Seguir o O MINHO

Guimarães

UMinho cria cabine do condutor mais leve e à prova de fogo e bala

Em parceria com a empresa Fibrauto

em

Foto: Divulgação / UMinho

A Associação Fibrenamics da Universidade do Minho e a empresa Fibrauto desenvolveram painéis com resistência balística, química e ao fogo para revestir a cabine de condutor de autocarros, comboios e barcos. Os painéis são também até 20% mais leves face aos existentes no mercado. A inovação nacional chama-se “Ballistic Composite Panel” e conta com 310 mil euros de cofinanciamento dos programas Compete, Portugal 2020 e FEDER da União Europeia.

Na primeira fase, os investigadores avaliaram as propriedades de resistência balística de diferentes materiais fibrosos e compósitos, através de ensaios preliminares e de simulações numéricas de conceitos multicamada, de forma a serem obtidos painéis com gradiente de propriedades de proteção.

Posteriormente, foram produzidos protótipos através do processo de autoclave (um tanque aquecido e hermeticamente fechado), seguindo-se vários testes e otimizações. A inovação resulta assim da combinação de materiais com elevada capacidade de absorção de energia (auxéticos) e fibras de polietileno de elevada performance, entre outros aspetos.

“Os resultados trazem avanços importantes para os setores da defesa e do transporte coletivo de passageiros e garantem o nível 3 de proteção balística, de acordo com a norma NIJ 0108.01”, considera Carlos Mota, project manager na Fibrenamics, citado em comunicado enviado a O MINHO.

O projeto decorreu nos laboratórios desta interface da UMinho, em Guimarães, e da Fibrauto, em Gaia. As duas entidades têm realizado vários projetos conjuntos na última década, acentuando a interação crescente entre a ciência e a indústria e afirmando a excelência da tecnologia portuguesa nesta área.

EM FOCO

Populares