Seguir o O MINHO

Desporto

Paulo Gonçalves sofre traumatismo craniano e abandona Dakar

Piloto pode ter uma fractura na mão também

em

Foto: DR

O piloto de Esposende Paulo Gonçalves (Honda) abandonou hoje o rali Dakar de todo-o-terreno, depois de sofrer uma queda de mota, que lhe causou um traumatismo craniano na quinta etapa da prova, disputada entre Moquegua e Arequipa, no Peru.

De acordo com a organização, o piloto luso “foi forçado a abandonar com um traumatismo craniano leve e uma possível fratura numa mão”, tendo sido retirado do percurso de helicóptero.

O piloto de tinha subido ao oitavo lugar na classificação das motas no rali Dakar de todo-o-terreno na véspera, após o sexto lugar conquistado na quarta etapa, que ligou Arequipa a Moquegua.

O piloto português tinha gastado 3:54.06 horas para cumprir os 405 quilómetros cronometrados de um total de 511 quilómetros, terminando a 13.36 minutos do vencedor da tirada, o norte-americano Ricky Brabec, seu companheiro de equipa na Honda e líder da classificação da prova de motas.

A quinta etapa, que liga Monquegua a Arequipa, tem um total de 776 quilómetros e uma especial cronometrada de 345 quilómetros.

Anúncio

Futebol

“É a melhor equipa de sempre do Braga no arranque de competições europeias”

Sá Pinto aponta ao 4.º lugar no final do campeonato

em

Foto: Youtube

O treinador Ricardo Sá Pinto assegurou este domingo que o Sporting Clube (SC) de Braga vai alcançar o objetivo do quarto lugar na I Liga de futebol e que este é melhor arranque de sempre do clube nas competições europeias.

O Braga, que recebe o Marítimo na segunda-feira, na sexta jornada da I Liga, é apenas 16.º classificado e vem de duas derrotas seguidas (Benfica e Vitória de Setúbal) e, pelo meio, um triunfo em Inglaterra sobre o Wolverhampton (1-0), na quinta-feira, para a Liga Europa.

“Queremos subir na classificação e estabilizar, mas não estou preocupado porque esse objetivo da Liga não se atinge à quinta ou à 20.ª jornada, mas em maio, faltam muitos meses, mas tenho a certeza de que vamos lá chegar. Provavelmente não vamos ter a regularidade que queríamos na primeira volta, devido a este ciclo de jogos, mas isso não nos assusta. O objetivo é o quarto lugar e vamos conseguir, se pudermos ir mais à frente logo se verá”, afirmou.

Ricardo Sá Pinto notou ainda que, em comparação com o Braga de Jorge Jesus que ganhou a Intertoto, a equipa só tem menos um ponto e, então, os minhotos só tinham jogado com um ‘grande’.

“Na Liga Europa, quero lembrar que esta é a melhor equipa de sempre do Braga, em quase 100 anos de história, no arranque de competições europeias”, afirmou.

O técnico frisou que “têm faltado os pontos” que considera que a equipa merece pela “qualidade de jogo, superioridade e controlo sobre os adversários”.

“Temos criado muitas oportunidades que não temos concretizados. Se houvesse justiça, estaríamos numa classificação mais acima, mas temos que concretizar as oportunidades para ganhar os jogos”, disse.

O treinador admitiu a hipótese de jogar com dois avançados e disse que o médio nigeriano Agbo é opção para o jogo, mas não revelou se vai ser titular.

“Precisamos de ganhar, o Marítimo também, temos os mesmos pontos, jogamos em casa, queremos ser mais fortes, não cometer erros que o adversário possa aproveitar e sermos equilibrados e eficazes na finalização”, referiu.

Tiago Sá, Tormena, Raul Silva, Wallace e Wilson Eduardo são os lesionados do plantel ‘arsenalista’ e não podem ser opção para Ricardo Sá Pinto, tal como Fransérgio, castigado.

