salvou o inverno”

Mário Pereira, gerente do Café Vianna, assegura que a vinda dos escoceses salvou as contas do mês de fevereiro, um dos piores do ano para o comércio do centro da cidade.

“É muito bom para o comércio, este é um mês complicado, chuvoso e frio, não há tanta gente no centro da cidade, as pessoas fogem para outros lados. Com a vinda dos escoceses salvou o mês e até diria que salvou o inverno. Já tivemos cá os de Wolves que também foi muito bom, foi parecido”, vinca.

Mário explica que a clientela aumenta “não é só no dia do jogo, são vários dias”. “Estão cá muitos desde domingo, e muitos só vão embora na sexta-feira, de resto estão por cá a divertir-se a consumir”.

“Penso que não foram só os cafés que ganharam, foram os taxistas, supermercados, shoppings, a própria loja do Braga, muita gente beneficiou com isto, a cidade beneficiou com isto”, salienta.

O comerciante refere que os adeptos gostam de ir ao Café Vianna, não só pelas bandeiras, mas pela rapidez com que são atendidos: “A maior parte consome cerveja e bebidas brancas, querem serviço rápido e nós providenciamos isso. Também os deixámos fazer a festa no final do jogo”, confidencia.

Vídeo: O MINHO

 

“Almoçar nem por isso, só hoje é que estão alguns adeptos, mas geralmente só petiscam e bebem, porque tomam pequeno almoço muito reforçado e só voltam a comer uma refeição à noite”, contextualiza.

Adeptos no centro de Braga. Foto: Altino Bessa

Para a cidade, Mário crê ser “importante receber bem os adeptos, porque depois eles voltam com as famílias para outro tipo de turismo”. Isto serve para refutar algumas críticas relativamente às bandeiras escocesas expostas no segundo andar do café.

“Os adeptos vêm cá, pedem para colocar as bandeiras e obviamente que não vamos dizer que não, Eu sou adepto do Braga e isto não me incomoda”, garante.

Sobre as ruas sujas, outra das críticas ouvidas nos últimos dias, Mário diz ser “normal”: “Existindo uma concentração grande é normal. Eram seis mil, mas mal saíram, a AGERE entrou a matar com as equipas para limpar a cidade, os comerciantes também ajudaram a limpar e ficou tudo limpo em pouco tempo. E foram duas vezes que deixaram isto cheio de garrafas, plásticos e papel, mas foi tudo limpo mal saíram. Penso que a AGERE está de parabéns”, salienta.

Críticas ao estádio, mas vão voltar em turismo

Mathew Degt e Garry Degt, pai e filho, vieram de Glasgow e esperam ficar até sexta-feira para “descansar” e, “simplesmente ser turistas”: “O centro da cidade é fantástico, as pessoas são muito amigáveis, as ruas, o comércio, não há confusão, não se vê lutas como em outros lados. Isto é maravilhoso”, diz Mathew.

Garry adianta que, com o Rangers, já estiveram em outros países, e que “cada local tem as suas vantagens e desvantagens”. “Por aqui acho que só encontramos vantagens. Sabe bem estar em Braga”, vinca.

Vários amigos vindos de Glasgow, entre os quais Mathew e Gary. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Garry adianta ainda que Braga “é um local muito limpo”. “Isto estava muito sujo ontem à tarde e quando regressámos do jogo já estava tudo limpo, isso em Glasgow era impensável”, garante.

A única crítica que deixam é mesmo ao Estádio Municipal de Braga. “As bancadas são muito a pique, não dá para desfrutar verdadeiramente do jogo”, critica.

O futebol dá um impulso à economia

Gianluca Giampaolo, proprietário do Café Itália, também concorda que a vinda dos adeptos de futebol dá um impulso à economia, embora garanta que não há grande diferença comparando com os turistas que visitam a cidade no verão.

Gianluca Giampaolo, proprietário do Café Itália. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

“É sempre bom para a economia do comércio e depois acabam por voltar cá sem ser para ver futebol, como simples turistas”, disse a O MINHO.

Com a barriga cheia não só graças à comida e bebida de Braga, mas sobretudo pela vitória de quarta-feira, os adeptos escoceses vão regressando, até final da semana, depois de um experiência enriquecedora para todos, sobretudo para a cidade bracarense.

Anúncio

Braga

Amares usa verbas das festas para ajudar lares e instituições de saúde

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Amares

A Associação de Festas Antoninas de Amares anunciou o cancelamento das festividades em honra de Santo António, mostrando-se disponível para canalizar os fundos para apoiar as diversas instituições do concelho.

Em comunicado divulgado ontem nas redes sociais, aquela associação refere que esta é a “decisão mais responsável e a mais sensata, na sequência do Estado de Emergência Nacional, das recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), do Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença por novo Coronavírus (COVID-19) e em complemento às medidas do Município de Amares”.

“Tratou-se de uma decisão conjunta, entre AFAA, Município de Amares e Junta de Freguesia de Ferreiros, Prozelo e Besteiros, pois a saúde pública e as pessoas estão sempre em primeiro lugar”, diz a mesma nota.

A associação encontra-se a articular com a autarquia qual o melhor caminho a dar à verba destinada a estas festividades.

“Passará, certamente, pelo apoio às várias instituições do concelho, que têm bastante carência de material, causada pela situação imprevisível que vivemos atualmente”, explica o documento.

A AFAA prontificou-se também, “de forma imediata”, a fornecer o subsídio estipulado a todas as Marchas Antoninas, caso o desejem, “pois a esta altura do campeonato, já existem muitas despesas feitas pelas mesmas em questão de materiais”.

Continuar a ler

Braga

Sobe para dezasseis número de bombeiros dos Sapadores de Braga infetados

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Subiu de catorze para dezasseis o número bombeiros dos Sapadores de Braga que acusaram positivo nos testes de despistagem da covid-19 e estão em casa em isolamento, sendo que a esmagadora maioria não apresenta “grandes sintomas”, disse hoje o presidente da Câmara.

Em declarações à Lusa, Ricardo Rio referiu que o primeiro caso positivo foi confirmado no domingo, tendo logo os restantes bombeiros que integravam esse turno sido postos em quarentena.

Foram, entretanto, efetuados testes a todo o turno, tendo 16 bombeiros acusado positivo e sete negativo, havendo ainda dois casos inconclusivos.

“A esmagadora maioria dos que acusaram positivo não apresenta grandes sintomas”, acrescentou Ricardo Rio.

Os infetados estiveram envolvidos no combate a um incêndio registado em 25 de março na ala de psiquiatria do Hospital de Braga, mas o autarca considera que não é possível associar uma situação à outra.

O MINHO sabe que o comandante e o adjunto da companhia estão à espera de resultado dos testes, assim como outros elementos da secção técnica.

Alguns bombeiros estranham a presença do comandante nas instalações, num período em que deveria aguardar pelos resultados em isolamento.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 940 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 180.000 são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 209 mortes, mais 22 do que na quarta-feira (+11,8%), e 9.034 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 783 em relação à véspera (+9,5%).

Dos infetados, 1.042 estão internados, 240 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 68 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março, tendo a Assembleia da República aprovado hoje o seu prolongamento até ao final do dia 17 de abril.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde abriu mais de 40 vagas para trabalhar na Câmara

Administração Pública

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara Municipal de Vila Verve abriu hoje concursos públicos para o preenchimento de mais de 40 vagas para reforçar os seus quadros de pessoal.

Os procedimentos concursais destinam-se às mais diversas áreas através de Contrato de Trabalho em Funções Públicas por Tempo Indeterminado, ou seja vínculo definitivo com a Administração Pública.

As categorias para as quais abriram concursos são as de Assistente Operacional (ordenado de 635€), Assistente Técnico (683€), Fiscal (683€) e Técnico Superior (1.201€).

Os interessados podem candidatar-se até ao dia 24 de abril. Os concursos e os procedimentos podem ser consultados na Bolsa de Emprego Público.

Continuar a ler

Populares