GNR faz buscas a carteiro por devassar vida a mulher em Amares - O MINHO
Redes Sociais

GNR faz buscas a carteiro por devassar vida a mulher em Amares

A casa do carteiro, em Santa Maria de Bouro, alvo de buscas da GNR de Amares. Foto: O MINHO

Braga

GNR faz buscas a carteiro por devassar vida a mulher em Amares

A GNR de Amares fez buscas na residência de um carteiro, na freguesia de Santa Maria do Bouro, suspeito do crime de devassa da vida privada, contra uma mulher mais nova, da mesma localidade do concelho de Amares, tendo-lhe apreendido material informático.

O suspeito, que continua para já em liberdade, tem cerca de 30 anos, sendo solteiro, com naturalidade e residência em Santa Maria de Bouro, perto do Mosteiro e da Pousada, que alegadamente terá devassado a vida de uma mulher, com 25 anos, suspeitando-se que na origem da perseguição aos movimentos da jovem estará uma tentativa de relacionamento.

Segundo apurou O MINHO, as primeiras “intromissões” na vida da jovem, que só agora, com as buscas domiciliárias da GNR de Amares, ficou a saber quem era afinal o homem que a “perseguia”, terá começado em outubro de 2017, mas intensificaram-se de tal modo, em especial na altura das festividades natalícias, que fez uma queixa contra desconhecidos e levou à investigação da Guarda Nacional Republicana, chegando assim até ao suspeito.

Alexandre Braga, conhecido por “Xano”, ou por “Filho do Armador”, viu a casa cercada por vários militares, no sábado de manhã, que entraram pela Rua da Vinha e pela Travessa da Veiga, junto a um lar de idosos, após aturadas investigações criminais, relacionadas com telefonemas durante a noite e o envio de emails, sempre com falsa identidade, que aterrorizavam a vítima, residente num outro lugar da freguesia de Santa Maria de Bouro.

A GNR apreendeu, na casa em que vive com os seus pais, ao funcionário dos CTT, dois tablets, um computador portátil, vários discos rígidos, um telemóvel e a fatura da compra de material informático através da internet, tendo-o apanhado completamente de surpresa.

Para já, o carteiro foi constituído arguido e sujeito ao termo de identidade e residência, da parte do Destacamento Territorial da Póvoa de Lanhoso, através do seu Posto de Amares, seguindo-se peritagem ao material informático e mais diligências da mesma investigação.

Jornal digital da região do Minho.

Mais Braga