Seguir o O MINHO

Região

Rota Final: Transdev informa que “está a colaborar com as autoridades”

Buscas a 18 câmaras municipais passaram por Braga e Barcelos

em

Foto: DR / Arquivo

A operadora de transportes Transdev informou hoje que “está a colaborar com as autoridades” no âmbito da “Rota Final”, operação que resultou em buscas da Polícia Judiciária em 18 câmaras do Norte e Centro do país, entre outras entidades.

Em resposta enviada à agência Lusa, a operadora de transportes públicos Trandev apontou que “está disponível” e “a colaborar”.

“No âmbito da operação ‘Rota Final’, a Transdev Portugal informa que está a colaborar com as autoridades, estando disponível para cooperar em todas as diligências necessárias. De momento esta é toda a informação que temos a declarar”, lê-se na resposta.

Em causa uma operação da PJ sobre um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública.

Hoje foi tornado público que a PJ fez buscas em 18 câmaras do Norte e Centro do país e que a operadora de transportes públicos Transdev também é visada.

De acordo com dados oficiais disponíveis no portal base.gov, desde o início de 2018, a Transdev acumulou mais de dois milhões de euros em 38 contratos por ajuste direto com municípios do Norte e Centro do país.

No último ano, de acordo com o base.gov, o município da Guarda realizou contratos por ajuste direto com a Transdev de quase meio milhão de euros e Lamego de quase 100 mil euros.

Além do transporte escolar e de em alguns municípios assegurar os transportes públicos urbanos, a Transdev, que tem cerca de 1.900 colaboradores, detém 11 empresas e participações na Internorte, Intercentro, Rede Nacional de Expressos, Renex e Rodoviária do Tejo, segundo informação disponível no seu ‘site’.

De acordo com fonte policial, no âmbito das buscas, até ao final da manhã não existia “nenhum detido”.

As 18 câmaras municipais alvo de buscas foram as de Águeda, Almeida, Armamar, Belmonte, Barcelos, Braga, Cinfães, Fundão, Guarda, Lamego, Moimenta da Beira, Oleiros, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Sertã, Soure, Pinhel e Tarouca.

Anúncio

Guimarães

Guimarães dá 15 mil euros em prémio que homenageia D. Afonso, “príncipe da Beira”

Na área das ciências biomédicas

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

O Duque de Bragança, através da Fundação D. Manuel II, a Universidade do Minho e o Município de Guimarães instituíram o Prémio Príncipe da Beira Ciências Biomédicas, no valor de 15 mil euros, foi hoje anunciado.

Este galardão visa distinguir um investigador de excelência na área das ciências biomédicas, com menos de 40 anos de idade, pretendendo apoiar o seu plano de pós-graduação a realizar numa instituição de I&D nacional ou estrangeira.

Em nota enviada à imprensa, é referido que a iniciativa tem como objetivo primordial “premiar anualmente a excelência da investigação e contribuir para abrir novos caminhos na investigação aplicada e ética no domínio das ciências biomédicas”.

“Pretende também colaborar para o desenvolvimento de terapias avançadas e impulsionar o desenvolvimento de uma nova geração de investigadores com formação focada naquela área científica”, aponta a mesma nota.

Foi admitido a concurso um único plano de trabalho por candidato, o qual deveria ser executado por um período mínimo de um ano e ser enquadrado nos estudos pós-graduados, nomeadamente de doutoramento.

O júri incluiu personalidades e cientistas de mérito, como Manuel Braga da Cruz, Rui L. Reis, Miguel Oliveira, Adalberto Neiva de Oliveira, Adelina Paula Pinto e António Ferreira.

Depois de analisadas 44 candidaturas, a cerimónia de entrega do Prémio Príncipe da Beira em Ciências Biomédicas 2019 terá lugar no dia 4 de fevereiro 2020, pelas 12:00, no Salão Nobre da Câmara de Guimarães.

A cerimónia conta com a presença de representantes de todas as entidades envolvidas, nomeadamente da Universidade do Minho, da Câmara de Guimarães e ainda da Fundação D. Manuel II, contando ainda com a presença de D. Afonso, Príncipe da Beira, que entregará o prémio.

Continuar a ler

Braga

Hospital de Braga recebeu “figuras de referência” da Anestesiologia nacional e internacional

Evento decorreu em simultâneo em 35 cidades internacionais

em

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

O Hospital de Braga recebeu, no passado sábado, a 3.ª edição do evento comemorativo do Dia Europeu da Anestesiologia Regional, que se realizou pela primeira vez em Braga, anunciou esta terça-feira aquela unidade hospitalar.

Em comunicado, é apontado que o evento, que reuniu figuras de referência nacionais e internacionais da área da Anestesiologia, pretendeu ser “um espaço de partilha de informação relevante e atual permitindo, desta forma, a atualização de conhecimento, com vista à melhoria e maior uniformidade na qualidade do tratamento da dor e do nível de cuidados anestésicos prestados aos doentes”.

A iniciativa, organizada pela Sociedade Europeia de Anestesiologia Regional e pelo Clube de Anestesia Regional (CAR/ESRA Portugal), decorreu em simultâneo em 35 cidades de 13 países europeus. Foi dirigida a médicos especialistas e internos de Anestesiologia, abordou temas fulcrais da área da Anestesia regional através de várias palestras, mesas redondas e workshops.

Foram, ainda, transmitidos em simultâneo, nas várias cidades europeias, podcasts da autoria de oradores internacionais de referência na área da Anestesiologia.

O balanço desta iniciativa foi “unânime entre participantes e organizadores locais, que destacaram o conceito inovador deste modelo de formação em que, em tempo real peritos da Anestesiologia Europeia levam a formação até aos formandos na sua cidade”, vinca a mesma nota.

Para além de Braga, a única cidade portuguesa envolvida, esta comemoração decorreu também noutras cidades europeias na Bélgica, França, Alemanha, Grécia, Itália, Países Baixos, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Suíça e Turquia.

Continuar a ler

Alto Minho

Arguido por enterrar material com amianto no solo em Monção

Crime ambiental

em

Imagem ilustrativa / DR

A GNR identificou e constituiu arguido um homem de 52 anos por crime ambiental em Monção, por ter “depositado no solo” material com “amianto”, informou esta terça-feira aquela força policial.

Em comunicado enviado à imprensa, o Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, adiantou que a operação policial, desencadeada “após uma denúncia”, ocorreu na segunda-feira.

No decurso da investigação “por depósito de amianto no solo, os militares efetuaram diligências que permitiram apurar o local do aterro e identificar o individuo, sendo que este terá recorrido a uma retroescavadora para depositar o material poluente”.

“Foram recolhidas amostras para análise, tendo sido retirados os resíduos e encaminhados para local de tratamento adequado onde serão incinerados, evitando o risco de contaminação do solo”, refere a nota da GNR.

Continuar a ler

Populares