Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Enfermeiros/Greve: Entre 20 a 30 cirurgias canceladas no hospital de Viana do Castelo

Primeiro de seis dias de greve.

em

Foto: DR / Arquivo

Entre 20 a 30 cirurgias foram hoje canceladas no hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, devido à greve dos enfermeiros cuja adesão naquela unidade é de 90%, afirmou Nelson Pinto, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

“Foram canceladas todas as cirurgias, porque o número de enfermeiros que ficam para assegurar as salas são insuficientes para que as cirurgias de rotina tenham lugar”, afirmou Nelson Pinto.

O dirigente sindical explicou à Lusa que o primeiro de seis dias de greve dos enfermeiros está a afetar “exclusivamente aos blocos operatório e de cirurgia de ambulatório” do hospital de Santa Luzia, “cuja adesão atinge os 90%”.

Questionado sobre o número de cirurgias canceladas, Nelson Pinto não soube precisar com “exatidão”, mas avançou com uma estimativa de “20 ou 30 cirurgias”.

Segundo aquele responsável, “estavam escalados para os blocos operatório e de cirurgia de ambulatório 50 enfermeiros, sendo que 45 fizeram greve”.

“Os cinco que não aderiram à greve são apenas para garantir a sala de recobro e a urgência”, especificou.

Nelson Pinto admitiu que é “difícil explicar aos doentes que as cirurgias são canceladas por causa da greve”, mas culpou o ministro da Saúde e o primeiro-ministro pelo esse facto ao “não terem cumprido as promessas que fizeram aos enfermeiros”.

Os enfermeiros iniciaram hoje o primeiro de seis dias de greve para exigir ao Governo que apresente uma nova proposta negocial da carreira de enfermagem que vá ao encontro das expectativas dos profissionais e dos compromissos assumidos pela tutela.

Com início às 08:00, a greve realiza-se hoje exclusivamente nos hospitais (blocos operatórios e cirurgia de ambulatório) e na quinta-feira em todas as instituições de saúde do setor público que tenham enfermeiros ao serviço, segundo o pré-aviso de greve.

A paralisação nacional repete-se nos dias 16, 17, 18 e 19 de outubro, dia em que está marcada uma manifestação em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, para exigir do Governo o cumprimento dos compromissos que assumiu mo processo negocial de 2017.

Os sindicatos exigem a revisão da carreira de enfermagem, a definição das condições de acesso às categorias, a grelha salarial, os princípios do sistema de avaliação do desempenho, do regime e organização do tempo de trabalho e as condições e critérios aplicáveis aos concursos.

Reivindicam, entre outras matérias, que a Carreira Especial de Enfermagem seja aplicável a todas as instituições do setor público/SNS e a todos os enfermeiros que nelas exercem independentemente da tipologia do contrato e que sejam consagradas as condições de acesso à aposentação voluntária dos enfermeiros e com direito à pensão completa sejam os 35 anos de serviço e 57 de idade (base inicial para negociação).

Os enfermeiros portugueses cumpriram dois dias de greve nacional nos passados dias 20 e 21 de setembro pelo mesmo motivo e que, segundo os sindicatos, teve uma adesão de 80,4%.

A greve é convocada pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), pelo Sindicato dos Enfermeiros da Região Autónoma da Madeira (SERAM), pelo Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (SINDEPOR) e pela Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE).

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Alto Minho

Parecer confirma: Carlos Rodrigues é o novo presidente do Politécnico de Viana

IPVC – Instituto Politécnico de Viana do Castelo

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A eleição de Carlos Rodrigues como novo presidente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) foi hoje confirmada, após uma reunião de continuação do processo eleitoral para a presidência, anunciou fonte da instituição numa nota enviada a O MINHO.

Recorde-se que na reunião do passado dia 30 de abril, onde se efetuou o escrutínio que deu a vitória ao candidato Carlos Rodrigues, com 14 votos – contra os 12 votos obtidos pelo outro candidato, Nuno Brito – surgiram dúvidas sobre a interpretação de normas estruturais e regulamentares, pelo que foi suspensa a reunião com o propósito de obter um parecer jurídico da tutela.

Esse parecer, soube-se hoje, validou os resultados e confirmou a vitória de Carlos Rodrigues.

De acordo com a mesma fonte, o processo segue agora para homologação por parte do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Carlos Rodrigues tem 55 anos, é doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais pela Universidade de Aveiro, tendo ingressado no Politécnico de Viana do Castelo em 1989. Sucede na presidência a Rui Teixeira, de 62 anos, no cargo desde 2007, de quem era vice-presidente.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Iniciada classificação da ponte Eiffel de Viana do Castelo como património nacional

Segundo anúncio publicado em Diário da República

em

Foto: DR/Arquivo

A ponte Eiffel sobre o rio Lima, em Viana do Castelo, que no dia 30 completa 141 anos, entrou hoje em processo de classificação como imóvel de interesse nacional, segundo anúncio publicado em Diário da República (DR).

A abertura do procedimento de classificação, publicada hoje em DR e assinada pela diretora-geral do Património Cultural, Paula Silva, refere que “a fundamentação, o despacho, a planta do imóvel em vias de classificação e a respetiva zona geral de proteção estão disponíveis nas páginas eletrónicas daquela entidade, bem como da Direção Regional de Cultura do Norte e Câmara de Viana do Castelo”.

A proposta de classificação daquela travessia sobre o rio Lima foi aprovada pela Câmara da capital do Alto Minho, por unanimidade, em julho de 2018.

Aquela travessia metálica, que liga a cidade de Viana do Castelo a Darque, encontra-se classificada como património da cidade e constitui um símbolo da arquitetura do ferro do século XIX, sendo hoje um ex-líbris de Viana do Castelo.

Tem 645 metros de comprimento, é composta por dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário.

Inaugurada em 1878, a ponte metálica sobre o rio Lima foi desenhada pela casa Eiffel de Paris e substituiu a ponte em madeira que ligava o então terreiro de São Bento à margem esquerda do rio Lima, junto à capela de São Lourenço, na freguesia de Darque.

A empresa de Gustave Eiffel também foi encarregada da construção.

As obras começaram em março de 1877 e foram concluídas em maio do ano seguinte, sendo que a 30 de junho de 1878 foi inaugurado o troço ferroviário entre Darque e Caminha.

A última intervenção realizada na ponte centenária foi realizada em 2016, para a substituição dos aparelhos de apoio da travessia rodoferroviária sobre o rio Lima, num investimento de 117.790 euros.

Em 2014, a travessia foi alvo de uma empreitada de substituição integral do piso do tabuleiro rodoviário, que se encontrava “totalmente esburacado”.

Aquela obra, da responsabilidade da Refer, foi concluída dias antes de a travessia completar 136 anos de existência (30 de junho).

Em 2007, toda a estrutura recebeu uma grande intervenção de reabilitação, que durou quase dois anos e que custou 15 milhões de euros.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Mulher morre atropelada em Viana

Na EN 13, em Chafé

em

Uma mulher de 59 anos morreu na noite de sábado, pelas 21:15 horas, vítima de atropelamento na Estrada Nacional (EN) 13 em Chafé, Viana do Castelo, segundo fonte da GNR local.

Conforme adiantou à agência Lusa fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, a vítima foi colhida por um veículo ligeiro, cujo condutor ficou ferido e foi transportado para o hospital da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM).

No local estiveram militares do Núcleo de Investigação de Crimes em Acidentes de Viação (NICAV) da GNR para a averiguar as circunstâncias do acidente.

Notícia atualizada 

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares