Seguir o O MINHO

Alto Minho

Viana do Castelo recebe 9.ª Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos

em

Viana do Castelo recebe, entre 14 e 16 de setembro, no Instituto Politécnico de Viana do Castelo, a nova edição das Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos, que está associada à 3ª edição da Wastes Solutions Conference: Treatments and Opportunities, numa organização conjunta da Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental (APESB) e do Centro de valorização de Resíduos (CVR) e onde os Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo vão apresentar a sua estratégia municipal de gestão de resíduos para o horizonte 2020.


O evento, que junta técnicos, especialistas, pesquisadores e decisores técnico/políticos de relevo destes países e da Europa, contará com a presença de um técnico de renome: Marco Ricci, Chairman do Grupo de Trabalho sobre Tratamentos Biológicos da ISWA, que irá orientar a formação sobre estratégias de recolha seletiva da fração orgânica de resíduos.

De acordo com comunicado da Câmara de Viana do Castelo, no congresso, o Município irá apresentar a sua estratégia para a gestão de resíduos urbanos (RU) para o horizonte 2020 e que passará pela consolidação da aposta na sensibilização dos munícipes para a prevenção da produção de resíduos e para a adesão aos sistemas de reciclagem. Os resíduos urbanos biodegradáveis (RUB) constituirão um foco de especial atenção, considerando que uma percentagem significativa (36,8%) dos resíduos produzidos no Município é biodegradável.

A aposta municipal na recolha em 2020, recai na implementação de um projeto de recolha seletiva de biorresíduos alimentares junto dos grandes produtores (restauração, instituições de ensino, IPSS e frutarias) e de resíduos verdes (desde 2014). Atualmente com 115 produtores aderentes, este projeto permitiu, entre 2010 e 2014, desviar de aterro um total de 1600 toneladas de RUB e respetivo encaminhamento para a valorização orgânica, com evidentes benefícios ambientais, sociais e económicos.

“Para 2020, em matéria de RUB, o objetivo é aumentar o número de aderentes do setor não-doméstico (155 aderentes em 2020) e alargar a recolha seletiva de RUB ao setor doméstico na área urbanos (38.057 habitantes), através da disponibilização de contentores específicos para a deposição desse tipo de resíduos. Na área rural será promovida a compostagem caseira. A estratégia prevê igualmente a consolidação da recolha seletiva trifluxo (papel/cartão, plástico/metal e vidro) através do reforço do número de infraestruturas de depósito seletiva (ecopontos)”, refere a nota informativa do Município.

A estratégia municipal está refletida no Plano de ação de Viana do Castelo (PAPERSU 2020), desenvolvido pelos SMSBVC e pela Formato Verde em simultâneo com os PAPERSU dos Municípios acionistas da CIM Alto Minho, de forma a garantir o seu enquadramento e coerência com a estratégia de gestão de RU da região do Minho-Lima e do respetivo sistema de gestão de resíduos urbanos (SGRU Resulima S.A.). No que respeita a gestão de RU, o Município de Viana do Castelo “continua empenhado em acompanhar as tendências europeias e nacionais que incentivam a transição para uma economia circular de baixo carbono e de eficiência de recursos, procurando dissociar o crescimento económico do consumo de recursos e da produção de resíduos e promovendo uma sociedade de reciclagem”.

Anúncio

Viana do Castelo

Nova residência universitária de Viana, com 400 camas, pronta em 2021

Ensino superior

em

Foto: IPVC

O projeto da nova residência universitária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), que terá até 400 camas, vai estar pronto no fim do primeiro semestre de 2021 para ser candidatado a fundos comunitários, foi hoje divulgado.

“Estamos a fazer o trabalho de casa para estarmos preparados para avançar se e quando abrirem avisos a financiamentos comunitários. Sozinho, o IPVC não consegue concretizar um projeto desta envergadura”, afirmou hoje à agência Lusa Carlos Rodrigues, presidente do IPVC.

