Seguir o O MINHO

Braga

Braga: D. Jorge Ortiga, o bispo há mais tempo em funções em Portugal

Arcebispo de Braga e Primaz das Espanhas tomou posse a 18 de Julho de 1999

em

Jorge Ferreira da Costa Ortiga, D. Jorge Ortiga, comemora vinte anos como Arcebispo de Braga. Nasceu, cresceu e foi ordenado em Braga, antes de ir para Roma, esteve na paróquia de S. Vítor e foi o movimento focolare que lhe ‘moldou’ o pensamento e a forma de estar na vida, na sociedade e na igreja.

“Praticar a alegria e a amizade” é um dos legados que gostaria de deixar ficar. A oração e os amigos irão ficar a ganhar quando o Santo Padre aceitar a sua resignação.

Para marcar esta importante efeméride, é apresentado, publicamente, o livro “D. Jorge Ortiga – Semeador da alegria e construtor da unidade”.

Uma publicação da autoria do jornalista Ricardo Perna com prefácio do Cónego João Aguiar Campos, e apresentada por D. Nuno Almeida, bispo auxiliar da diocese bracarense.

D. Jorge Ortiga é o bispo há mais tempo em funções em Portugal. É uma personalidade que marcou a Igreja em Portugal nos últimos quarenta anos. Com 75 anos e depois de atingir o limite de idade para continuar no cargo, o ainda Arcebispo de Braga já entregou o pedido de renúncia ao Papa.

Responsáveis da editora ‘Paulus’ dizem que “a sua vida é uma feliz divina coincidência, com todos os movimentos pós-Concílio Vaticano II, sem esquecer a dura realidade da luta pela liberdade no 25 de Abril, e principalmente nos anos que se seguiram à Revolução dos Cravos”.

Quem com ele lida de perto, reconhece que “tem sido arquiteto de uma vida em Igreja em busca da unidade, contra a uniformidade”.

Apesar dos seus setenta e cinco anos, e de já ter entregado a renúncia ao Papa Francisco, são os seus colaboradores diretos que, mesmo sendo mais novos, falam “do seu ritmo acelerado de trabalho, que não lhes deixa tempo para respirar”.

Seminário

Natural de Brufe, Vila Nova de Famalicão, D. Jorge Ortiga recorda numa entrevista, hoje, divulgada através da editora ‘Paulus’ que teve “uma infância feliz integrado numa boa família e a crescer num bom ambiente paroquial. Nasci numa família de rendimento médio, onde não faltava o essencial em contraponto com muitos dos meus colegas de escola”.

Os pais têm um papel fundamental: “são extraordinários marcados pela ideia do trabalho, conscientes do cumprimento escrupuloso dos deveres, com uma educação orientada para os valores, coerência, honestidade, transparência e no sentido de pertença numa comunidade, que eles praticavam”.

A ‘vocação’ para o sacerdócio vem desde pequeno: “desde que me lembro, disse que queria ser padre e punha-me a celebrar missas, batizados ou casamentos”, refere na mesma entrevista. “Quando falam na vocação, é um chamamento que entra e não se sabe porquê. Foi acolhida tremendamente pelos meus pais que manifestaram maior alegria que eu”.

No seminário tem 135 jovens como ele e reconhece que nunca passou por um “período de crise” mas teve “muitas interrogações”, sobretudo, sobre o papel da igreja.

“Nós tínhamos a pessoa do diretor espiritual, um bom diretor, que era jesuíta. Eu ordenei-me em 1967 e o concílio foi 65. Vivíamos no signo da necessidade da mudança, da reforma. Por isso a minha crise não foi tanto sobre a fé, mas mais por uma igreja diferente”.

Focolares

O movimento Focolare mudou a forma de estar de D. Jorge Ortiga. Conheceu o movimento no primeiro ano de padre, quando coadjuvava na paróquia de S. Vitor e ainda antes de ir estudar para Roma. “Encontrei uma espiritualidade que oferecia um rosto de igreja mais jovem, atraente, mais sedutora em tudo”, justifica.

Depois, a vivência dessa espiritualidade foi a ‘cereja em cima do bolo’: “no concreto essa espiritualidade expressava-se através da música, em comunhão com o mundo inteiro, uma igreja mais aberta, mais presente na comunidade”.

Aliás os ‘Focolares’ traziam para a discussão assuntos que a própria igreja não queria abordar na altura, como o ecumenismo. “Nos anos 70, falava-se nos Focolares do diálogo inter religioso que estava no concílio mas não estava a ser posto em prática, falava-se da relação com os não- crentes e foi aí que encontrei a igreja numa linha de renovação”.

Roma

A ida para Roma “foi uma graça” e a experiência comunitária junto com outros sacerdotes haveria de o marcar: “às quintas-feiras não havia aulas, deixava o colégio e ia viver uma experiência comunitária com outros sacerdotes, padres de todo o mundo e isso marcou-me”.

A linha de pensamento do arcebispo de Braga começa a ser moldada: “não sou capaz de ver a igreja fora do modelo da santíssima trindade, os três distintos, diferentes mas os três unidos num só Deus, do amor que deles resulta que é o único preceito que temos. Depois uma igreja onde não há ricos nem pobres, mas que existem e temos que estar atentos”.

Futuro

D. Jorge Ortiga é o bispo em funções há mais anos e é o seu preceito de vida o segredo para esta longevidade: “eu procuro acordar todos os dias e vivê-los como únicos, com o mesmo entusiasmo e a mesma dedicação. Encarar serenamente o dia-a-dia”.

