Seguir o O MINHO

Braga

Pais revoltados com tempo de espera na urgência pediátrica do Hospital de Braga

PSP foi chamada ao local

em

Foto: O MINHO

Os protestos dos pais de crianças, devido ao tempo de espera na urgência pediátrica do Hospital de Braga, levaram a que a PSP tivesse sido chamada ao local, este domingo, escreve o Jornal de Notícias na sua edição online.


O “muito tempo” a que algumas crianças foram sujeitas até serem atendidas – “[houve quem esperasse] cerca de oito horas”, disse um pai ao jornal – obrigou a que algumas tivessem de voltar à triagem, para receber medicação, e a que, outras e os pais, tivessem que se alimentar no local – “nas máquinas” – num ambiente em que, é relatado, se encontravam bebés de meses, “cheios de febre, a berrar”.

Foto: O MINHO

A situação de “desespero” levou a que, a dada altura, alguns dos pais ali presentes protestassem. Outros, de acordo com os mesmos relatos, abandonaram a sala de espera antes que fossem atendidos, procurando, inclusivamente, resposta num hospital privado.

Os agentes chamados ao hospital mantiveram-se no local até a situação acalmar, confirmou a O MINHO fonte da PSP.

Hospital de Braga explica

Em resposta, o Hospital de Braga justifica a situação com o registo de picos de maior afluência em determinados períodos, num dia que, diz, foi atípico em termos de afluência de doentes emergentes (vermelhos) e muito urgentes (laranjas) ao Serviço de Urgência Pediátrico.

“Neste dia, registou-se um aumento de 77% nestes atendimentos face à média diária do mês janeiro”, refere, acrescentando que “nestas situações, os tempos de espera para atendimento de casos triados como menos urgentes (verdes/azuis) podem registar um aumento significativo”.

Acrescenta, ainda, que, desde o início da ativação do Plano de Contingência, foram implementadas várias medidas, incluindo reforço de recursos humanos.

“De sublinhar que, diariamente, os profissionais do Hospital de Braga desenvolvem esforços contínuos para prestar uma resposta atempada às solicitações da população”, ressalva aquele hospital.

Sobre a chamada da PSP, a mesma fonte confirma que a mesma foi feita pelos seguranças do hospital, “uma prática habitual neste tipo de situações”.

Notícia atualizada às 17h06 com resposta do Hospital de Braga.

Anúncio

Braga

Imigrante brasileiro radicado em Braga morre após queda de 20 metros

Óbito

em

Foto: Redes Sociais

Loverci de Castro Junior, imigrante brasileiro de 31 anos radicado em Braga, morreu no passado dia 11 de setembro quando procedia à instalação de painéis solares num imóvel da cidade de Mangualde, no distrito de Viseu.

Segundo testemunhas, o homem ter-se-à distraído quando se apoiou numa telha que não conseguiu sustentar o peso do corpo e acabou por cair de uma altura de 20 metros, queda essa que se revelou fatal.

A família de Loverci deixa agora um apelo de ajuda para que o corpo do malogrado jovem possa ser trasladado para Guarujá, em São Paulo, transporte que custa cerca de 7 mil euros.

Segundo o jornal G1, da rede Globo, o corpo de Loverci encontra-se guardado numa agência funerária portuguesa desde que foi realizada a autópsia, aguardando o pagamento para que possa ocorrer a trasladação.

Conta aquela publicação que Júnior e a esposa mudaram-se, em novembro de 2019, para a cidade de Braga, “em busca de uma vida melhor”. Os dois tinham herdado um terreno em Guarujá e pretendiam juntar algum dinheiro em Portugal para construir uma moradia nesse terreno.

A irmã de Júnior, Kellen de Lima, conta que o irmão conseguiu um emprego numa empresa de instalação de painéis solares, sendo mesmo promovido a chefe de equipa. A empresa trabalhava por todo o país, mas foi em Viseu que se deu o trágico desfecho.

Conta ainda que a empresa em questão, que O MINHO tentou mas não conseguiu contactar, comprometeu-se a arcar com as despesas do velório, desde que o enterro fosse feito em Portugal.

“Se quisermos o translado, é por nossa conta. Uma brecha no contrato do seguro de vida dele não os obriga a trazerem o corpo dele pra cá”, argumenta a irmã.

Diz ainda que não foi feito um pedido de angariação de fundos online porque esse tipo de sites demora 30 dias até se poder retirar o dinheiro, algo que não podem fazer por ser uma situação urgente.

A irmã explica ainda que já conseguiram juntar cerca de seis mil euros, devendo estar próximos de atingir o valor necessário, depois de ajuda de familiares e amigos que se mobilizaram para este fim.

Continuar a ler

Braga

Hospital de Braga com 16 internados com covid, dois em estado grave

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

16 pessoas estão internadas no Hospital de Braga por causa de complicações devido à covid-19, disse a O MINHO fonte da unidade hospitalar.

Dois desses doentes apresentam sintomas mais graves, pelo que estão internados na Unidade de Cuidados Intensivos, disse a mesma fonte.

De forma a encarar uma segunda vaga da doença, a administração daquele hospital tomou medidas com reforço “significativo de meios e de pessoal”.

Segundo a administração, o Hospital de Braga reforçou equipa médica com nove clínicos, tem 175 camas para doentes com covid-19, passou a capacidade de 40 para 45 internamentos em cuidados intensivos, criou mais circuitos para doentes com o novo coronavírus e aumentou a capacidade para realizar testes de despistagem.

O concelho de Braga registou oito novas infeções pelo novo coronavírus desde a passada terça-feira.

Estes dados, apurados por O MINHO junto de fonte local da saúde, foram atualizados às 18:00 de quinta-feira.

Durante o mesmo período, não houve casos de recuperações do SARS CoV-2, totalizando o concelho 1.393 casos recuperados desde o início da pandemia.

Em termos acumulados, são já 1.678 casos de pessoas infetadas com a doença.

Lamentam-se ainda 74 óbitos, número que permanece igual desde o passado dia 16 de junho.

Existem, atualmente, 211 casos ativos de covid-19 em todo o concelho de Braga.

Há ainda 433 pessoas em isolamento sob vigilância da autoridade de saúde, mais 79 do que há dois dias.

Continuar a ler

Braga

Homem encontrado morto num bosque do Gerês

Óbito

em

Foto: DR

Um homem, com cerca de 65 anos, foi encontrado morto esta sexta-feira num bosque na vila do Gerês, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

De acordo com Lino Oliveira, 2.º comandante dos Bombeiros de Terras de Bouro, o corpo terá sido encontrado em zona florestal junto às termas da vila do Gerês.

No local estão os Bombeiros de Terras de Bouro, a GNR e as autoridades de saúde para atestar o óbito.

Ao que apurámos, o homem, conhecido como ‘Corso’, é uma figura bastante conhecida daquela vila termal.

A Polícia Judiciária foi chamada para investigar as causas da morte.

Continuar a ler

Populares