Seguir o O MINHO

Braga

PJ faz buscas nas câmaras de Braga e Barcelos

E em mais 16 câmaras

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária (PJ) realizou hoje buscas em 18 câmaras municipais do Norte e Centro de Portugal, incluindo Braga e Barcelos, no Minho, relacionadas com um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública, informou fonte policial.

A operação, com o nome de código “Rota Final”, incluiu também buscas em entidades públicas e empresas, sendo realizadas pela Diretoria do Norte da PJ, com o apoio de vários departamentos de investigação criminal e da Diretoria do Centro, no âmbito de um inquérito titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

Ao todo, foram 50 as buscas realizadas, envolvendo 200 elementos da Polícia Judiciária – inspetores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos.

As 18 câmaras municipais alvo de buscas forma as de Águeda, Almeida, Armamar, Belmonte, Barcelos, Braga, Cinfães, Fundão, Guarda, Lamego, Moimenta da Beira, Oleiros, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Sertã, Soure, Pinhel e Tarouca.

“Mediante atuação concertada de quadros dirigentes de empresa de transporte público, de grande implementação em território nacional com intervenção de ex-autarcas a título de consultores, beneficiando dos conhecimentos destes, terão sido influenciadas decisões a nível autárquico com favorecimento na celebração de contratos públicos de prestação de serviços de transporte, excluindo-se das regras de concorrência, atribuição de compensação financeira indevida e prejuízo para o erário público”, afirma a PJ, em comunicado a propósito deste caso.

Transdev visada na operação que levou a PJ a fazer buscas em Braga e Barcelos

Também no recrutamento de funcionários se terão verificado situações de favorecimento, ainda segundo a PJ.

A investigação prossegue “para determinação de todas as condutas criminosas, seu alcance e respetivos agentes”, esclarece a polícia.

Anúncio

Braga

Braga (distrito) sob aviso amarelo devido ao calor na quarta e quinta-feira

Viana em aviso amarelo na quinta-feira

em

Foto: DR / Arquivo

Dezassete distritos de Portugal continental vão estar sob aviso amarelo na quarta e quinta-feira devido à previsão de tempo quente, informou esta terça-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Na quarta-feira, o aviso amarelo abrange os distritos de Évora, Porto, Setúbal, Santarém, Lisboa, Leiria, Beja, Coimbra e Braga e vai estar em vigor entre as 10:00 e as 18:00 de quinta-feira.

Para quinta-feira, o IPMA emitiu aviso amarelo (entre as 10:00 e as 18:00 deste dia) para os distritos de Bragança, Viseu, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro, Castelo Branco e Portalegre.

Faro é o único distrito que não vai estar sob aviso amarelo quarta e quinta-feira.

Os 17 distritos vão estar sob aviso amarelo devido à persistência de valores elevados das temperaturas máximas.

Segundo o IPMA, as temperaturas máximas vão subir a partir de hoje entre 04 e 08 graus Celsius em algumas regiões do continente e na quarta-feira prevê-se um aumento das mínimas com noites tropicais.

Na região sul, a subida da temperatura máxima será mais pequena entre os 02 e os 04 graus.

O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Continuar a ler

Braga

Multidão assistiu à antestreia de “Variações”

em

Dez anos depois da ideia inicial, o filme sobre a vida do cantor minhoto António Variações finalmente ganhou vida no grande ecrã, tendo sido exibido publicamente pela primeira vez em Amares, perante um “mar de gente” que não deixou para a próxima quinta-feira, dia oficial da estreia, o que pôde fazer ontem.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O anfiteatro natural das termas de Caldelas, palco habitual de um festival de verão, foi pequeno para tantos convidados, aficionados e curiosos pelo filme que já foi pré-selecionado pela Academia Portuguesa de Cinema como um dos cinco indicados ao Óscar de Melhor Filme Internacional para representar Portugal nos próximos Óscars.

Com a presença de Sérgio Praia, o ator que deu vida a Variações, e João Maia, o realizador que conseguiu transpor a vida do jovem nascido em Fiscal que “abalou” para Lisboa em busca de uma vida melhor, a antestreia ficou marcada pela emoção e pela satisfação de ver estampado no ecrã aquilo que foi filmado durante o último ano, como o caso da travessia da barca, em Fiscal, Amares, onde locais participaram ativamente nas filmagens.

O filme “Variações” retrata a vida de António Variações, nascido em Fiscal, Amares, e estreia nas salas de cinema de todo o país na próxima quinta-feira, dia 22.

Continuar a ler

Braga

Braga: Antigo colégio das Sete Fontes reabre com 300 alunos

No próximo ano sobe para os 500 alunos

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Reabre em setembro com 300 alunos do ensino básico. O antigo Colégio  das Sete Fontes, de Braga, a cuja fundação esteve ligado o falecido Cónego Eduardo Melo, foi adquirido pela associação que gere o Colégio  João Paulo II, que assim cria condições para se expandir: “temos uma  lista de espera de 1.400 alunos”, disse a O MINHO o seu administrador, Mário Paulo Pereira.

Este estabelecimento de ensino, criado, por sua vez, há 13 anos por um  grupo de seis leigos e oferecido à Arquidiocese da Igreja Católica,  está a rebentar pelas costuras nas instalações que possui junto à  Avenida Central, mesmo junto ao edifício das Convertidas: “vamos  acolher 300 alunos, até à 4.ª classe, neste ano letivo, número que, no  próximo, subirá para os 500”, adiantou.

O gestor salientou que o arranque das aulas no antigo Sete Fontes obrigou à contratação de 32 pessoas, as quais se juntam às 128 – entre  docentes e funcionários – que já trabalham na instituição. Isto – frisou – sem contar com as cerca de 40 pessoas que prestam  serviço nas atividades extra curriculares, nas áreas do desporto, das  línguas e outras.

Dinamismo

O João Paulo II – sublinha – “é hoje uma das instituições dinâmicas da cidade, como se constata por este investimento e pela procura que  tem”. O colégio é um organismo de direito canónico, mas é gerido por  uma associação a que a arquidiocese pertence.

Na última semana, O MINHO foi contactado por dois funcionários que se  queixaram de que o salário de julho, ainda não tinha sido pago a 13 de  agosto, tendo sido liquidado no dia seguinte, sexta-feira.

O que lhes  trouxe transtornos em período de férias. Atraso que Mário Pereira  confirma, mas que explica pelo facto de as Finanças terem obrigado à  mudança do número de contribuinte, o que provocou complicações  burocráticas em termos de movimentação de contas bancárias: “Não há,  nem nunca houve salários em atraso, temos uma ótima saúde financeira”,  garante. Os mesmos trabalhadores lamentam, ainda, que o Colégio pague  o ordenado mensal apenas ao dia oito, facto que lhes complica o cumprimento dos compromissos: ”pagámos religiosamente ao dia oito, e a  lei permite que seja feito até ao dia 11”, explicou.

Gestão danosa

Criado pela empresa Ensine-Ser, que pertencia ao grupo Ensinave que geria o ISAVE – Instituto Superior de Saúde do Vale do Ave, da Póvoa de  Lanhoso, o Colégio das Sete Fontes faliu em 2012, seguindo as pisadas  da casa-mãe. Foi reativado em 2014, e agora adquirido pelo João Paulo II, entidade que nada tem a ver com o caso em questão. O seu antigo administrador, José Henriques, foi acusado em 2018 pelo Ministério  Público de gestão danosa.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares