Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga entra a vencer mas acaba derrotado na Escócia

Liga Europa

em

Foto: SC Braga

O Rangers venceu hoje o SC Braga por 3-2, depois de ter estado a perder por 2-0, e parte para a segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol em vantagem.

Num grande jogo de futebol, os escoceses fizeram valer a sua grande ‘alma’ para dar a volta a um jogo que os bracarenses comandavam com todo o merecimento, graças a uma hora de jogo de grande nível e aos golos de Fransérgio (11 minutos) e Abel Ruiz (59).

Contudo, um certo relaxamento permitiu ao Rangers reduzir por Hagi (67) e, a partir daí, a equipa de Steven Gerard empurrou o Braga para a sua área, vindo a consumar a ‘cambalhota’ no marcador por Aribo (75) e novamente por Hagi, a meias com Palhinha, em quem o livre do romeno, filho da antiga estrela Gheorghe Hagi, que passou por Real Madrid e Barcelona, embateu antes de ‘trair’ Matheus (82).

Os minhotos não conseguiram prolongar o recorde de invencibilidade nas competições europeias de uma equipa portuguesa (13 jogos) e, ao 10.º jogo de Rúben Amorim, que hoje se estreou na ‘Europa’, conheceram o ‘sabor’ da derrota, o que já não acontecia há mais de dois meses (2-1, com o Benfica, na Taça de Portugal, em 18 de dezembro de 2019).

Abel Ruiz foi a surpresa na equipa bracarense, que entrou muito personalizada e criou duas boas oportunidades muito cedo: na primeira, Raul Silva, após livre de Sequeira, cabeceou para defesa de McGregor, com Wallace e Bruno Viana a falharem a recarga fatal (04) e, dois minutos depois, Trincão, após combinar com Abel Ruiz, rematou ligeiramente ao lado.

Wallace saiu lesionado aos 10 minutos e, sem nenhum central no banco, Rúben Amorim apostou em Galeno, colocando Esgaio como terceiro defesa, fechando à direita.

Mas foi entre a saída do central e a entrada do extremo que o Braga se adiantou no marcador, fruto de uma grande pressão sobre o adversário, mesmo com menos uma unidade.

Fransérgio libertou-se da pressão de Arfield e, de muito longe, desferiu um potente e colocado remate, fazendo um grande golo e colocando os minhotos em vantagem (11).

O Rangers teve em Morales o maior perigo, mas o avançado colombiano não conseguiu ultrapassar Matheus em duas claras ocasiões (25 e 30).

Trincão esteve em grande nível, mas foi perdulário, sobretudo aos 39 minutos, quando fez a bola rasar o poste da baliza adversária.

“O SC Braga teve momentos extraordinários”

No reinício, Fransérgio esteve muito perto de ‘bisar’, mas o remate, agora de pé esquerdo, embateu na barra (51).

Num jogo de parada e resposta, Matheus evitou novo golo a Morales, este quase sobre a linha de baliza (56) e, três minutos depois, Trincão, de calcanhar, serviu Abel Ruiz, que, fletindo no terreno, rematou ainda de fora da área fazendo o 2-0.

O terceiro esteve quase a acontecer, após rápido contra-ataque dos minhotos, mas Palhinha permitiu a defesa a McGregor (61).

A superioridade técnica da equipa portuguesa era evidente, mas o futebol tem outras vertentes e o Rangers fez uso delas. Hagi reduziu e a aposta em Ricardo Horta não teve qualquer efeito.

O Rangers era todo ele crença, como quando Aribo iludiu cinco jogadores do Braga no lance do 2-2.

A reviravolta materializou-se aos 82 minutos, com Hagi a ter a sorte do seu lado na conversão de um livre direto.

Os escoceses partem em vantagem para a segunda mão, na próxima quarta-feira, em Braga, mas a equipa minhota mostrou mais que argumentos para seguir em frente.

“Está tudo em aberto”

Ficha de Jogo

Estádio do Ibrox, em Glasgow.

Rangers – SC Braga, 3-2.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Fransérgio, 11 minutos.

0-2, Abel Ruiz, 59.

1-2, Hagi, 67.

2-2, Ayodele-Aribo, 75.

3-2, Hagi, 82.

Equipas:

– Rangers: Allan McGregor, James Tavernier, Connor Goldson, Nicola Katic, Borna Barisic (Greg Stewart, 73), Ianis Hagi, Steven Davis, Glen Kamara (Ayodele-Aribo, 54), Scott Arfield, Ryan Kent (Florian Kamberi, 69) e Alfredo Morelos.

(Suplentes: Wes Foderingham, George Edmundson, Andy Halliday, Ayodele-Aribo, Brandon Barker, Greg Stewart e Florian Kamberi).

Treinador: Steven Gerard.

– SC Braga: Matheus, Wallace (Galeno, 12), Bruno Viana, Raúl Silva, Esgaio, Palhinha (João Novais, 83), Fransérgio, Sequeira, Trincão, Abel Ruiz (Ricardo Horta, 70) e Paulinho.

(Suplentes: Tiago Sá, Diogo Viana, João Novais, André Horta, Ricardo Horta, Galeno e Rui Fonte).

Treinador: Rúben Amorim.

Árbitro: Xavier Estrada Fernandez (Espanha).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Alfredo Morelos (41), Ayodele-Aribo (58) e Galeno (69).

Assistência: cerca de 50.000 espetadores.

(notícia atualizada)

Anúncio

Desporto

SC Braga e Vitória SC pagaram mais de três milhões a empresários

Futebol

em

Foto: DR

Os clubes portugueses das I e II Ligas profissionais de futebol, e alguns emblemas de futebol feminino, pagaram 83,650 milhões de euros em comissões a empresários, revelou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Embora afastados dos lugares cimeiros, ocupados por Benfica, Porto e Sporting, os rivais minhotos SC Braga e Vitória SC gastaram ambos mais de três milhões, com 3,29 milhões para a SAD dos bracarenses, a que se somam 21 mil euros pagos pelo clube, e 3,6 milhões para os vimaranenses.

Os valores reportam-se ao pagamento de serviços relacionados com a intermediação em momentos de contratação, renovação ou mesmo de venda de ativos do plantel.

Segundo a tabela de intermediários e transações hoje publicada pela FPF, a SAD do Benfica pagou 34,2 milhões de euros entre 01 de abril de 2019 e 31 de março de 2020, o valor mais alto em Portugal, a que acrescem ainda cerca de 59 mil euros pagos pelo clube ‘encarnado’ (e não pela SAD) por jogadoras para a equipa feminina.

Logo atrás do Benfica está o FC Porto, com 23,7 milhões pagos a intermediários, seguindo-se o Sporting, com 15,9 milhões, o que significa que, dos 83,650 milhões, os três grandes são responsáveis por 73,8 milhões, ou seja, mais de 88% do valor total.

O número global denota um aumento de mais de 32 milhões de euros em relação ao período homólogo do ano passado, com os principais clubes a gastarem mais do que anteriormente: o Benfica despendeu mais 16,4 milhões com empresários, o FC Porto mais 7,6 milhões e o Sporting mais 9,8.

Entre os 18 emblemas da I Liga masculina, o único que não figura na tabela da FPF é o Portimonense, enquanto o valor mais baixo registado entre os que pagaram valores a empresários pertence ao Nacional, da II Liga, com cinco mil euros.

No escalão secundário, que inclui 18 equipas, entre elas as formações ‘B’ de FC Porto e Benfica, apenas oito clubes (não contando com ‘dragões’ e ‘águias’) pagaram comissões, com 10 emblemas sem qualquer registo no tempo analisado.

O único clube que não se encontra integrado no esquema profissional da Liga portuguesa é o Paio Pires, que gastou mais de seis mil euros em oito jogadoras da equipa feminina, que milita na II Divisão-Sul.

Por outro lado, quase 25 mil euros do valor total foram pagos por quatro jogadores: Mohamed Touré (Desportivo das Aves), Éverson (Portimonense, atualmente emprestado ao Bahia), Brian Araújo (Gil Vicente) e Helinho (AD Fafe).

Um relatório da FIFA relativo ao ano de 2019, que abrange a janela de transferências do verão contempladas na tabela da FPF, mas não o período de inverno, no mês de janeiro, dava conta de um lucro de 454 milhões de euros para clubes portugueses com transações de jogadores.

Continuar a ler

Desporto

Jogador do Famalicão, Pedro Gonçalves, doa material de proteção a hospital e bombeiros

Depois de ter doado um ventilador

em

Foto: DR / Arquivo

O jogador do Famalicão Pedro Gonçalves, da I Liga de futebol, vai oferecer, juntamente com o empresário Jorge Pires, 2.500 máscaras e 50 fatos de proteção ao Hospital de Chaves e Bombeiros de Vidago, após terem doado um ventilador.

O anúncio foi divulgado hoje na página na rede social Facebook de Jorge Pires e a oferta deve-se à “notória falta de material de proteção” nos profissionais de saúde do Hospital de Chaves e dos Bombeiros de Vidago face à pandemia covid-19.

O médio de 21 anos Pedro Gonçalves e o seu empresário Jorge Pires são naturais de Vidago, concelho de Chaves, distrito de Vila Real.

A oferta será de 2.500 máscaras cirúrgicas e ainda de 50 fatos de proteção, que “serão distribuídas por estas duas entidades”.

Na nota é ainda pedido à população de Vidago para que “ajudem os bombeiros nesta fase de extrema necessidade”.

Pedro Gonçalves, juntamente com os seus empresários Jorge Mendes e Jorge Pires, e ainda o jogador do Desportivo de Chaves André Liberal, anunciou em 24 de março a doação de um ventilador para o Hospital de Chaves.

O flaviense representa o Famalicão desde o início da temporada e soma 31 jogos oficiais e seis golos, após duas temporadas na equipa inglesa do Wolverhampton.

Pedro Gonçalves fez formação no Vidago, Desportivo de Chaves e Sporting de Braga, em Portugal, representando durante duas temporadas o Valência, de Espanha.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%).

Dos infetados, 726 estão internados, 230 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Continuar a ler

Desporto

Fernando Gomes reúne-se com presidentes dos 34 clubes profissionais

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e os presidentes da Liga e dos clubes das competições profissionais vão reunir-se hoje, após o encontro da UEFA com as suas filiadas devido à pandemia de covid-19.

Fonte ligada ao processo confirmou à Lusa a realização durante a tarde de hoje deste encontro de Fernando Gomes com os 34 presidentes de clubes da I Liga e da II Liga, para a qual foi convidado o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença.

Esta reunião ocorre no mesmo dia em que a UEFA, que rege o futebol europeu, se reuniu com as 55 federações nacionais, na qual o diretor-executivo Tiago Craveiro foi o representante da FPF, e um dia depois de Gomes ter-se reunido com os representantes das 22 associações distritais e regionais.

Na sexta-feira, a FPF decidiu cancelar as provas dos escalões de formação, que estavam suspensas desde 10 de março, dois dias antes de o organismo regulador do futebol português ter decidido suspender também as competições de seniores.

A FPF optou por concluir “as competições nacionais de todos os escalões de formação de futebol e futsal, masculinas e femininas, não resultando das mesmas qualquer efeito desportivo imediato”, acrescentando que “não serão atribuídos títulos nas referidas competições, nem aplicado o regime de subidas e descidas”.

Os jogos da I Liga e II Liga de futebol estão suspensos, por tempo indeterminado, desde 12 de março.

Após 24 das 34 jornadas, o FC Porto lidera o principal escalão, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica, enquanto o Nacional segue no primeiro lugar da II Liga, com 50 pontos, no mesmo número de jogos, mais dois do que o Farense.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infetou mais de 865 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 165 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 187 mortes e 8.251 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Continuar a ler

Populares