Famalicão: Cazaquistão quer parceiros do têxtil para a indústria ligeira do país

O embaixador do Cazaquistão em Portugal, Daulet Batrashev, vem, esta segunda-feira a Famalicão, para convidar os empresários do setor têxtil a construir no país, fábricas de produtos como os de fios de algodão e de lã, couro e outros.

“O Cazaquistão está aberto a novos investimentos e disposto a considerar iniciativas no sentido de desenvolver negócios conjuntos com Portugal”, revelou o diplomata a O MINHO, adiantando que se vai reunir com os dirigentes da APTV (Associação Portuguesa do Têxtil e do Vestuário), com o CITEVE (Centro Tecnológico do setor) e com o presidente do Município, Mário Passos.

O embaixador estará acompanhado pelo Consul no Norte, Gil Vieira, sendo que o consulado tem escritório em Guimarães.

Daulet Batrashev vai apresentar as medidas de apoio ao investimento do Estado cazaque que “visam aumentar a transformação de matérias-primas e estimular o desenvolvimento industrial”.

Salientou que “existem condições prévias favoráveis ao desenvolvimento da indústria ligeira, uma vez que há produção de matérias-primas naturais – fibra de algodão, lã e matérias-primas de couro -, bem como a possibilidade de exportar para os mercados mundiais”.

Facilidade de exportação

Vincou que os produtos da indústria têxtil e do vestuário são exportados para os mercados da China, da Rússia, da Turquia, da Letónia e da Moldávia.

“Estas indústrias estão a desenvolver-se nas regiões do Turquestão e de Akmola, bem como nas cidades de Shymkent e Almaty. Tradicionalmente, o algodão é cultivado na região do Turquestão, o que determina que as principais empresas de transformação de algodão estejam na região”.

Em 2023, a produção da indústria ligeira aumentou 112,2 por cento, principalmente devido ao crescimento dos têxteis (18,9 por cento) e do vestuário (7 por cento).

Para estimular um maior crescimento, o país está a implementar um Roteiro para o Desenvolvimento da Indústria Ligeira para 2022-2025, que inclui medidas para melhorar o quadro jurídico, desenvolver a base de matérias-primas, o apoio estatal, os recursos humanos, e a rotulagem dos produtos, e aumentar a capacidade de produção.

Setor-chave da economia global

Num memorandum sobre o tema, a Embaixada anota que “a indústria ligeira é um dos sectores-chave da economia global, caracterizado por um crescimento constante, um rápido retorno do investimento e a capacidade de ter influência na questão relativa à criação de emprego. O aumento constante da procura de produtos da indústria ligeira, o investimento de capital comparativamente baixo e a rotação dinâmica do capital tornam a indústria ligeira atraente para os investidores e os governos de muitos países”.

Sublinha que, “os seus produtos ocupam o segundo lugar a seguir aos produtos alimentares em termos de consumo, o que suscita uma atenção especial para o seu desenvolvimento. Muitos governos prestam um apoio significativo a este sector através de uma tributação favorável, da atração de investimentos e de incentivos à exportação”.

Atualmente, conclui, a indústria ligeira no Cazaquistão está a atravessar um período de mudança tecnológica e de crescimento ativo, tornando-se um segmento significativo da economia.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

“Vendo apenas o resultado diria que é um desfecho injusto"

Próximo Artigo

"SC Braga tem de ganhar, seja como for"

Artigos Relacionados
x