Seguir o O MINHO

Cabeceiras de Basto

Colisão rodoviária causa um morto e dois feridos graves em Cabeceiras de Basto

Ao princípio da noite desta sexta-feira.

em

Foto: O MINHO

Uma colisão rodoviária entre três automóveis, causou um morto e dois feridos graves, um dos quais em paragem cardiorrespiratória, no concelho de Cabeceiras de Basto, já ao princípio da noite desta sexta-feira.

No local estão os Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, o Suporte Imediato de Vida (SIV) do INEM e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do INEM de Guimarães e a Guarda Nacional Republicana.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Ave

Quatro detidos e 3 mil doses de heroína apreendidas pela GNR de Fafe

Tráfico de droga em Fafe, Cabeceiras de Bastos, Celorico de Basto, Ribeira de Pena e Mirandela

em

Foto: GNR

O Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Fafe apreendeu, esta quarta-feira, 3 mil doses de heroína, deteve quatro homens e constituiu arguidos outros dois, com idades compreendidas entre 42 e 62 anos, por tráfico de estupefacientes, anunciou hoje o Comando Territorial de Braga.

A GNR investigava o grupo, que se dedicava ao tráfico de droga nos concelhos de Fafe, Cabeceiras de Bastos, Celorico de Basto, Ribeira de Pena e Mirandela, há já seis meses.

No âmbito dessa operação, foram cumpridos 14 mandado de busca, oito em residência e seis em veículos, tendo resultado ainda na apreensão de 180 doses de haxixe, uma arma de fogo, um bastão elétrico, um aerossol, 200 munições de vários calibres, duas balanças de precisão, seis telemóveis e 5 mil euros em numerário.

Os detidos, com antecedentes criminais pela prática do mesmo tipo de crime, posse ilegal de armas e armas proibidas e violação, vão ser presentes hoje, dia 17 de janeiro, ao Tribunal Judicial de Guimarães, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

Concurso para a criação do doce cabeceirense

Inscrições até 28 de Fevereiro

em

Foto: CM Cabeceiras de Basto

Depois de uma ação de formação realizada com 20 formandas com vista a aliar a memória de uma alimentação de afetos ao uso dos produtos da terra, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto lança no próximo dia 11 de janeiro, no âmbito do Mosteiro de Emoções, o Concurso para a criação de um Doce Cabeceirense.

Deverá ser um doce ou bolo, concebido com ingredientes locais de modo a incentivar a inovação das pastelarias cabeceirenses. As inscrições irão decorrer até 28 de fevereiro.

Durante os meses de março e abril será desenvolvido o produto e no dia 18 de maio o júri fará a avaliação das propostas a concurso

Esta iniciativa da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto pretende reforçar e valorizar o que se fazia no núcleo familiar, principalmente pelos avós.

Pretende-se, igualmente, incentivar a inovação das pastelarias cabeceirenses bem como sensibilizar os agentes económicos e a população para a importância estratégica dos produtos endógenos, em especial, o mel, as ervas aromáticas, o vinho verde, o leite, as frutas, designadamente o codorno e outros produtos endógenos, no contexto do desenvolvimento do território de Cabeceiras de Basto.

O concurso pretende aliar a memória de uma alimentação de afetos ao uso dos produtos da terra e da tecnologia, reforçando e valorizando o que se fazia no núcleo familiar: incentivar a inovação na pastelaria cabeceirense; sensibilizar os agentes económicos e a população em geral para a importância estratégica dos produtos endógenos, em especial o mel de Basto, as ervas aromáticas, o vinho verde da região de Basto (Cabeceiras de Basto), o leite, as frutas da região e seus derivados, no contexto do desenvolvimento do território de Cabeceiras de Basto; e incentivar a inovação e o empreendedorismo individual ou coletivo, visando o aproveitamento desses produtos para a criação original de um doce ou bolo de matriz local.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

Ex-presidente de junta acusado de desviar 34 mil euros em Cabeceiras de Basto

António Andrade liderou a JF de Pedraça durante 12 anos.

em

Foto: Direitos Reservados

O anúncio foi feito pela Procuradoria Geral Distrital do Porto. O ex-autarca de Pedraça, Cabeceiras de Basto terá ficado com 34 mil euros da junta de freguesia de Pedraça, Cabeceiras de Basto, de que foi presidente durante 12 anos. E – diz aquele organismo – o Ministério Público da Comarca de Braga encontrou-lhe 598 mil euros, em bens e dinheiro, cuja origem não pôde explicar.

António Andrade, do Partido Socialista, ex presidente da junta, e antigo emigrante na Suiça, acaba de ser acusado de dois crimes, um de peculato e outro de falsificação.

O Ministério Público considerou indiciado que o arguido, “no exercício funcional como presidente da junta de freguesia de Pedraça, concelho de Cabeceiras de Basto, de março de 2010 a setembro de 2013, apropriou-se de 34.452 euros, pertença da autarquia”.

“A pretexto da execução de tarefas de pagamento a fornecedores e de liquidação de outros encargos, o arguido logrou que fossem preenchidos, assinados e postos em condições de ser pagos vários cheques, de que ficou portador e que logrou depositar em contas bancárias a que tinha acesso”, diz a acusação.

Em declarações a O MINHO, o atual presidente da freguesia, Luís Moita, do movimento Independentes por Cabeceiras, disse que, quando tomou posse, em outubro de 2013, encontrou diversas irregularidades na contabilidade.

Questionou, então, o presidente cessante, o qual deu apenas “respostas vagas”.

Pedraça. Foto: Divulgação

Andrade não se candidatou por ter atingido o limite de mandatos.

O novo Executivo aprovou as contas, mas sob reserva e, em simultâneo, elaborou um dossier com documentos que enviou para o Tribunal de Contas. Entre outras incongruências havia a da compra de equipamentos que nunca entraram na sede da autarquia.

O Ministério Público sublinha que fez uma investigação patrimonial e financeira ao arguido, e “liquidou 598.172 euros a título de património incongruente, isto é, património não compatível com os rendimentos lícitos do arguido, peticionando, por isso, que seja condenado, em julgamento, a pagar tal montante ao Estado”.

António Andrade, que não conseguimos contactar, era dono de uma loja de informática em Arco de Baúlhe.

Continuar a ler

Populares