A nova residência universitária do IPVC está prevista para os terrenos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, situada na avenida do Atlântico, junto à Praia Norte, em Viana do Castelo.

O equipamento “com entre 350 e 400 camas” ainda não tem definido o valor do investimento, mas que o presidente do IPVC estimou “em vários milhões de euros”.

“Estamos a fazer um projeto mais abrangente. Não queremos que seja só uma residência. Pretendemos dotá-la de outras valências como refeitório e outras que não temos e que faz todo o sentido instalar no novo equipamento. Estou convencido que os avisos de financiamento virão, ou ainda no âmbito deste quadro comunitário ou no início do próximo”, reforçou.

Atualmente, o IPVC dispõe de duas residências na cidade da Viana do Castelo, e uma Ponte de Lima, onde está localizada a Escola Superior Agrária.

Ao nível do alojamento, “o IPVC é, de acordo com o último relatório do PNAES – Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, o segundo instituto politécnico do país com maior número de camas próprias disponíveis”, um total de 453.

Com a construção da nova residência universitária, o IPVC conseguiria “duplicar” a capacidade de alojamento, uma das “prioridades” da instituição.

Em outubro, o IPVC celebrou cinco protocolos com unidades hoteleiras e com uma pousada de juventude, garantindo 157 camas na região para alojar alunos deslocados.

Aquele alojamento está situado nos concelhos de Viana do Castelo, Melgaço, Vila Nova de Cerveira, Ponte de Lima e Valença.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC tem seis escolas – de Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, ministrando 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de caráter profissionalizante.

Além das escolas superiores de saúde, educação e tecnologia e gestão, situadas em Viana do Castelo, o IPVC tem escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).

Continuar a ler

Viana do Castelo

Hospital privado de Viana vai fazer testes covid prescritos pelo SNS

Covid-19

em

Foto: Facebook / CM Viana

Há mais um local no concelho de Viana do Castelo onde se podem fazer testes de rastreio à covid-19. O anúncio foi feito hoje pela autarquia local, dando conta da nova funcionalidade instalada no Hospital Privado de Viana do Castelo.

Esta unidade instalou um posto de rastreio no seu espaço contíguo ao parque de estacionamento, aumentando assim a possibilidade de realizar mais testes no distrito.

“Com esta iniciativa, pretende dar o correcto e digno apoio aos utentes, bem como à população em geral, fazendo testes prescritos pelo SNS/P1″, escreve a autarquia.

Segundo o hospital, é “missão participar no combate à pandemia juntamente com as autoridades sanitárias municipais e nacionais”.

Continuar a ler

Alto Minho

Sobe para 83 número de infetados na Casa da Caridade em Ponte de Lima

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Lar Nossa Senhora da Conceição (Casa da Caridade), em Ponte de Lima, anunciou hoje que o número de infetados subiu depois de serem conhecidos novos testes realizados na passada quarta-feira. De acordo com a agência Lusa, a instituição tem agora 65 idosos e 18 funcionários com testes positivos.

Contactado pela agência Lusa, Agostinho Freitas, diretor, explicou que uma utente de 85 anos morreu na terça-feira, vítima de covid-19, conforme já havia noticiado O MINHO na passada quarta-feira.

O responsável disse que hoje foram conhecidos os resultados dos testes realizados a 28 funcionários, sendo que cinco deram positivo”, pelo que, do total de 40 trabalhadores, “atualmente estão infetados 18″.

Quanto ao total de idosos que a instituição acolhe (67), 65 estão infetados.

Os dois utentes que tiveram resultado negativo ao teste para a infeção do novo coronavírus estão instalados numa unidade hoteleira em Ponte de Lima para onde foram transferidos na sequência do surto que atingiu a instituição.

O surto de covid-19 associado a esta estrutura residencial para pessoas idosas (ERPI) teve início no final de outubro, com a confirmação dos dois primeiros casos em utentes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 48,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.792 pessoas dos 166.900 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares