Redes Sociais

Condenada por difamar comandante da GNR do Gerês

Foto: O MINHO

Braga

Condenada por difamar comandante da GNR do Gerês

Uma comerciante foi condenada por difamar o comandante do Posto da GNR do Gerês, 1º sargento Hélder Branco, com pena de multa de 150 dias, quantificada em 900 euros, além de indemnização de 2.500 euros a este graduado da Guarda Nacional Republicana (GNR).

A comerciante, estabelecida junto ao Santuário do Sãobentinho, em Seara, freguesia de Rio Caldo, em Terras de Bouro, terá ainda a pagar dois mil euros em custas processuais.

Os factos ocorreram em 14 de abril de 2014, data em que a arguida elaborou e remeteu ao Comando Geral da GNR, em Lisboa, uma carta-exposição, na qual referia que estava a ser “vítima de uma perseguição” por parte do comandante do Posto da GNR do Gerês, que seria “motivada por interesses pessoais”, tendo solicitado que tomasse providências.

A carta elaborada pela comerciante foi depois arquivada pela Inspeção Geral da GNR, “por ser totalmente infundada”, tendo o 1º sargento Hélder Branco movido uma queixa, levando a um julgamento que teve sentença de primeira instância no Tribunal de Lisboa, em condenação por crime de difamação agravada, na pessoa deste comandante da GNR.

Jornal digital da região do Minho.

Mais Braga