Seguir o O MINHO

Alto Minho

Viana e Barcelos, cidades da cerâmica, são membros fundadores de nova associação

em

Associação Portuguesa das Cidades e Vilas Cerâmicas (AptCC) já tem estatutos concluídos

Representantes de cidades e vilas com produção cerâmica concluíram a elaboração dos estatutos da associação, com vista a integrar o respetivo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial, anunciou hoje a Câmara de Aveiro, anfitriã do encontro.

A Associação Portuguesa das Cidades e Vilas Cerâmicas (AptCC) tem como membros fundadores os municípios de Alcobaça, Aveiro, Barcelos, Caldas da Rainha, Ílhavo, Mafra, Óbidos, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Tondela, Torres Vedras, Viana do Alentejo, Viana do Castelo e Vila Nova de Poiares.

O processo de criação da associação foi lançado em Mafra, no início de janeiro, tendo sido realizada uma segunda reunião nas Caldas da Rainha.

No encontro realizado na terça-feira em Aveiro ficou concluído o processo de elaboração estatutária, que será presente para aprovação aos executivos camarários e assembleias municipais, para depois ser realizada a escritura constitutiva da nova estrutura, que será ainda submetida ao Tribunal de Contas.

A formalização de uma associação portuguesa de cidades e vilas com produção cerâmica foi estimulada pelo coordenador europeu das cidades cerâmicas, que se deslocou a Portugal em dezembro, no âmbito de uma missão do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial das Cidades Cerâmicas que tem em vista o estabelecimento, na maioria dos países europeus, das respetivas associações.

O Agrupamento é uma estrutura com peso institucional no seio da União Europeia, que agrega atualmente associações de cidades cerâmicas de Itália, Espanha, França, Roménia e Alemanha.

O principal objetivo da associação portuguesa, como das suas congéneres, será a defesa, a valorização e a divulgação do património cultural e histórico cerâmico, bem como o intercâmbio de experiências entre os associados, nomeadamente a nível da conservação do património.

Tem ainda por objetivo a promoção da criação artística e a difusão da cerâmica tradicional e contemporânea, bem como o incentivo de relações de cooperação e intercâmbios entre os municípios associados.

A conclusão do processo de legalização da Associação irá permitir a formulação da candidatura à rede europeia das cidades cerâmicas, numa assembleia geral que se realiza em Faenza (Itália).

logo Facebook Fique a par das Últimas Notícias. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Viana do Castelo

Viana do Castelo celebrou Dia do Porto de Mar

Efeméride

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Presidente da Câmara Municipal juntou-se às comemorações do Dia do Porto de Viana do Castelo, que aconteceram ao longo de dois dias, com o objetivo de dar maior visibilidade ao porto.

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) levou a efeito um programa que incluiu um conjunto diversificado de iniciativas, promovendo uma política de proximidade junto da comunidade local, população académica envolvente e imprensa local.

Na Praça da Liberdade, o autarca José Maria Costa destacou a importância o Porto de Mar para o perfil exportador do concelho. Viana do Castelo tem vindo a afirmar-se como um concelho de forte acolhimento empresarial e exportador, tendo atingido em 2017 os 831 milhões de euros de exportações, o que coloca o Município em 16º lugar no ranking nacional, correspondendo a 1,5% das exportações nacionais.

Recorde-se que, no mês de fevereiro, o Primeiro-Ministro, António Costa, presidiu à cerimónia de consignação dos novos acessos rodoviários ao Porto de Mar de Viana do Castelo. Na cerimónia, o governante referiu que esta obra será uma mais- valia para as empresas da região e para o movimento portuário, mas que vai “simultaneamente melhorar a qualidade de vida das populações, que vão deixar de ver a sua vida devassada pelo tráfego das viaturas que entram e saem do porto”.

No mesmo momento, a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, lançou o concurso para o aprofundamento do anteporto e do canal de acesso aos Estaleiros Navais e ao Cais do Bugio. Estas intervenções visam melhorar a acessibilidade à infraestrutura portuária e reforçar a sua competitividade, alargando o seu ‘hinterland’.

Na altura, o autarca vianense considerou que ficaram resolvidos dois fatores críticos, permitindo novas acessibilidades marítimas, com o rebaixamento dos fundos, e novas acessibilidades rodoviárias que potenciam o perfil exportador do porto de Viana do Castelo e favorecem a atratividade deste para outros fluxos de mercadorias que até agora não eram competitivos.

Com um valor de adjudicação de 7,3 milhões de euros, o novo acesso ao Porto de Mar está a criar uma rodovia de 8,8 quilómetros de extensão a ligar a A28 ao Porto de Viana do Castelo em São Romão de Neiva, com duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura. A obra inclui ainda a requalificação de um troço e bermas da Estrada Nacional 13 e a construção de dois novos troços a ligar esta estrada nacional à A28, com acesso direto ao porto comercial.

Este investimento, que deverá estar concluído em agosto de 2020, pretende atrair novas atividades económicas para a área de influência do porto; reduzir os custos operacionais inerentes aos tempos de ligação rodoviária do porto aos principais polos de atividade; reduzir o ruído e as emissões poluentes; aumentar a segurança da circulação; e contribuir para o descongestionamento da circulação rodoviária, retirando o tráfego pesado das vias urbanas.

Já o aprofundamento do anteporto e do canal de acesso aos Estaleiros Navais e Cais do Bugio contam com um investimento público de 18,5 milhões de euros e privado de 11 milhões de euros. As intervenções, que deverão estar concluídas em 2021, implicam uma dragagem para aprofundar o canal e o anteporto para -6,0 metros, a fim de permitir o acesso a navios de maior dimensão. Fica, assim, reforçada a competitividade do cluster da indústria naval no país e melhoradas as condições de acesso ao Cais do Bugio e à Doca Seca, recebendo esta um novo cais de 140 metros de comprimento e 40 de largura.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo dá formação gratuita para PME’s

A 17 de outubro

em

Foto: Divulgação

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana do Castelo recebe, no próximo dia 17 de outubro, uma formação gratuita para PME, organizada pela Universidade do Porto, no âmbito do Laboratório de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) para PME na Zona Norte que nasce de um projeto transfronteiriço da CIM-ALTO Minho, numa parceria que envolve as duas instituições de ensino superior, (a Universidade do Porto e o Instituto Politécnico de Viana do Castelo), cuja sede se localiza na ESTG-IPVC em Viana do Castelo.

A formação “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Desafios e Oportunidades para PME” irá decorrer na sala BIB 3.2 da ESTG-IPVC, podendo encontrar todas as informações acerca do programa aqui.

O objetivo desta formação é o de prestar orientações às PME sobre a forma como poderão alinhar as suas estratégias bem como medir e gerir a sua contribuição para a realização dos ODS. A metodologia é ativa e inclui workshop, speed dating e network.

A formação é gratuita, mas sujeita a inscrição obrigatória. Para formalizar a inscrição, a empresa deve enviar um email para [email protected] ou telefonicamente para +351 258 819 700 | Tlm: +351 965 919 660.

O Projeto

Esta oficina de consultoria aberta ao público empresarial, tem como objetivo impulsionar a implementação de medidas de Responsabilidade Social nas pequenas e médias empresas do Norte de Portugal. Com atividade desde março de 2019, conta já com uma rede de 35 empresas em mentoria, 92 visitas a empresas e coorganizou 8 eventos de networking.

Este projeto é financiado podendo assim as PME beneficiar de 20 horas de mentoria especializada em gestão de recursos humanos e responsabilidade social empresarial.

O trabalho desenvolvido pressupõe uma articulação com as PME tendo em vista o seu desenvolvimento sustentável e competitivo incidindo na estratégia dirigida aos seus recursos humanos.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana recebe 1.866 obras do espólio do artista Carolino Ramos

Desenhos, esboços e estudos, aguarelas, pinturas a óleo, pinturas com técnica mista, serigrafias e esculturas em gesso

em

Foto: Divulgação

O neto e herdeiro do artista Carolino Ramos doou 1.866 obras a Viana do Castelo, um espólio que já foi conservado e catalogado pela câmara local e colocado online para consulta, informou hoje o município.

Em comunicado, a câmara adiantou que o espólio pode ser consultado numa página do Flickr, o maior site para alojamento de fotografias e vídeos, que conta com fotos do artista natural da capital do Alto Minho.

O acordo de doação do espólio foi assinado entre o neto do artista, Rui Ramos, e o presidente da câmara, José Maria Costa.

No total, são 1.767 desenhos, esboços e estudos, estando 549 desenhos assinados e datados, 75 aguarelas, seis pinturas a óleo, 10 pinturas com técnica mista, seis serigrafias e duas esculturas em gesso, em trabalhos que foram criados entre 1920 e 1960 por Carolino Ramos.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares