Seguir o O MINHO

Cávado

Loja Social de Esposende conquista Menção Honrosa

em

A Loja Social de Esposende foi distinguida com uma Menção Honrosa, na categoria Inovação e Sustentabilidade, pela Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES), no âmbito da 4.ª edição do Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio.

A entrega do prémio ocorrerá em cerimónia pública, a realizar no terceiro trimestre deste ano, de acordo com comunicado do município de Esposende.

“Implementado em dezembro de 2011, no âmbito da Rede Social de Esposende, este projeto afirma-se como uma iniciativa de elevado potencial de empreendedorismo social, atendendo a que assenta em soluções inovadoras e sustentáveis na ajuda e apoio às pessoas que atravessam dificuldades socioeconómicas”, descreve nota da autarquia,  acrescentando que a mesma permite não só apoiar as famílias com maiores carências económicas, mas também aqueles que, com preocupações ambientais e económicas, acedem à Loja para a realização de trocas de bens, dispensando os que lhes são supérfluos e levando outros de maior utilidade.

“Esta possibilidade permite-lhes, além da reutilização dos bens, fazer face a possíveis constrangimentos económicos e promover uma consciência mais ecológica e solidária”, realçou a Câmara Municipal.

A Loja Social foi selecionada, juntamente com mais dois projetos, num universo de 52 candidaturas.

O Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio, criado em 2012 pela CASES, organismo que congrega um vasto conjunto de organizações ligadas à economia social, constitui uma forma pública e solene de homenagear as pessoas singulares e coletivas que, em cada ano, mais se tenham distinguido em domínios relevantes para a economia social.

No âmbito da inovação e sustentabilidade, pretende distinguir e premiar organizações da economia social que se tenham diferenciado pelo desenvolvimento de projetos com abordagens e soluções inovadoras e sustentáveis para uma questão socioeconómica ou ambiental.

O projeto da Loja Social está certificado como ES+ (Iniciativa de Alto Potencial em Inovação e Empreendedorismo Social) no Mapa de Inovação e Empreendedorismo Social de Portugal e valeu a nomeação para os Prémios Município do Ano Portugal 2015.

Anúncio

Barcelos

Lar em Barcelos vai ser desinfetado para permitir regresso dos utentes

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

As instalações do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, vão ser hoje desinfetadas, após o que ficarão prontas para voltar a acolher os utentes, anunciou hoje o município.

Em comunicado, a Câmara de Barcelos acrescenta que a Segurança Social vai complementar o quadro de funcionários da instituição, “uma vez que a maior parte está de quarentena”, devido a um surto de covid-19.

A instituição regista 10 infetados, entre cinco idosos e cinco funcionárias.

Os cinco idosos estão no hospital e os restantes 18 utentes foram hoje transferidos para o seminário da Silva, no concelho.

Os funcionários estão em casa.

Na segunda-feira, todos os utentes e funcionários do lar fizeram o teste de despistagem da covid-19.

Hoje serão desinfetadas todas as instalações do Centro Social, que ficarão prontas a voltar a acolher todos os utentes, logo que sejam conhecidos os resultados.

A Câmara sublinha que os utentes infetados também poderão voltar ao Centro Social, mas isolados numa ala previamente preparada para o efeito, de acordo com as orientações das autoridades de saúde.

“A situação está, por isso, contida”, refere ainda o município.

No domingo, o presidente da direção do CASP, Joaquim Pereira, em declarações à Lusa, apelou à transferência urgente dos restantes utentes por não ter condições de funcionamento.

Segundo o responsável, na altura já estavam contabilizados cinco idosos e quatro funcionárias infetados com covid-19.

Das 31 funcionárias que a instituição possui, e ainda segundo Joaquim Pereira só “menos de meia dúzia” estava ao serviço.

Das restantes, quatro estão em casa após terem testado positivo para a covid-19 e as outras ou apresentam sintomas da doença, ou estão em quarentena, incluindo as duas enfermeiras da instituição.

Portugal regista hoje 160 mortes associadas à covid-19, mais 20 do que na segunda-feira, e 7.443 infetados (mais 1.035), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O relatório da situação epidemiológica em Portugal, com dados atualizados até às 24:00 de segunda-feira, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortes (83), seguida da região Centro (40), da região de Lisboa e Vale do Tejo (35) e do Algarve, que hoje regista dois mortos.

De acordo com dados da DGS, há 7.443 casos confirmados, mais 1.035 (um aumento de 16,1%) face a segunda-feira.

Continuar a ler

Barcelos

Lar de Barcelos evacuado

Covid-19

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Quatro dos cinco utentes do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, infetados com Covid-19, foram esta madrugada transportados pela Cruz Vermelha de Aldreu (Barcelos ) e pela Cruz Vermelha da Maia para o Hospital de Barcelos.

Um outro utente, em condições mais graves, foi transportado para o Hospital de Braga, apurou O MINHO no local.

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Eram 19:30 quando o primeiro infetado foi transportado pelos Bombeiros de Barcelinhos para o Hospital de Barcelos. Depois, acabou por ser reencaminhado para o Hospital de Braga.

Os restantes utentes, depois de uma longa espera pelos serviços da Cruz Vermelha, foram transportados cerca das 02:00 desta madrugada, para o Hospital de Barcelos.

Os restantes 19 utentes que não acusaram positivo para a infeção do novo coronavírus devem ser transportados para o seminário de Silva, também em Barcelos, ao longo do dia de hoje.

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Esta movimentação deve-se à falta de funcionários no CASP. Segundo Miguel Costa Gomes, autarca de Barcelos, o CASP “não tem condições internas”, tanto a nível de instalações como de pessoal, para garantir o necessário isolamento, separando os infetados dos não infetados.

“Vamos retirar do lar os que não estão infetados e colocá-los uma unidade de saúde privada”, tinha dito Costa Gomes na segunda-feira.

No domingo, o presidente da direção do CASP, Joaquim Pereira, disse à Lusa que já estavam contabilizados cinco idosos e quatro funcionárias infetados com covid-19.

Os cinco utentes que testaram positivo estiveram em isolamento na instituição. Os restantes 19 utentes mantinham-se assintomáticos.

Das 31 funcionárias que a instituição possui, e ainda segundo Joaquim Pereira, só “menos de meia dúzia” estava ao serviço.

Das restantes, quatro estão em casa após terem testado positivo para a covid-19 e as outras ou apresentam sintomas da doença, ou estão em quarentena, incluindo as duas enfermeiras da instituição.

Ontem foram feitos testes a todos os utentes e funcionários, para apurar o real ponto da situação.

Segundo o presidente da câmara, o caso da Pousa é, em termos de instituições, o “mais difícil” no concelho, uma vez que evoluiu “de uma forma muito rápida”. De resto, acrescentou o autarca, está “tudo sereno”.

No concelho, há 650 utentes em lares, contando-se ainda 646 em centros de dia e 444 que têm apoio domiciliário.

Continuar a ler

Cávado

Esposende apoia escolas com cerca de 22 mil euros

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara de Esposende vai atribuir 21.876 euros em apoios financeiros aos agrupamentos escolares do concelho para “comparticipar despesas decorrentes” das atividades educativas ou “materiais didático-pedagógicos”, anunciou hoje aquela autarquia.

Em comunicado, a câmara de Esposende, distrito de Braga, refere que a autarquia “tem tido a preocupação de apoiar a comunidade escolar, tentando promover a igualdade de acesso de todos os alunos a uma educação de qualidade, bem individual e coletivo ao serviço de cada um, de todos e da sociedade”.

Do montante anunciado, 12.600 euros serão canalizados para o Agrupamento António Correia de Oliveira e 9.276 euros para o Agrupamento António Rodrigues Sampaio, tendo por base o valor de 12 euros por criança/aluno.

“Constituindo a Educação Pré-Escolar e o 1.º Ciclo do Ensino Básico o início de um processo basilar de educação e formação ao longo da vida, imprescindível para responder aos desafios pessoais e sociais, e tendo em conta as inúmeras atividades desenvolvidas pelas escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Jardins de Infância da rede pública, a Câmara Municipal tem garantido a comparticipação de diversas despesas, nomeadamente nas que se reportem a atividades educativas, materiais didático-pedagógicos, entre outros”, lê-se.

Continuar a ler

Populares