Em Março apresentou a resignação ao Papa Francisco que ainda não foi aceite: “estou à espera e uma das normas é viver o momento presente com a mesma dedicação e entusiasmo. Deus dá-me a tranquilidade porque não preciso de me preocupar para onde ir, não faltam lugares onde possa estar”, refere na mesma entrevista.

Depois de descansar um pouco, “não quero estar na inactividade mas quero continuar a trabalhar. Uma coisa de que gostaria ter era mais tempo para a oração e para cultivar a amizade”.

Anúncio

Braga

Concerto de Bryan Adams em Braga é já amanhã

No Altice Forum Braga

em

Foto: DR/Arquivo

O concerto foi divulgado em março, e em abril já não havia bilhetes, e enfim está a chegar o dia em que Bryan Adams vai atuar em Braga, é já este sábado, no Altice Forum Braga.

O músico vai apresentar o seu novo álbum “Shine A Light”, editado com 12 temas no início de março, e percorrer os êxitos da sua carreira.

Bryan Adams, que já está em digressão com o novo registo, esteve pela última vez em palcos portugueses em 2016. Dois anos antes, inaugurou uma exposição de fotografia em Cascais, com uma centena de retratos a personalidades do entretenimento, da cultura e da moda.

Recorde-se que o cantor, que completou 60 anos em novembro, morou parte da infância e adolescência em Portugal, devido ao seu pai ter sido embaixador.

Na noite anterior ao concerto em Braga, Bryan Adams estará em Lisboa, num espetáculo na Altice Arena.

Trânsito e sustentabilidade

Na digressão que Bryan Adams está a fazer pelo mundo, há uma parceria com o operador logístico DHL, que ajudará a plantar uma árvore por cada bilhete vendido nos concertos.

Por causa do concerto, a Câmara de Braga anunciou que é proibido o trânsito e estacionamento automóvel na Avenida Dr. Francisco Pires Gonçalves, a partir das 14:00 de sábado até às 02:00 de domingo.

Continuar a ler

Braga

Empresa de Braga entre as 75 “mais promissoras” da Europa

Lista da Comissão Europeia

em

Fundadores da Smartex. Foto: enviada a O MINHO

A Comissão Europeia incluiu a empresa bracarense Smartex entre as 75 europeias “promissoras” que beneficiarão da maior vaga de investimento até ao momento de um projeto piloto do Conselho Europeu de Inovação (CEI), no valor global de 278 milhões de euros.

Jovens empreendedores de Barcelos e Esposende criaram a firma, uma startup que já recebeu 250 mil euros de um investidor dos Estados Unidos. Prometem poupar milhões de euros à indústria: “Podemos reduzir os defeitos na produção para 0%”.

O executivo comunitário divulgou, na quinta-feira, a lista de 75 Pequenas e Médias Empresas (PME) e startups “promissoras” em inovações revolucionárias que foram selecionadas naquela que é a maior vaga de financiamento até ao momento do projeto piloto melhorado do CEI, e que apresenta como grande novidade o chamado financiamento misto.

Querem revolucionar a indústria têxtil – e já estão na China a tratar disso

Mais de metade destas 75 empresas, designadamente 39, beneficiarão em simultâneo de subvenções e de investimentos diretos em capitais próprios, o que se aplica a duas das três empresas portugueses escolhidas.

Para além da PME bracarense, em Portugal, foram ainda selecionadas a Ophiomics, uma empresa biotecnológica de Lisboa, e a AddVolt, uma startup tecnológica do Porto, sendo que a de Braga e a de Lisboa beneficiarão do financiamento misto.

“Fico satisfeita por saber que esta primeira oferta mista de subvenções combinadas com financiamento de capitais próprios teve uma procura tão elevada por parte das empresas em fase de arranque e das PME europeias. Isto confirma que o Conselho Europeu de Inovação está a colmatar uma lacuna de financiamento, e é legítimo que passe a ser uma iniciativa de pleno direito para o próximo orçamento da UE”, comentou a comissária Mariya Gabriel, que substituiu Carlos Moedas como responsável pela pasta da Inovação e Investigação, na nova Comissão Von der Leyen.

Continuar a ler

Braga

Residencial ‘fantasma’ junto à EN 101 vai ser hotel de quatro estrelas

Em Vila Verde

em

Residencial Martins (2019). Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

A Residencial Martins, espaço de restauração situado à face da Estrada Nacional 101, no centro de Vila Verde, vai ser alvo de intervenção durante os próximos anos, de forma a criar uma unidade hoteleira de quatro estrelas.

O edifício foi, recentemente, comprado pela Santa Casa da Misericórdia local, que pretende investir em alojamento de luxo no centro daquela vila. A empreitada está incluída na previsão de orçamento para 2020, que ultrapassa os 25 milhões de euros.

Residencial Martins está ‘abandonada’ há mais de uma década

De acordo com o provedor da instituição, Bento Morais, antigo presidente da Câmara (CDS), este é “mais um desafio” para aquela direção.

Espaço mítico no concelho, a Residencial Martins foi palco de muitos casamentos dos locais e de dormida para os forasteiros, ao longo de várias décadas, até que um evento trágico – morte do proprietário – forçou o fechar de portas.

Residencial Martins era ponto de encontro em Vila Verde. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Apesar do ar fantasmagórico, o espaço continuou a ser visitado pelos proprietários e, nem as mesas da parte da restauração, ou até as espreguiçadeiras das varandas dos quartos, viradas para a EN 101, saíram do lugar.

Continuar a ler

Populares