Seguir o O MINHO

Futebol

“Somos o Braga e em todos os jogos queremos conquistar a vitória”

Os minhotos recebem o Besiktas a partir das 20:00 de quinta-feira

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

O treinador do Sporting Clube (SC) de Braga, Ricardo Sá Pinto, defendeu nesta quarta-feira que a receção ao Besiktas, na quinta-feira, para a quarta jornada do grupo K da Liga Europa de futebol, “é um jogo de tripla”.

Com seis vitórias e um empate na Liga Europa, contando com as fases de qualificação, o Braga lidera o grupo e, em caso de triunfo, fica muito perto de assegurar a passagem aos 16 avos de final da prova.

“Temos uma grande oportunidade de passar à fase seguinte e não a queremos perder, não é uma obrigação, mas é um desejo, porque somos ganhadores, somos o Braga e em todos os jogos queremos conquistar a vitória”, disse Sá Pinto, em conferência de imprensa.

A equipa ‘arsenalista’ não vive um bom momento, depois de uma derrota e um empate na I Liga (2-0 com o Boavista e 2-2, em casa, com o Famalicão), o que motivou alguma contestação dos adeptos no final do último jogo.

“Uma equipa tem que ter uma identidade de jogo, nós temos claramente e não abdicamos dela. Temos sido superiores aos adversários e criado muitas oportunidades de golo. São fatores para que não fuja deste caminho, mais tarde ou mais cedo seremos cada vez melhores e mais fortes. Temos tido muita infelicidade, mas também temos coisas a corrigir e estou cá para isso. Divirto-me a ver a minha equipa e eles divertem-se a jogar”, disse.

Ricardo Sá Pinto disse esperar um Besiktas “forte”, depois de duas vitórias seguidas no campeonato, razão pela qual considerou que o confronto com os turcos “é um jogo de tripla”.

“O fator casa não é fundamental. O Besiktas começou como cabeça de série, no ranking está melhor que todos, e veja-se onde está. Amanhã [quinta-feira] é outro jogo, onde tudo pode acontecer. O Besiktas quer mudar a sua imagem porque, matematicamente, ainda pode [qualificar-se] e vai acreditar que é possível, vêm no seu melhor”, advertiu.

O treinador disse ainda que a Liga Europa não torna o SC Braga mais competitivo.

“Somos muito competitivos [na I Liga], tem faltado eficácia e havido um ou outro momento de desconcentração. Não existe uma diferença de mentalidade e de abordagem, mas na liga, tirando alguns jogos, temos assumido as despesas do jogo e isso obriga a expor-nos mais. Na Liga Europa não temos essa obrigação, em termos estratégicos também jogamos em função disso e permite-nos ter outra abordagem. Uma coisa é provocar o erro e outra é esperar pelo erro”, disse.

Questionado sobre se o jogo com os turcos pode ser decisivo para a sua continuidade no cargo, respondeu apenas não ter “essa informação”.

No final do empate com o Famalicão, o presidente António Salvador frisou que a equipa tem que, “forçosamente”, subir na tabela classificativa, na qual é 10.ª classificada, e que representar o Braga “significa sentido de responsabilidade”.

“Todos conhecemos a personalidade do presidente, ele gosta, tal como eu, de ganhar sempre e tudo fazemos para isso, mas, infelizmente, não podemos ganhar sempre. Estou 100% de acordo com ele, temos que estar noutra posição e temos que assumir essa responsabilidade e eu assumo-a, mas também sei que, mais tarde ou mais cedo, vamos lá chegar”, comentou Sá Pinto.

Galeno, autor dos dois golos dos bracarenses frente ao Famalicão, considerou que a equipa tem que ser mais eficaz no campeonato “e ter um pouco mais de vontade”.

Quanto ao Besiktas, frisou que é “uma equipa forte”. “No primeiro jogo, sofremos um pouco, mas conseguimos ganhar. Tenho a certeza que não vai ser um jogo fácil, temos que estar sempre ligados e entrar concentrados no jogo”, defendeu.

O SC Braga é líder do grupo K, com sete pontos, mais um do que o Wolverhampton, treinado pelo português Nuno Espírito Santo. O Slovan Bratislava é terceiro, com quatro pontos, e o Besitkas ocupa a última posição, sem pontuar.

Os minhotos recebem o Besiktas a partir das 20:00 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado pelo lituano Gediminas Mazeika.

Anúncio

Futebol

“Está tudo em aberto”

Micael Sequeira

em

Foto: Twitter

Declarações após a vitória do Rangers sobre o SC Braga, por 3-2, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol:

Micael Sequeira (treinador adjunto do SC Braga): “Eles tiveram uma boa reação e alguma felicidade, que faz parte, mas está tudo em aberto. Foi um grande jogo entre duas boas equipas, com dois estilos diferentes.

Mais uma vez acredito que vamos dar a volta na nossa cidade. É continuar a trabalhar e preparar bem o jogo, isso é que é importante.”

Matheus (jogador do SC Braga): “Foi um jogo difícil, temos mais 90 minutos para decidir em casa, refrescar a cabeça, descansar e pensar que na quarta-feira vai ser em casa.

É um terreno difícil, todos viram o estado do relvado, mas não é desculpa. Está tudo em aberto.

Sabemos da qualidade deles, não só o Morelos, e vão ter outro que vai entrar. Nós pensámos em nós, no nosso grupo e vamos pensar no próximo jogo.”

Fransérgio (jogador do SC Braga): “Eles foram agressivos, compactos, mas batalhámos e podíamos ter feito o terceiro golo e não fizemos. Temos a segunda mão e vamos dar a vitória para os adeptos.

