Seguir o O MINHO

Alto Minho

Empresa de Cerveira dá uma semana de férias extra por bebé nascido

Plasticerveira oferece várias regalias aos colaboradores

em

Foto: DR

Uma semana de férias extra por bebé nascido, folga no dia de aniversário, um dia extra de férias como prenda de Natal, sessões de team building e liberdade para marcar férias. São algumas das regalias que uma empresa de Vila Nova de Cerveira dá aos seus funcionários.

A Plasticerveira está a fazer dez anos de vida e há novidades a caminho.

“Eu também já fui pai e sei da importância de estar em casa nos primeiros tempos dos nossos filhos”. É esta a justificação de Paulo Silva, gerente da empresa, para desde há quatro anos a esta parte ter avançado com a medida que prevê aos trabalhadores ficaram uma semana extra de férias, “quando quiserem”, com os filhos recém-nascidos.

Já houve vários trabalhadores a usufruírem desta boa-prática. “Um inclusive beneficiou dela duas vezes”. Aliás, a própria directora de Recursos Humanos, Paula Sousa, grávida, será uma das próximas a poder por em prática a medida.

“Quando entrei para a empresa, sentimos necessidade de uniformizar as boas-práticas que já existiam sempre com o objectivo da Plasticerveira ser um local de trabalho seguro e que promove o bem-estar dos trabalhadores”, diz Paula Sousa que vai longe: “desde que começamos a divulgar esta nossa filosofia, temos recebido muitos mais currículos e já nem precisamos de colocar anúncios”.

Só no último mês foram contratadas três pessoas com base nesta filosofia. Mas os ‘benefícios’ para os colaboradores são mais alargados.

“Todos os anos fazemos um piquenique o dia todo, sessões de team building, comemoramos os aniversários de todos, em que cada um traz o bolo, e como prenda no último Natal demos um dia extra de férias”, acrescenta Paulo Silva.

Certificação

Outra das medidas adotadas passa pela certificação ao nível da segurança de todos os trabalhadores: “construímos um novo espaço para a parte administrativa, colocamos janelas para entrar mais luz natural e para postos não tão rotativos pusemos tapetes anti-stress”.

Há ainda protocolos com óticas e osteopatas, com “vantagens para os nossos trabalhadores”, uma medida tomada depois uma acção de rastreios na própria empresa para lembrar o Dia Nacional da Saúde no Trabalho.

No segredo dos Deuses está o próximo passo: “é uma iniciativa que julgamos ser inovadora”, diz Teresa Silva do Departamento Comercial.

A celebrar dez anos de vida, no próximo mês de maio, para além de “um conjunto de surpresas”, a Platicerveira terá um novo site, uma nova imagem e irá criar uma marca própria.

“O nosso crescimento obriga-nos a esta mudança e a preparar o futuro”, acrescenta Teresa Silva.

Novas instalações

O crescimento da empresa, mesmo numa altura em que os plásticos andam tão mal tratados, levou os corpos gerentes a avançar com a mudança de instalações.

“Será a médio-prazo e será um projeto que terá algum impacto”, revelou Paulo Silva sem querer entrar em mais detalhes.

Ainda assim reconhece que “iremos contratar mais pessoas e investir em equipamento e tecnologia”. Estas premissas do bem-estar social irão, também, para o novo espaço e serão reforçados: “isto não pode ser só uma indústria, tem que ser como uma família porque passamos mais tempo aqui do que nas nossas casas”.

Com 24 colaboradores, a empresa funciona em três turnos, 24 horas por dia. “Não temos desperdício no nosso processo de fabrico. Tudo o que sobra volta a ser reaproveitado”, lembra Teresa Silva. “98% da nossa produção é para exportação, sobretudo, para Espanha”.

Colaboradores

Com o média de idades a rondar os 33 anos, os colaboradores “têm o perfil ideal para aceitar a mudança e a inovação”, reconhece Paula Sousa.

“Se queremos avançar para uma gestão integrada temos que ter a colaboração de todos porque sem eles não conseguimos”. Por isso, a preocupação “é facilitar o trabalho no dia-a-dia porque irá aumentar a motivação para o trabalho”.

Anúncio

Alto Minho

Carro arde em Arcos de Valdevez

Acidente

em

Foto: Facebook de Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez

Uma viatura ligeira ficou destruída na sequência de um incêndio rodoviário, ocorrido ao início da tarde deste sábado, na campo do Trasladário, em Arcos de Valdevez.

Para o local foram mobilizados cinco elementos dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, apoiados por uma viatura de combate a incêndios e um veículo táctico.

Foto: Facebook de Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez

As circunstâncias em que ocorreu o incêndio estão ainda por apurar.

Não há feridos a registar.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Foca resgatada com vida em Viana

Em Areosa

em

Foto: Divulgação / Autoridade Marítima Nacional

Uma foca foi assistida e resgatada pelas autoridades na costa da freguesia de Areosa, em Viana do Castelo, onde o animal estava arrojado, foi hoje anunciado.

A foca deu à costa na orla marítima da praia do Porto de Vinha, junto ao campo de futebol do Areosense.

Terá sido encontrada por populares que deram o alerta para a autoridade marítima local, no caso, o comando da Polícia Marítima de Viana do Castelo, que assinalou a ocorrência.

A Polícia Marítima delimitou o espaço onde a foca se encontrava, desconhecendo-se as causas que levaram ao arrojo da mesma.

De forma a prestar a assistência ao mamífero aquático, deslocaram-se para o local elementos vindos do Centro de Reabilitação de Animais Marinhos (CRAM), situado em Quiaios, distrito de Aveiro, e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Depois de estabilizado e assistido, o animal foi transportado para Quiaios por elementos do CRAM, para posteriormente ser devolvido ao seu habitat.

O arrojo da foca ocorreu a 13 de fevereiro, mas só hoje foi divulgado pela Autoridade Marítima Nacional.

Continuar a ler

Alto Minho

Homem de 88 anos atropelado em Caminha fica em estado grave

Em Lanhelas

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, com 88 anos, sofreu ferimentos graves na sequência de um atropelamento, ao final da manhã deste sábado, em Lanhelas, concelho de Caminha.

Ao que apurou O MINHO, o homem terá sido abalroado por uma viatura na Rua Ilídio Couto, próximo da igreja paroquial daquela freguesia, acabando por sofrer múltiplas fraturas, inspirando bastante cuidado.

No local estiveram os Bombeiros de Caminha, com uma ambulância e dois operacionais, apoiados pela equipa médica da VMER do centro hospitalar do Alto Minho.

Dada a gravidade dos ferimentos, a vítima foi transportada pelos bombeiros caminhenses para o Hospital de Braga.

A GNR também esteve no teatro de operações com uma patrulha e dois militares, registando a ocorrência.

Continuar a ler

Populares