Seguir o O MINHO

Póvoa de Lanhoso

Santuário em Póvoa de Lanhoso em classificação como conjunto de interesse público

em

O processo de classificação do Santuário de Nossa Senhora do Porto de Ave, em Taíde, Póvoa de Lanhoso, como conjunto de interesse público entrou em fase de consulta pública, foi hoje divulgado.

Em anúncio publicado em Diário da República, a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) refere a consulta pública decorre durante 30 dias, devendo os interessados apresentar as suas observações junto da Direção Regional de Cultura do Norte.

Posteriormente, a proposta de classificação será enviada para o ministro da Cultura.

O Santuário de Nossa Senhora do Porto de Ave é constituído por uma igreja, que engloba um museu de arte sacra popular, e por uma via-sacra com capelas dedicadas a episódios da vida de Nossa Senhora.

Tem ainda outros edifícios, originalmente de apoio aos peregrinos.

No século XVIII (1740), foi construído um oratório, tendo mais tarde D. José de Bragança construído o santuário, provido de uma escadaria.

Por carta régia de 14 de abril de 1874, foi elevado à categoria de Santuário Real.

O interior da nave apresenta um revestimento de azulejos joaninos do século XVIII, azuis e brancos, descrevendo cenas da vida de Nossa Senhora e do nascimento de Jesus.

A talha dourada reveste os altares de arte barroca.

Anúncio

Braga

Incêndio que deflagrou em Póvoa de Lanhoso em fase de rescaldo

Em Vilela

em

Foto: DR / Arquivo

O incêndio que deflagrou pelas 16:24 de hoje em Vilela, Póvoa de Lanhoso, está em fase de rescaldo, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Braga.

Segundo a fonte, o incêndio está dominado e entrou em fase de rescaldo cerca das 19:45.

A fonte acrescentou que não chegou a haver habitações em risco.

No teatro das operações, e segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, estão 136 operacionais, apoiados por 38 viaturas.

Continuar a ler

Braga

136 bombeiros combatem incêndio na Póvoa de Lanhoso

Evolução é favorável

em

Foto: Ilustrativa / DR

O combate a um incêndio florestal que deflagrou pelas 16:24 de hoje em Vilela, Póvoa de Lanhoso, “está a evoluir muito favoravelmente”, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Braga.

Segundo a fonte, não há quaisquer habitações em risco.

No combate ao incêndio, estavam, pelas 19:25, 136 operacionais, apoiados por 38 viaturas.

A operação é ainda apoiada por um meio aéreo.

Continuar a ler

Braga

Desemprego desce na Póvoa de Lanhoso

Prozis é uma das empresas que contribui para o emprego

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Continua a descer – garante o Município – o número de povoenses sem trabalho, inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), tendo registado ininterruptamente os valores mais baixos dos últimos 15 anos (de acordo com os dados disponíveis no IEFP).

“Estes números refletem, para além de um bom desempenho da economia, o resultado da aposta deste Executivo na captação de novas empresas, e prevê-se que venha a ter maiores reflexos nos próximos meses com as contratações previstas para a Prozis”, adianta o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.

Assim, em julho de 2019, o número de povoenses sem trabalho, inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), era de 694, ou seja, menos 70, em relação ao período homólogo do ano anterior. Se compararmos com o mês de junho deste ano, o número de inscrições desceu, em julho, de 754 para 694 (ou seja, menos 60 pessoas).

E, acentua o Município: “se recuarmos até 2013 – ano em que o número de povoenses sem trabalho atingiu máximos, regista-se, em julho de 2019, uma redução de 750 inscritos/as no Instituto de Emprego e Formação Profissional. Em 2013, esse número situava-se nos 1444”.

Menos jovens sem trabalho

Em relação aos jovens em situação de desemprego (< 25 anos), os números são ainda mais satisfatórios, na medida em que, em julho de 2019, tínhamos 48 jovens inscritos no IEFP, o que representa menos 48 face ao período homólogo do ano anterior (96).

Comparativamente com o mês de junho, regista-se menos 24 jovens inscritos, em julho. Na comparação com junho de 2013, a redução é de menos 151 jovens em situação de desemprego (em junho de 2013, eram 199).

Estes dados são do Ministério do Trabalho, tendo por base os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional, e dão conta ainda de que o número de desempregados/as inscritos/as nos centros de emprego do país recuou para o valor mais baixo em 27 anos. No Norte (124,9 mil desempregados), o desemprego recuou para o patamar mais baixo em 17 anos. O desemprego jovem, por sua vez, baixou para as 27,7 mil pessoas, com uma redução homóloga de 12,2% (-3,8 mil pessoas) e um decréscimo face ao mês anterior de 8% (-2,4 mil pessoas).

Continuar a ler

Populares