Seguir o O MINHO

Guimarães

Hospital de Guimarães adere a sistema de vigilância de Traumatismos e Acidentes

em

Foto: DR

O Hospital de Guimarães aderiu ao sistema de Epidemiologia e Vigilância dos Traumatismos e Acidentes (EVITA), passando a registar os acidentes domésticos e de lazer que levam os utentes ao Serviço de Urgência, anunciou hoje aquela unidade hospitalar.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Hospital de Guimarães explicou que aquela adesão vai contribuir para “determinar as frequências e tendências dos acidentes e das suas diversas formas, bem como as características das vítimas, das situações e dos agentes envolvidos”.

O EVITA, coordenado pelo Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), em colaboração com a Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS), é um “instrumento de observação em saúde que recolhe e analisa notificações no Serviço de Urgência”.

A longo prazo, explica o texto, “os objetivos passam pela identificação de situações de risco, bem como de produtos perigosos ou que propiciem a ocorrência deste tipo de acidentes”, sendo que o sistema permite “uma base de conhecimento para apoio da definição de políticas de prevenção baseadas na evidência”.

“Os acidentes levam à morbilidade, que muitas vezes pode ser evitável. Isto significa maiores gastos em termos de saúde e perda de qualidade de vida. Com a adesão a este sistema, esperamos ficar a conhecer melhor a tipologia destes acidentes dos cidadãos que acorrem ao nosso Serviço de Urgência”, explica a diretora clínica do Hospital de Guimarães, Maria José Costeira.

A responsável adianta que “com este conhecimento é possível estudar e eventualmente intervir no ambiente externo, assim como informar a população sobre medidas preventivas que possam minimizar estas situações”.

Para integrar o EVITA, o Hospital de Guimarães está a formar, com a ajuda do INSA, os assistentes técnicos do seu Serviço de Urgência no sentido de “possibilitar esta monitorização, mediante o registo de casos aplicáveis nos sistemas informáticos, contribuindo para o registo mais adequado e o mais completo possível dos casos”.

Os acidentes domésticos e de lazer são considerados pela Organização Mundial de Saúde como um grave problema de saúde pública com impacto no desenvolvimento económico e social, representando uma causa de sofrimento humano e fonte de despesa considerável nos orçamentos dos sistemas de saúde.

São entendidos como todos os acidentes domésticos e de lazer registados no serviço de urgência, cuja causa não seja doença, acidente de viação, acidente de trabalho ou violência.

Segundo os últimos resultados do sistema EVITA, referentes ao período 2013-2015, registou-se um total de 26.681 de acidentes deste tipo em Portugal. As lesões causadas por “queda” e verificadas em “casa” foram as mais frequentes.

Os dados mostram ainda que os grupos etários mais associados a estes acidentes são registados foram os de indivíduos dos zero aos 14 anos e com 65 e mais anos.

Populares