SC Braga, 16.º classificado com quatro pontos, e Marítimo, 15.º também com quatro, defrontam-se na segunda-feira, a partir das 19:00, no Estádio Municipal de Braga.

Continuar a ler

Desporto

Viana dá a conhecer o novo campeão do Mundo júnior de bodyboard

em

Nicolas Capony, da Ilha Reunião, um departamento ultramarino francês, venceu o galego Bruno Martin, por uma diferença de 2.24, na final do APB Pro Junior Grand Slam, que terminou hoje com muita emoção e ondas a rondar os 2 metros, na praia da Arda, em Viana do Castelo.

Foto: Tó Mané

A grande surpresa do dia aconteceu logo no primeiro heat da semifinal, quando Nicolas Capony defrontou Armide Soliveres, detentor do título mundial, e garantiu a passagem à final.

Segundo o campeão do mundo de 2019, as condições estiveram excelentes todos os dias e a organização também, mas os adversários eram muito bons e, por não ter sido nada fácil defrontá-los, sente-se ainda mais contente com o resultado alcançado.

“Estou muito contente! Foi um sonho tornado realidade. Um excelente presente, num evento fantástico, no meu último ano como júnior”, disse Nicolas.

Nicolas Capony. Foto: Tó Mané

O galego Bruno Martin, vencedor da edição de 2018 do Luso Galaico e que na semifinal de hoje venceu com um score total de 13.17 Cristopher Bayona Angulo (8.84), sagrou-se vice-campeão mundial também no seu último ano como júnior.

“Estou muito contente com este resultado, que não esperava, mas que se foi materializando ao longo da competição. Treinei muito para as condições de hoje e para as dos dias anteriores, por isso senti-me sempre à vontade”, refere Bruno.

Tanto Nicolas Capony como Bruno Martin protagonizaram, ao longo de toda a competição, performances muito consistentes.

Bruno Martin. Foto: Tó Mané

O canário Armide Soliveres e o peruano Cristopher Bayona Angulo foram os terceiros classificados.

“Confiei. Esperei por outra boa onda, mas, de tanto esperar, não consegui”, avança Armide Soliveres que também considera que, tal como já tinha antecipado, “o nível esteve muito alto”.

Armide Soliveres. Foto: Tó Mané

Cristopher Bayona Angulo fez história não apenas pelo seu resultado mas também por esta ter sido a primeira vez que o Perú participou no mundial.

“Correu bem. Treino há sei anos e queria ser campeão do mundo. Mas, o nível estava muito alto. Aprendi muito também com os meus adversários. Esta é a minha primeira participação e a primeira vez que saio do Perú. Para o ano, vou trabalhar o dobro”, refere Cristopher.

Cristopher Bayona. Foto: Tó Mané

Os quatro finalistas de hoje, que até às meias-finais ganharam sempre os seus heats, eram fortes candidatos ao título.

Terry McKenna, world tour manager da Association of Professional Bodyboarders (APB), considera que “esperar até hoje para terminar a competição acabou por ser uma jogada brilhante, pois as ondas rondaram os 2 metros e o vento offshore, possibilitando aos competidores fazer altas performances”, acrescentando “este campeonato, o primeiro Pro Junior autónomo, foi um grande êxito: reuniu, em Viana do Castelo, os melhores bodyboarders dos quatro cantos do mundo; registou um alto nível; ficou claro que a modalidade está em excelentes mãos. Além disso, o Surf Clube de Viana (SCV), mais uma vez, fez um trabalho incrível de organização. Viana do Castelo foi o berço do bodyboard profissional e isso foi evidente também na organização deste evento”.

O CAR Surf de Viana serviu de estrutura de apoio ao Viana World Bodyboard Championship. Entre os vários competidores que lá estiveram “hospedados” e treinaram, destaque para Nicolas Capony e para Cristopher Bayona.

Foto: Tomané

Para João Zamith, presidente da direção do SCV, “devido ao nível dos atletas e ao CAR Surf, cada vez mais Viana do Castelo tem projeção mundial”, acrescentando “organizar eventos de nível mundial com esta dimensão e com este resultado só é possível com o apoio e o envolvimento de toda a equipa do SCV”.

Em ano de comemoração do 30º aniversário do clube, na cerimónia de entregue de prémios, também houve lugar a uma homenagem ao Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) pelo apoio que tem dado à instituição.

“O CAR Surf de Viana é uma mais valia, pois, além de dar uma resposta de qualidade no plano do alto rendimento, dá uma resposta notável no plano do desenvolvimento desportivo, pois funciona como âncora das atividades náuticas, em especial do surf”, explica Vítor Pataco, presidente do IPDJ.

Também Vítor Lemos, vice-presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, defende que “o SCV está a fazer um excelente trabalho” e, dirigindo-se aos competidores que subiram, hoje, ao pódio, pediu que levassem os troféus e também o nome de Viana do Castelo, como referência, para os seus países.

O Viana World Bodyboard Championship é organizado pelo SCV, em parceria com a APB e a Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Conta também com os apoios do IPDJ, da Fundação do Desporto, da Federação Portuguesa de Surf, da Marinha Portuguesa, da World Surf Cities Network, do Axis Hóteis, da Delta Cafés, da Silampos, da Amorim Isolamentos, da Science, da Cunha Bastos, da Viana Segura, da Cabo d’Mar, da Escola Superior de Desporto e Lazer – IPVC, da Vava, do Hospital Fernando Pessoa, da A Aurora do Lima, da Meo Beachcam e do Corpo Europeu de Solidariedade.

Continuar a ler

Futebol

Vitória festeja aniversário com triunfo em Tondela

Golos de Lucas Evangelista, Bruno Duarte e Davidson

em

Foto: Twitter

O Vitória Sport Clube (SC) ascendeu hoje ao sexto lugar, em dia do 97º aniversário, ao vencer por 3-1 em Tondela, num jogo da sexta jornada da I Liga portuguesa de Futebol.

Os quatro golos foram todos marcados na primeira parte, com os vimaranenses a inaugurarem o marcador e só depois do segundo golo é que o Tondela reduziu a diferença. No único minuto de compensação da primeira parte o Vitória selou o resultado do jogo.

O marcador foi inaugurado aos 21 minutos por Evangelista, que rematou à direita, aproveitando a presença de Cláudio Ramos na lateral esquerda e, quatro minutos depois, foi Bruno Duarte que aproveitou uma perda de bola de Bruno Wilson para, sem o defesa beirão por perto, fazer o segundo golo.

O Tondela demorou a reagir e esteve praticamente 20 minutos sem conseguir voltar ao meio-campo adversário, mas, à segunda aproximação da baliza de Miguel Silva, aos 41, Yohan Tavares reduziu a diferença no marcador.

O Vitória reagiu e, no minuto de compensação da primeira parte, Evangelista, completamente isolado, mas com o guarda-redes tondelense a marcar posição, assistiu Davidson para bater novamente Cláudio Ramos.

A segunda parte arrancou mais veloz e agressiva, com as duas equipas a rematarem mais à baliza adversária sem, contudo, conseguirem chegar novamente ao golo.

No dia em que cumpre 97 anos, o Vitória SC comemorou a subida do 10.º para o sexto lugar na tabela classificativa, com nove pontos, e o Tondela desceu ao nono lugar, mantendo os oito pontos.

Declarações dos Treinadores

– Natxo González (Treinador do Tondela): “Tivemos pela frente uma equipa superior, como se viu. No primeiro tempo foi difícil dar a volta ao marcador e é um pouco a leitura geral da partida

Quem sabe não estejamos preparados para jogar um frente a frente com um rival com estas características, que pressiona muito bem, é mais intenso, creio que nos falta ajustar para sermos mais intensos.

Faltou conexão no início da jogada, a fase de criação, creio que [o erro] não foi unicamente defensivo, foi um todo. Temos de melhorar a saída de bola e tentar evitar essas perdas. Eles [Vitória de Guimarães] provocaram muito bem essas perdas, é uma equipa muito poderosa.

Não [falamos de erros individuais]. Falamos sempre da equipa, é sempre à custa da equipa, não gosto da responsabilidade de jogadores. Quando ganhamos, ganhamos todos, quando perdemos, perdemos todos.

É uma lástima, porque tínhamos muita ambição neste jogo e muito obrigado a quem nunca deixa de nos apoiar.

Fizemos um segundo tempo interessante, não foi fácil depois de um marcador tão adverso, é daqueles em que podias ter perdido um pouco a cabeça a nível emocional, mas crescemos no segundo tempo e isso para mim, treinador, é importante.”

– Ivo Vieira (Treinador do Vitória de Guimarães): “Hoje entrámos forte, entrámos bem, fomos melhores, fizemos 30 minutos fantásticos, podíamos ter feito mais um ou dois golos, fomos nitidamente superiores contra uma equipa com bastante valia.

Na primeira fase de construção [o Tondela] sai muito bem a jogar, criou-nos alguns problemas, mas fomos muito consistentes naquilo que foi a abordagem ao jogo de forma meritória. Este resultado ajusta-se àquilo que as equipas fizeram e os atletas, por aquilo que trabalharam, de forma merecida, têm obviamente muito mérito naquilo que foi o resultado.

Não tenho ao certo quantas oportunidades de golo [o Vitória de Guimarães] teve na segunda parte, mas teve sobejamente cinco ou seis situações que poderia ter feito golo, também poderia ter sofrido, é uma realidade, contra uma equipa com qualidade.

É de louvar estas duas equipas, Tondela e Vitória, pelo futebol positivo e pela alegria ou a satisfação que deram hoje a quem esteve cá presente. Um futebol de ataque, de ambas as equipas, a quererem ganhar o jogo, a darem qualidade ao mesmo, ganhou o Vitória, porque fez mais golos e foi melhor, mas uma palavra também para o Tondela que pratica e desenvolve um futebol bastante positivo, mas o Vitória hoje foi mais forte e ganhou de forma justa.

Esse golo em cima do intervalo veio trazer uma tranquilidade e uma justiça também àquilo que estávamos a fazer dentro do jogo, porque sofremos, infelizmente, um golo de bola parada, mas trouxe, de forma natural, essa tranquilidade para a segunda parte.

Não acho que haja um cansaço excessivo quando se fala de dois jogos. Acho que um jogador consegue suportar dois a três jogos, se as coisas correrem bem, em termos anímicos e psicológicos”.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela – Vitória SC, 1-3.

Ao intervalo: 1-3.

Marcadores:

0-1, Evangelista, 21 minutos.

0-2, Bruno Duarte, 25.

1-2, Yohan Tavares, 41.

1-3, Davidson, 45+2.

Equipas:

– Tondela: Cláudio Ramos, Filipe Ferreira, Bruno Wilson, Yohan Tavares, Moufi, Xavier, Jaquité (Pedro Augusto, 64), Pepelu, Pité (Jonathan Toro, 46), Jhon Murillo (Tomi, 75) e Deni Júnior.

(Suplentes: Niasse, Philipe Sampaio, João Vigário, Bruno Monteiro, Pedro Augusto, Jonathan Toro e Tomi).

Treinador: Natxo González.

– Vitória SC: Miguel Silva, Sacko, Bondarenko, Tapsoba, Rafa Soares (Florent, 84), Poha, Evangelista, Pêpê (Mikel, 66), André Pereira, Bruno Duarte e Davidson (Rochinha, 68).

(Suplentes: Douglas, Pedro Henrique, Florent, Mikel, Bonatini, Rochinha e André André).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Sacko (29), Tapsoba (60), Mikel (78), Deni Júnior (77), Xavier (88) e André Pereira (90+2).

Assistência: 3.178 espetadores.

Notícia atualizada às 21h59

Continuar a ler

Populares