Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Viana: Praia do Cabedelo com mergulho coletivo no primeiro dia do ano

No lugar do Cais Novo

em

Foto: Divulgação / Visit Portugal

Um movimento cívico do lugar do Cais Novo, na vila de Darque, em Viana do Castelo, vai promover o primeiro mergulho de Ano Novo para “iniciar a tradição e manter viva a ligação ao mar e à pesca”.

“O nosso objetivo é iniciar uma tradição, tal como acontece em várias zonas do país. Ao mesmo tempo, pretendemos não deixar esquecer a zona piscatória que existia no Cabedelo e que foi deslocalizada para o lugar da Areia quando foi construído o porto de mar”, explicou, esta segunda-feira, à agência Lusa, Carlos Correia.

O primeiro mergulho de Ano Novo é organizado por um grupo composto por cerca de 70 pessoas, “todas na casa dos 60 anos”, que “nasceram e cresceram no Cais Novo, e que viu nascer a praia do Cabedelo, desde o Cais de Pau ao Rodanho”, na freguesia de Darque situada na margem esquerda do rio Lima.

“Todos os anos juntamo-nos num jantar, em março, para degustarmos a lampreia e foi nessa reunião anual que surgiu a ideia de lançar esta tradição. Estão todos convocados o mergulho de Ano Novo na praia do Cabedelo”, afirmou Carlos Correia.

Nos últimos anos, a praia do Cabedelo transformou-se num destino de turistas nacionais e estrangeiros, praticantes de surf. A prática da modalidade, durante todo o ano, fez nascer um Centro de Alto Rendimento (CAR) e, as provas nacionais e internacionais de que é palco, fizeram florescer vários negócios, sobretudo ligados ao setor da hotelaria e restauração.

Além do mergulho de Ano Novo, Carlos Correia adiantou que o grupo organizador da iniciativa “estará disponível para contar histórias do Cabedelo de há mais de 50 anos, quando aquela zona da vila de Darque tinha identidade própria”.

“Queremos partilhar as vivências passadas junto ao mar, e com a comunidade piscatória que existia naqueles nos tempos da nossa infância e juventude”.

Também conhecida como vila das cebolas e do bacalhau, devido à existência de uma antiga seca do bacalhau instalada no Cais Novo, Darque é terra que dá origem à louça de Viana. Foi também naquele lugar que foi fundada em 1774 a fábrica de Louça de Viana, mais tarde deslocalizada para a freguesia da Meadela, e, entretanto, encerrada há vários anos.

Dos cerca de 70 elementos do grupo do Cais de Pau, “para já só meia dúvida manifestou intenção de mergulhar, no dia 01 de janeiro”.

“Uns dizem que está muito frio, outros não estarão cá. Daí a nossa convocatória a todas as famílias que queiram vir à praia do Cabedelo no dia 01 de janeiro para podermos criar as raízes dessa tradição”, disse.

No dia 01 de janeiro, a concentração para o primeiro mergulho de Ano Novo está marcada para as 11:30, junto a um café bar instalado junto à praia do Cabedelo.

Anúncio

Viana do Castelo

Movimento de Viana do Castelo espera que desconto seja início do fim das portagens

“Naturalmente Não às Portagens na A28”

em

Foto: DR / Arquivo

Um movimento cívico de Viana do Castelo saudou, hoje, os descontos nas portagens anunciado pelo Governo para sete autoestradas, esperando que “seja o início de um processo contínuo até à reposição da gratuitidade na Autoestrada 28 (A28).

Para o movimento “Naturalmente Não às Portagens na A28” os descontos anunciados pelo Governo permitirão “a mitigação dos danos e custos que os utentes, cidadãos anónimos e empresas têm suportado injustamente na A28, por não terem qualquer via alternativa”.

Em comunicado, o movimento cívico sustenta não existir “qualquer alternativa” à autoestrada que liga Viana do Castelo, capital do Alto Minho, à cidade do Porto

“A Estrada Nacional (EN) 13 não é de todo uma alternativa”, reforça o movimento, adiantando que apesar “de o distrito de Viana do Castelo ser um distrito litoral, apresenta índices de desenvolvimento comparáveis com os de distritos do interior”.

Segundo o movimento “Naturalmente Não às Portagens na A28″ a aplicação de portagens naquela antiga via Sem Custos para o Utilizador (SCUT)”tem castigado e prejudicado este território de Viana do Castelo e todo o Alto Minho”.

“Foram inúmeros os problemas e constrangimentos criados com a implementação desta medida, em 2010, e que constituíram um forte entrave à competitividade da região e foram ainda um fator prejudicial para as relações transfronteiriças da mesma”, acrescenta a nota.

O movimento adianta que “continuará a manifestar-se contra esta injustiça e ataque aos cidadãos e empresas deste território de Viana do Castelo e Alto Minho, apelando, assim, que considerem a reavaliação do modelo de portagens para introduzir uma maior justiça e coesão territorial e em particular nesta zona fronteiriça com Espanha”.

Na quarta-feira, a ministra da Coesão Territorial anunciou, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os “utilizadores frequentes”.

“Vai ser posto em prática no terceiro trimestre deste ano. Estamos a falar de um desconto de quantidade para os veículos classe 1 quer classe 2”, afirmou Ana Abrunhosa, que falava à margem de uma visita no âmbito da iniciativa “Governo mais próximo”, no distrito de Bragança.

Ana Abrunhosa explicou que se trata de “um desconto de quantidades”, exemplificando que a “partir do oitavo dia até ao 15.º dia haverá um desconto de 20% e a partir do 16.º dia até ao final do mês será um desconto de 40%”.

Nas autoestradas A4, A24, A28, A25, A23, A13 e A22, antigas SCUT, já eram aplicados descontos e estes foram, segundo a ministra, “harmonizados e aumentados”.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os descontos vão ser aumentados dos 30% para os 35% de dia e de 50% para 55% à noite.

A ministra anunciou ainda um desconto para os transportes de passageiros, que até agora não existiam e que passam a ser iguais às percentagens dos transportes de mercadorias.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Caminhada noturna usa mistério de 6.ª feira 13 e mostra património de Viana

Vila de Punhe

em

Foto: CM-Viana / DR

Tirar proveito do mistério da sexta-feira 13 para divulgar o património da Vila de Punhe em Viana, é o objetivo da caminhada noturna que, em março, levará 500 pessoas até ao moinho do Inácio, informou, esta quarta-feira, a organização.

Em causa está um engenho de transformação de cereais em farinha que entrou em funcionamento em 1837, servido pelo regato de Roques, na bacia hidrográfica do rio Neiva, localmente conhecido como o moinho do Inácio, nome dos antigos proprietários.

Segundo o presidente do Núcleo Promotor do Auto da Floripes 05 de agosto, Pedro Rego, “cerca de 500 pessoas estão inscritas para a caminhada noturna do dia 13 de março”, que terá 4,5 quilómetros de extensão, começa às 21:30, no adro da igreja de Vila de Punhe e termina, cerca das 23:30, junto aquele engenho, situado no lugar dos Regos, próximo do monte da Infia (Barreiras).

“A caminhada noturna aproveita o misticismo que envolve a sexta-feira 13 para, num ambiente de convívio, juntar aventura com cultura. Esta iniciativa denominada de “Queimada no Moinho”, será a XIII edição”, explicou.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Governo anuncia redução de até 40% nas portagens da A28

Portagens

em

Foto: DR / Arquivo

As portagens da A28 vão sofrer uma redução de preço, mas só a partir dos primeiros sete dias de cada mês, anunciou hoje o Governo.

De acordo com Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, a medida está prevista para julho deste ano e, para além da estrada que liga Porto a Viana, irá abranger outras seis autoestradas do país.

A governante explica que esta medida serve para beneficiar os utentes regulares desta via, com os descontos a serem aplicados apenas a partir dos primeiros sete dias do mês. Entre o oitavo e o décimo quinto dia, os utilizadores beneficiam de um desconto de 20%. Entre o dia 16 e o final do mês em vigor, os descontos são de 40%.

“Vamos conseguir implementar no terceiro trimestre deste ano um sistema de redução de portagens, privilegiando as portagens do interior. É um desconto de quantidades, que privilegia os utilizadores frequentes, quer sejam residentes quer trabalhem nestes territórios ou que os visitem regularmente”, disse a ministra à Rádio Renascença.

De acordo com a ministra, estima-se uma poupança de mais de 1.000 euros por ano para um veículo de Classe 1 e que, diariamente, utilize as autoestradas para trabalhar.

Para além da A28, também A22-Algarve, A23-IP, A23-Beira Interior, A24-Interior Norte, A25-Beiras Litoral e Alta, A4-Subconcessão AE transmontana, A4-Túnel do Marão, A13 e A13-1 – Subconcessão Pinhal Interior vão ser beneficiadas.

Apesar de ser uma medida para as vias do interior do país, a A28 e a Via do Infante também estão abrangidas por não existirem alternativas.

Continuar a ler

Populares