Seguir o O MINHO

Futebol

Benfica campeão nacional de futebol

Última jornada da I Liga

em

O Benfica chegou hoje ao 37.º título de futebol da sua história, numa época em que teve duas caras e renasceu com a entrada, quase a meio do campeonato, do treinador Bruno Lage.

Na edição 2018/19 da I Liga é obrigatório dividir o percurso das ‘águias’ num ‘antes’ e ‘depois’: em vitórias, em golos, em jogadores reabilitados, e, claro, no treinador, com a chegada de um homem ‘da formação’ a ser em janeiro a vitamina que se revelou eficaz.

Com uma campanha sofrível até novembro e dezembro – eliminado também da ‘champions’ -, o clube ainda resistiu à saída do anterior técnico, Rui Vitória, segurado pelo presidente Luís Filipe Vieira no final de novembro de 2018.

Para tudo mudar foi preciso esperar pelo início de janeiro e por nova derrota no campeonato, a terceira (com Portimonense fora e antes com Belenenses fora e Moreirense em casa), a que se juntam dois anteriores empates (Sporting e Chaves).

Rui Vitória, o treinador que esteve nos títulos de 2015/16 e 2016/17, deixou de ter margem de manobra e a solução, que parecia de recurso, recaiu em Bruno Lage, jovem treinador de 42 anos, até então na equipa B.

O futebol, muitas vezes, ‘pobre’, deu gradualmente espaço a uma equipa renovada, confiante, dominadora e goleadora, capaz de chegar hoje a uma série invencível de 19 jogos, com 18 triunfos e um empate.

Números que permitiram ao Benfica passar – com a entrada de Lage – de quarto classificado à 15.ª ronda, a sete pontos do FC Porto, para líder do campeonato, uma reviravolta consumada no Estádio do Dragão (com triunfo por 2-1 em 02 de março).

As ‘águias’ ficaram à 24.ª jornada apenas dependentes de si para serem campeãs, num percurso em crescendo, em sentido inverso ao realizado pelo FC Porto, com várias perdas de pontos em momentos capitais.

Às vitórias, a cada fim de semana, juntaram-se a números impressionantes e dois golpes nos principais rivais, nos seus redutos: em Alvalade, com uma exibição de gala a dar uma vitória por 4-2, e, depois, no Dragão.

O ‘novo’ Benfica mostrou ainda uma inacreditável veia goleadora, com sucessivas vitórias por quatro ou mais golos, chegando até à maior goleada nos últimos 55 anos em jogos da Liga, ao vencer na Luz o Nacional por 10-0, na 21.ª jornada.

Com Bruno Lage o Benfica marcou 68 golos, o que lhe permitiu um total de 103, igualando o registo de 1963/64, então num campeonato disputado por 14 equipas.

A entrada de Bruno Lage deu ainda sentido e elogios à formação, com o treinador a aproveitar desde logo João Félix, que, de pouco aproveitado por Rui Vitória, passou a indiscutível, com a equipa a mudar taticamente.

Félix, que tinha sido duas vezes titular até janeiro, tornou-se o exemplo de um novo Benfica, marcou golos, deu a marcar, e tornou-se o ‘rosto’ de uma equipa renascida, que aproveitou também os jovens ‘B’ Ferro e Florentino, e viu aparecer o melhor Rafa de sempre.

Com ele mostraram-se também Gabriel, até o médio brasileiro se lesionar, que tinha apenas quatro jogos a titular, ou o grego Samaris, que de ‘proscrito’ (com seis minutos na ‘era’ Rui Vitória), passou a peça nuclear no campeão.

O Benfica campeão, que contou ainda com a melhor época do avançado suíço Seferovic, que apontou um total de 23 golos na competição, depois de agarrar o lugar devido a um castigo de Jonas na derrota em Portimão, tem o rosto de Bruno Lage, sem medo de dar jogo a Félix (19 anos), Florentino (19 anos) ou Ferro (22 anos), na aposta que fez em Gabriel ou na reabilitação de Samaris. Mas também pela tática, a coragem, a ousadia de jogar para o espetáculo, com resultados.

Anúncio

Futebol

Lucas Evangelista é reforço do Vitória

Por empréstimo do Nantes

em

Foto: Divulgação / VSC

O médio Lucas Evangelista reforçou hoje o Vitória Sport Club (SC) para a temporada 2019/20, emprestado pelos franceses do Nantes, e vai competir novamente na I Liga portuguesa de futebol, após já ter representado o Estori Praia.

O clube minhoto informou ainda, na nota hoje publicada no sítio oficial, que detém “uma opção de compra de 100% dos direitos económicos” do jogador por quatro milhões de euros, ou de 50% desses direitos por uma verba de dois milhões.

O futebolista brasileiro, de 24 anos, que tanto pode atuar a médio ofensivo ou a extremo, vai reencontrar o treinador Ivo Vieira, com quem trabalhou na equipa da linha durante a época 2017/18, na qual marcou quatro golos em 36 partidas oficiais.

Após a transferência para o Nantes, da Liga gaulesa, no verão passado, Lucas Evangelista começou a época a titular, mas após a saída do técnico português Miguel Cardoso, no final de setembro, perdeu espaço, tendo contabilizado 19 jogos oficiais e um golo marcado em 2018/19.

Formado no Desportivo Brasil e no São Paulo, emblema pelo qual fez os primeiros jogos como sénior, em 2014, o jogador representou ainda a Udinese, da I Liga italiana, nas épocas 2014/15 e 2016/17, e o Panathinaikos, da I Liga grega, em 2015/16, por empréstimo dos transalpinos.

Lucas Evangelista é o 10.º reforço dos vimaranenses para a época em curso, depois do guarda-redes Jhonatan, dos defesas Lucas Soares e Bondarenko, dos médios Mikel Agu, Blati Touré e Dénis Poha e dos avançados André Pereira, João Pedro e Bruno Duarte.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense empata (0-0) em Setúbal

Liga NOS

em

Foto: Moreirense FC

O Vitória de Setúbal e o Moreirense empataram hoje 0-0, na partida que inaugurou a terceira jornada da I Liga de futebol, realizada no Estádio do Bonfim, em Setúbal.

Com este desfecho, os sadinos continuam sem marcar no campeonato e sem vencer [empataram dois e perderam um], enquanto os ‘cónegos’, três semanas depois de terem sido eliminados da Taça da Liga pelo Vitória de Setúbal, somam agora quatro pontos na prova.

Numa primeira parte de fraca qualidade, em que os setubalenses se mostraram mais intranquilos, as oportunidades de perigo junto de ambas as balizas foram uma miragem até aos 35 minutos. Uma perda de bola de Carlinhos permitiu ao Moreirense, em contra-ataque, visar a baliza de Makaridze, guarda-redes que travou o remate de Pedro Nuno.

A ameaça espevitou a equipa de Sandro Mendes, que ainda não marcou na presente edição do campeonato. Aos 36, o marroquino Hachadi, após cruzamento de Éber Bessa, cabeceou ao lado do poste esquerdo, deixando o público presente no Bonfim incrédulo.

Após o intervalo, aos 48 minutos, o Vitória de Setúbal esteve perto de inaugurar o marcador, num livre direto cobrado por Éber Bessa que passou poucos centímetros acima da trave da baliza de Mateus Pasinato.

Apesar do aviso dos sadinos, o Moreirense ficou perto de materializar o domínio exercido até aí, quando, aos 69 minutos, Iago, depois de um canto na direita, ter permitido a defesa atenta de Makaridze.

Nos últimos 20 minutos, os comandados de Sandro Mendes mostraram mais dinâmica do que nos 70 anteriores. Guedes, que aos 67 tinha substituído Carlinhos, ficou perto do golo num lance em que o guardião dos ‘cónegos’ evitou males maiores, quando a bola levava a direção da baliza.

Ficha de jogo:

Jogo disputado no Estádio do Bonfim, em Setúbal.

Vitória de Setúbal – Moreirense, 0-0.

Equipas:

– Vitória de Setúbal: Makaridze, Mano, Artur Jorge, Bruno Pirri, Sílvio, José Semedo, Carlinhos (Brian Mansilla, 71), Nuno Valente, Éber Bessa, Zequinha (Mathiola, 86) e Hachadi (Guedes, 67).

(Suplentes: Milton Raphael, João Meira, André Sousa, Mathiola, Kigi Sekgota, Brian Mansilla e Guedes).

Treinador: Sandro Mendes.

– Moreirense: Mateus Pasinato, João Aurélio, Iago, Steven Vitória, Abdu Conté, Fábio Pacheco, Alex Soares, Filipe Soares (Luther, 66), Bilel, Fábio Abreu (Nenê, 77) e Pedro Nuno (Sori Mané, 84).

(Suplentes: Trigueira, Rosic, D’Alberto, Sori Mané, Luther, Machado e Nenê.

Treinador: Vítor Campelos.

Árbitro: Iancu Vasilica (AF Vila Real).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Bruno Pirri (38), Éber Bessa (56), Steven Vitória (58) e Brian Mansilla (73).

Assistência: cerca de 3.500 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

Famalicão preparado para contrariar dificuldades do Vitória SC

Famalicenses lideram o campeonato a par do Benfica

em

João Pedro Sousa. Foto: Arquivo

O treinador do Famalicão, João Pedro Sousa, admitiu esta sexta-feira estar consciente das dificuldades que vai encontrar frente ao Vitória Sport Club (SC), mas disse que a equipa está preparada para contrariar os minhotos na I Liga de futebol.

O técnico da equipa famalicense, que lidera o campeonato a par do Benfica, manifestou “a certeza que vai ser um jogo de grau de dificuldade máxima”, mas lembrou os triunfos sobre Santa Clara (2-0 fora) e Rio Ave (1-0 em casa) das duas primeiras rondas.

“As anteriores partidas também foram. E mesmo assim demos boas respostas. O nosso adversário é competente, já tem muito tempo de competição nas pernas e ainda não perdeu. Sabemos as dificuldades que vamos encontrar, mas estamos preparados”, garantiu o treinador na véspera da visita a Guimarães.

João Pedro Sousa acredita que o Vitória “vai estar na máxima força” e reforçou que o Famalicão está preparado “para um jogo competitivo frente a uma equipa extremamente competente”.

“Espero que seja um jogo bom. Que os adeptos gostem do jogo. Estão reunidas as condições para um excelente jogo e que vença o Famalicão”, atirou ainda.

O único objetivo de João Pedro Sousa é manter a tendência vitoriosa das duas primeiras jornadas, frente a um adversário que contabiliza um empate na segunda ronda, com o Boavista, depois de o encontro da primeira jornada, com o Rio Ave, ter sido adiado.

“Vamos contrariar a competência dos nossos adversários com a nossa forma de jogar. Vamos tentar dominar logo desde o início, controlar para anular essas dinâmicas e tentar assumir e vencer”, explicou ainda.

O Vitória SC e o Famalicão jogam a partir das 21:00 de domingo.

Continuar a ler

Populares