Seguir o O MINHO

Região

PSP deteve três homens por condução sobre o efeito do álcool, em Braga e Guimarães

Taxa de Alcoolemia entre 1,24 e 1,67 g/l no sangue

em

Foto: DR

A PSP, durante o fim-de-semana, nas cidades de Guimarães e Braga, procedeu à detenção de três cidadãos com 25, 26 e 42 anos de idade, por condução de veículo automóvel sob influência do álcool. Ao serem submetidos ao teste quantitativo do álcool acusaram uma TAS entre 1,24 e 1,67 g/l no sangue. Os detidos foram notificados para comparecer em junto dos respetivos Tribunais.

Anúncio

Aqui Perto

Bebé ferido com gravidade num incêndio em habitação de Felgueiras

Vítima foi transportada para o Hospital de São João, no Porto

em

Foto: DR / Arquivo

Um incêndio numa habitação em Felgueiras provocou hoje ferimentos graves num bebé, que foi transportado para o Hospital de São João, no Porto, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo a corporação, o incêndio ocorreu numa casa da localidade de Pombeiro, na Rua Dr. Machado de Matos, às 10:30, e terá sido provocado, alegadamente, por uma lareira.

No local estiveram os Bombeiros de Felgueiras, com três veículos e 11 operacionais, e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação, de Guimarães.

Continuar a ler

Braga

Hasta Pública para alienação do edifício da Fábrica Confiança tem data marcada

Evento vai ter lugar no gnration

em

Foto: Sérgio Freitas/CM Braga/Arquivo

A hasta pública para a alienação do edifício da fábrica Confiança, em Braga, terá lugar em 14 fevereiro, sendo o valor base de 3,6 milhões de euros, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município acrescenta que elaborou um caderno de encargos que, “além de salvaguardar integralmente” a volumetria da antiga fábrica, prevê a construção, nos terrenos adjacentes, de um novo edifício destinado exclusivamente a residência universitária, com capacidade para 300 unidades de alojamento.

O documento prevê também a criação, no edifício principal, de um centro interpretativo/museu da memória da Confiança e serviços de apoio à residência universitária.

“Com esta estratégia arquitectónica, será possível repor a integridade do antigo edifício, salvaguardando-se a memória e o espaço da Via Romana XVII, e retomar a Rua do Pulo, que havia sido interrompida no passado com a ampliação das instalações fabris”, sublinha o comunicado.

Refere ainda que o caderno de encargos “garante a memória e integridade do edifício e potencia a ligação à cidade, em especial à Universidade do Minho”.

O caderno de encargos foi elaborado após a aprovação do pedido de informação prévia (PIP), que contou com parecer favorável do Conselho Nacional de Cultura.

O edifício está em processo de classificação.

A alienação do edifício é contestada por PS, CDU e Bloco de Esquerda e também pela Plataforma Salvar a Fábrica Confiança, que defendem que o imóvel deveria continuar na esfera pública e ser convertido num equipamento cultural.

Alegam que será um “negócio da China” para o privado que comprar, já que pagará, em 2020, o mesmo valor que a câmara pagou em 2012 quando adquiriu o edifício.

Dizem ainda que o argumento da residência universitária é um “embuste”, sublinhando que, “quando muito”, o que poderá ali nascer será “uma residência para universitários”, a preços elevados.

PS, CDU e Bloco de Esquerda e a plataforma criticam igualmente a alienação “do último reduto da memória industrial” da cidade.

A fábrica Confiança foi desenhada por José da Costa Vilaça e inaugurada em 1921, tendo produzido perfumes e sabonetes até 2005.

Em 2012, foi adquirida pela câmara, então presidida pelo socialista Mesquita Machado.

Chegou a ser aberto um concurso de ideias para o edifício, mas entretanto em 2013 a câmara mudou de mãos e em setembro de 2018 a nova maioria PSD/CDS-PP/PPM votou pela venda, alegando que, por falta de fundos disponíveis para a reabilitação, o edifício se apresenta em “estado de degradação visível e progressiva”.

Atualizado às 12h16

Continuar a ler

Famalicão

Leica apresenta primeiro produto totalmente desenvolvido e construído em Famalicão

Na unidade sediada em Lousado

em

Foto: Divulgação/CM Famalicão

A Câmara Municipal de Famalicão anunciou esta quarta-feira que, pela primeira vez, a Leica, mítica marca de máquinas fotográficas, vai apresentar o primeiro produto totalmente desenvolvido e construído na unidade sediada em Lousado.

Durante muitos anos a unidade portuguesa da Leica foi exclusivamente um centro produtivo, mas recentemente a administração portuguesa da empresa reuniu argumentos para convencer a casa-mãe alemã a fazer a evolução da unidade sediada em Lousado para um Centro de Competências e Serviços, que representa uma aposta de confiança da administração da Leica no “made In Portugal”.

Este reconhecimento pelo conhecimento e saber-fazer adquirido em Famalicão está também visível na decisão da transferência para Portugal do Centro de Reparação Leica de Produtos da área SPORTOPTICS que, pela primeira vez em 171 anos de existência, sai de território alemão.

Os novos desafios da Leica em Portugal e a apresentação do primeiro produto Leica totalmente desenvolvido e construído em Famalicão são o foco do Roteiro pela Inovação de Vila Nova de Famalicão decorrem esta sexta-feira.

Continuar a ler

Populares