Seguir o O MINHO

Ave

Dia de Todos os Santos em Vizela com cemitérios abertos mas sem cerimónias

Dia de Todos os Santos

em

Foto: DR

Os cemitérios das diferentes freguesias do concelho de Vizela vão estar abertos durante o próximo dia 01 de novembro, data que se comemora o Dia de Todos os Santos, anunciou hoje a Câmara local.


Todavia, não haverá a tradicional romagem nem qualquer tipo de cerimónia dentro dos referidos espaços, devendo as mesmas decorrer dentro das igrejas, “acautelando o cumprimento de todas as normas de segurança” face à propagação da covid-19.

A decisão foi uma tomada de posição unânime entre juntas de freguesia e párocos do concelho, afirma a autarquia liderada pelo independente Víctor Hugo Salgado. Os cemitérios, abertos durante o dia, vão ter dispensadores de álcool gel à entrada, num investimento da Câmara.

“A Câmara Municipal de Vizela e as Paróquias pretendem com esta medida, trazer à população a possibilidade de venerar os seus falecidos, reforçando, contudo, que pode representar um risco, pelo que apela aos vizelenses para respeitar as recomendações das autoridades, em especial a prática de distanciamento social e o uso de máscara, para evitar a transmissão da doença na nossa comunidade”, alerta a autarquia.

Ainda hoje, a Junta de Freguesia de Tamel S. Veríssimo, em Barcelos, anunciou que não irá abrir o cemitério a 01 de novembro, de forma a evitar aglomerados.

Anúncio

Ave

Cabeceiras de Basto aprova Orçamento de 21,3 milhões de euros

Economia

em

Foto: Divulgação / CM Cabeceiras de Basto

A maioria PSD no executivo de Cabeceiras de Basto aprovou hoje um orçamento de 21,3 milhões de euros para 2021 que diz mostrar “grande ambição”, mas a oposição considera que o documento não tem “linha condutora”.

O documento foi aprovado com dois votos favoráveis do PSD contra dois votos contra do movimento Independentes por Cabeceiras, tendo o vice-presidente da autarquia tido o voto de desempate, uma vez que o presidente da autarquia não participou na discussão e votação do texto por impedimento legal (é igualmente presidente de uma cooperativa municipal).

Em informação veiculada pela autarquia, a maioria social-democrata afirma que o documento apresentado mostra uma “grande ambição para continuar a construir caminhos de progresso e bem-estar, de valorização do potencial humano, de defesa e promoção do património” em Cabeceiras de Basto.

A câmara de Cabeceiras de Basto tem destinados 2,5 milhões de euros para apoiar as famílias (bolsas de estudo, ação social escolar, natalidade), as instituições, associações e clubes, as empresas e os empresários, agricultores e produtores de gado, as Juntas de Freguesia e a Basto Vida.

Em 2021, a autarquia vai manter a taxa mínima do Imposto Municipal sobre Imóveis em 0,3% para os prédios urbanos, vai baixar a taxa de IRS para os 2% e manter a isenção da Derrama para todas as empresas.

“Atendendo ao dramático cenário que vivemos em resultado da pandemia Covid-19, o Orçamento para 2021 prevê a implementação de dois importantes Programas Municipais para apoiar as famílias e as empresas que, por força do agravamento da crise sanitária e económica, se encontram em situação de grande vulnerabilidade financeira e que se poderá vir a agravar no próximo ano”, lê-se.

Em declarações à Lusa, o líder da oposição, Jorge Machado, lamentou o facto de a maioria “não levar em conta as opiniões” da oposição e criticou o documento: “Há uma falta de linha condutora”, acusou.

“O documento admite que 2021 vai ser marcado ainda pela pandemia da Covid-19 e mesmo assim tem no Turismo a principal aposta, um setor que se encontra moribundo”, refere.

Segundo Jorge Machado, “o Orçamento tem algumas medidas de apoio a empresas e às famílias mas mesmo aí podia ir mais longe”.

A oposição refere ainda o “aumento da despesa com o pessoal com o aumento do número de pessoas no quadro de trabalhadores”.

“É uma série de medidas desgarradas que não reúne as condições para o nosso voto favorável”, disse.

Continuar a ler

Ave

Homem morre após cair do telhado de uma obra em Famalicão

Óbito

em

Foto. BV Famalicenses / Arquivo

Um homem, com cerca de 60 anos, perdeu a vida na sequência de uma queda de oito metros de altura, esta tarde de sexta-feira, em Famalicão, disse a O MINHO fonte dos Bombeiros Famalicenses.

Ao que apurámos, a vítima estaria a trabalhar numa casa em construção, situada na Rua Penedo da Cabecinha, em Jesufrei, quando terá sofrido a queda da zona do telhado por motivos ainda não apurados.

Para o local foram mobilizados os Bombeiros Famalicenses e a equipa médica da VMER de Famalicão, que decretou o óbito no local.

A GNR registou a ocorrência e está a investigar o que terá levado à queda do homem.

O alerta foi dado às 15:30.

Continuar a ler

Guimarães

Mortes por covid disparam em Guimarães: mais 46 em três dias

Dados locais

em

Foto: CM Guimarães / Arquivo

Segundo os dados mais recentes, divulgados pela Câmara Municipal, com base em dados do Agrupamento de Centros de Saúde do Alto Ave (ACES) e da Direção Geral da Saúde, o número de casos mortais de covid-19, em Guimarães, é agora de 98.

Os últimos dados divulgados pelo Município eram de segunda-feira, dia 23, nessa altura havia 52 óbitos por covid-19 registados no concelho. Entre segunda e quinta-feira, data a que reportam os últimos dados divulgados, houve um acréscimo de 46 mortos.

Os dados, divulgados pela Câmara de Guimarães, foram atualizados na quinta-feira, dia 26 de novembro, pela Unidade de Saúde Pública do ACES do Alto Ave e pela DGS / SPMS – Aplicativo Trace COVID 19 – Gestão de Vigilâncias.

Nesta altura, há 10.731 positivos acumulados em Guimarães, um aumento de 1.028 casos nos últimos três dias. Destes positivos, 2.465 são casos ativos.

Foram dadas como curadas 7.367 pessoas. Já faleceram 98 com a infeção e há, neste momento, 591 pessoas em isolamento profilático.

O MINHO procura junto das autoridades de saúde explicações para este enorme aumento da mortalidade no concelho de Guimarães. Recorde-se que, a 20 de novembro, a Câmara Municipal de Guimarães publicou uma nota que contabilizava os óbitos em 35, passados sete dias, o número de mortos ascende a 98, um aumento de 63 registos.

Continuar a ler

Populares