O nosso jogo estava tranquilo. Os adeptos deles merecem os parabéns [pelo ambiente no estádio], foi fantástico, mas a nossa casa é melhor e eles também vão ver isso [na próxima semana].”

Abel Ruiz (jogador do SC Braga): “Fizemos um grande jogo, estamos orgulhosos do trabalho que fizemos e temos mais 90 minutos em casa. Temos ambições nesta competição e seguramente que vamos fazer um grande jogo em Braga.”

Continuar a ler

Futebol

“O SC Braga teve momentos extraordinários”

Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após a vitória do Rangers sobre o SC Braga, por 3-2, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol:

Steven Gerrard (treinador do Glasgow Rangers): “Foi um jogo fantástico. Batemos uma equipa muito boa e perigosa. O SC Braga foi extraordinário em alguns momentos. Só estamos no intervalo da eliminatória, mas estou orgulhoso dos meus jogadores. A perderem por 2-0, mostraram empenho, carácter e um desejo enorme… foi incrível.

Quando analisar o jogo vou perceber que cometemos alguns erros como equipa. A nossa estrutura não estava compacta, perdemos algumas bolas. Contra equipa desta qualidade e a este nível podemos ser castigados. O primeiro golo deles é muito bom e acabaram por ter sorte no lançamento que dá o 2-0. Mas o SC Braga mostrou qualidade..

[Sobre Hagi] É um talento incrível. Estes grandes palcos são feitos para ele. Havia muita pressão sobre o Hagi por jogar pela primeira vez no Ibrox. Além de ter talento, ele é um lutador, não gosta nada de perder. O golo dele [1-2] permitiu-nos voltar ao jogo. Marcou com o seu pé esquerdo e até acho que esse é o seu pé mais fraco, mas não tenho a certeza. Tivemos sorte no terceiro golo, mas a sorte por vezes é merecida”.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto sofre, mas sai ‘vivo’ de Leverkusen

Liga Europa

em

Imagens via Sport TV

Um golo de Luis Díaz manteve hoje o FC Porto na luta pelo apuramento para os oitavos de final da Liga Europa de futebol, apesar da derrota em casa do Bayer Leverkusen, por 2-1.

Na primeira mão dos 16 avos de final, Alario (29 minutos) e Havertz (57), na marcação de uma grande penalidade, marcaram os dois golos dos alemães, em dois lances com intervenção do videoárbitro, antes do tento do colombiano (73), que manteve os ‘dragões’ na luta.

Antes do encontro foi guardado um minuto de silêncio pelas vítimas do tiroteio de quarta-feira em Hanau, além de serem vistas várias mensagens de apoio ao portista Marega, após o incidente racista de Guimarães.

O treinador Sérgio Conceição alterou duas peças no ‘onze’ em relação ao triunfo sobre o Vitória SC (2-1), com as entradas de Manafá e Soares para os lugares de Otávio, castigado, e Zé Luís, que acabou por ser decisivo no golo.

Com menos um elemento no meio-campo, devido à ausência de Otávio, o FC Porto teve muitas dificuldades para criar lances de ataque, abusando no jogo longo para Marega e Soares, que raramente tiveram o apoio dos médios.

O Leverkusen, sempre com mais posse, ia conseguindo criar alguns lances de perigo, com destaque para o remate de Havertz à barra, aos 17 minutos, com Alario, na recarga, a ver Alex Telles desviar para canto.

Sempre mais agressivos sobre a bola, os ‘farmacêuticos’ iam encostando o FC Porto para perto da sua área, chegando ao golo sem grande surpresa, aos 29 minutos, por Alario, que, na sequência de um livre, encostou ao segundo poste um primeiro desvio de Demirbay.

O árbitro, após consulta do VAR, começou por anular o golo por fora de jogo, mas acabou por recuar na decisão e validar, uma vez que não havia qualquer irregularidade.

Com Corona a fletir várias vezes para o meio para dar igualdade numérica naquela zona, o FC Porto apenas conseguiu ameaçar com remates de longe, sendo que Sérgio Oliveira, aos 35 minutos, fez o primeiro remate dos ‘dragões’, para defesa segura Hradecky.

O guarda-redes finlandês brilhou oito minutos depois, com uma excelente intervenção após um forte remate de Uribe de fora da área.

Já na segunda parte, um erro de Manafá, que foi ultrapassado por Volland e acabou por cometer penálti, permitiu a Havertz a aumentar a vantagem, aos 57.

Contudo, o jovem alemão apenas converteu à segunda, uma vez que o árbitro, novamente por intervenção do VAR, acabou por mandar repetir, por o guarda-redes Marchesín ter dado um passo à frente antes de defender o primeiro remate.

Amiri, aos 60 minutos, obrigou o guarda-redes argentino a uma defesa apertada, naquele que foi praticamente o último lance de perigo do Leverkusen.

As entradas de Nakajima e Zé Luís, dentro da meia hora final, permitiram ao FC Porto melhorar e começar a aparecer mais perto da área dos alemães, sem, contudo, conseguir reais lances de perigo.

Numa bola parada, um ponto forte do seu jogo, o FC Porto acabou por reduzir, por Luis Díaz, aos 73 minutos, que com as costas, em cima da linha, a confirmar o golo, após um cabeceamento de Zé Luís, que Hradecky não conseguiu segurar.

Até ao final, o FC Porto conseguiu ter mais posse, mas sem conseguir ameaçar o golo do empate, com a qualificação para os oitavos de final a decidir-se em 27 de fevereiro, no Estádio do Dragão, no Porto.

Continuar a ler

Populares