Seguir o O MINHO

Futebol

“Saímos inteiros deste jogo e preparados para o que aí vem”

Carlos Carvalhal

em

Imagem: SC Braga / NEXT

Declarações na flash-interview da SIC e da Sport TV, após o jogo Roma-SC Braga (3-1), da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, disputado no Estádio Olímpico, em Roma:

Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Saímos desta competição sendo eliminados por uma grande equipa, potencial candidata a vencer a Liga Europa deste ano, uma equipa com muita organização e algum grau de cinismo.

Apraz-me dizer que fomos bravos nos dois jogos. Os jogadores nunca viraram a cara à luta em nenhum dos dois jogos. Fomos uma equipa aberta, a tentar chegar ao golo e lutámos até ao limite das nossas forças. Hoje, poderíamos ter feito mais golos. Até tivemos mais oportunidades do que no jogo em casa.

Parabéns à Roma, porque é uma super-equipa e foi melhor, mas também aos meus jogadores, porque foram muito competentes. Saímos inteiros deste jogo e preparados para o que aí vem.

É nossa aposta esta época não negligenciar nenhum jogo ou competição. Hoje, jogámos para ganhar. O adversário foi mais forte e eficaz. Agora, vamos encarar o resto do campeonato.”

André Horta (jogador do SC Braga): “Fica uma prestação muito positiva nesta Liga Europa. Nesta eliminatória, fica um amargo de boca, porque poderíamos ter feito um bocadinho melhor. Fizemos dois bons jogos, mas acho que respeitámos demasiado o adversário.

Sofremos o golo cedo demais, o que complicou a tarefa. As equipas italianas são cínicas. Deixaram-nos jogar e, depois, mataram o jogo.

Temos de trabalhar muito [para elevar o nível das equipas portuguesas na Europa]. Passa por termos mais ritmo de jogo. No campeonato português, as equipas parece que não querem jogar. O jogo está sempre muito tempo parado, jogadores no chão. Tem sido recorrente e, depois, sentimos a diferença nestes jogos, contra equipas mais difíceis. Basta ver os nossos jogos com o Leicester [na fase de grupos] e com a Roma. Enquanto não mudarmos a mentalidade em Portugal, vai ser muito difícil competirmos cá fora.”

Zé Carlos (jogador do SC Braga): “A diferença esteve nos pormenores. Na primeira mão, eles foram felizes e acabou por ser um jogo ingrato para nós. Nesta segunda mão, seria difícil dar a volta, mas fomos à luta, sempre com a nossa forma de jogar. Fizemos um bom jogo. Saímos daqui inteiros para o que falta do nosso campeonato.”

João Novais (jogador do SC Braga): “Sabíamos que esta segunda mão seria muito difícil, mas vínhamos com toda a ambição de inverter a eliminatória. Fomos para o intervalo a perder por 1-0, mas mantivemos a ambição de reverter o resultado. Na segunda parte, tentámos fazer de tudo, mais com o coração do que com a cabeça, mas não foi possível.

Jogámos contra uma grande equipa, mas ficou demonstrado que nós também somos uma grande equipa.”

Paulo Fonseca (treinador da Roma): “Acabámos por vencer bem nos dois jogos, mas tenho de reconhecer a coragem do SC Braga. É uma excelente equipa, com excelentes jogadores. Uma equipa corajosa, que joga bom futebol.

É difícil prever o que vai acontecer, mas queremos avançar o mais possível na competição, apesar de todas as equipas presentes serem fortíssimas. O objetivo da Roma é passar a próxima eliminatória.”

Populares