Seguir o O MINHO

Guimarães

Em Guimarães vai falar-se sobre a morte em congresso internacional

Ricardo Araújo Pereira, Sofia Reimão, Jorge Bacelar Gouveia juntam-se a jornalistas e religiosos para falarem sobre a morte

em

Ricardo Araújo Pereira é um dos convidados. Foto: DR

O I Congresso Internacional “A Morte: Leituras da Humana Condição”, organizado pelo Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo & Globalização (IEAC-GO), em parceria com a Câmara Municipal de Guimarães, decorre de hoje até 24 de fevereiro.

Estão previstas mais de 100 comunicações, com 4 mesas redondas e 4 momentos culturais, englobando 11 áreas temáticas e representadas cinco nacionalidades neste congresso.

A sessão de abertura está agendada para as 14:30, no Centro Cultural Vila Flor, com as presenças do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, o Presidente da Comissão Científica, Paulo Alves e a Presidente da Comissão Organizadora, Eugénia Magalhães.

A primeira sessão plenária inicia às 15:30, conta com Sofia Reimão a abordar o tema “As definições de morte” e Ricardo Araújo Pereira destacará a ligação entre a Morte e o Humor, sob a moderação de Duarte Soares.

Ainda hoje está previsto o debate em duas mesas redondas, com início às 17:30. O tema “A decisão jornalística: Quando a morte (não) é notícia” conta com as participações de José Alberto Carvalho (TVI), Rosário Lira (RTP), Luís António Santos (Universidade do Minho), Manuel Vilas-Boas (TSF) e Joaquim Franco (SIC).

O tema “A morte nos textos sagrados” conta com as participações de Herculano Alves (Ordem dos Frades Menores Capuchinhos), Tiago Cavaco (Igreja Batista), Miriam Assor (escritora judia) Khalid Jamal (Comunidade Islâmica) e Porfírio Pinto (IEAC-GO).

Antes da pausa para jantar, às 19:00, terá lugar ainda uma oficina de leitura coreográfica. A dimensão artística e o papel da morte em algumas obras seminais da dança dos séculos XIX e XX, com António Laginha (Universidade Aberta). À noite, pelas 21:30, está previsto um momento cultural com a Projeção do filme WIT, com comentário de Paulo Miguel Martins (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa).

Sexta-feira

Na sexta-feira, 22 de fevereiro, o programa inicia às 09:00 com a intervenção de Luciano Manicardi (Monastero di Bose, Italia), e ainda de Eduardo Carqueja (Centro Hospitalar Universitário de S. João) numa abordagem ao “Luto: Um processo dinâmico”.

Ainda da parte da manhã decorrem duas mesas redondas paralelas: “Morte e liturgia ritual na cultura cristã e na cultura oriental”, com D. José Cordeiro (Diocese de Bragança-Miranda), Adelino Ascenso (Sociedade Missionária da Boa Nova) e Timóteo Cavaco (Universidade Nova de Lisboa), moderado por Marco Daniel Duarte.

Outro tema para discussão é “Cuidar da vida na derradeira condição humana. A experiência das Misericórdias e os desafios das Instituições Sociais”, com Cristiana Lopes (Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso), Pedro Ferreira (Santa Casa da Misericórdia da Amadora) e Sara Lima (Santa Casa da Misericórdia de Riba d’Ave), moderado por Eduardo Leite (Santa Casa da Misericórdia de Guimarães).

Às 12:00, Jorge Bacelar Gouveia (Universidade Nova de Lisboa) intervém numa sessão plenária sobre “A morte e o direito), moderada pela vereadora do Município de Guimarães, Adelina Pinto.

A tarde de sexta-feira está reservada para a realização de painéis temáticos paralelos, como Psicologia e Ciências da Educação – História – Teologia e Ciências da Religião – Filosofia – Comunicação – Literatura – Direito, Economia e Política – Antropologia, Sociologia e Psicologia, Militar e Segurança, Teologia e Ciências da Religião, Ciências da Saúde.

À noite, pelas 21:30, está previsto o Concerto Missa Brevis com João Gil, Luís Represas e Manuel Rebelo, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor.

Sábado

No sábado, dia 23 de fevereiro, Noa Carballa Rivas (Universidad Pontificia de Salamanca, Espanha) aborda o tema “A comunicação da morte no mundo digital” em sessão plenária agendada para as 09:00.

Segue-se uma mesa redonda com o tema “A morte mediatizada e mediática: Retratos e olhares dos narradores” com as participações de Alexandre Brito (RTP), Lúcia Gonçalves (SIC), Rosa Pedroso Lima (Expresso), Eduardo Madureira (Diário do Minho), António Marujo (7Margens) e Cristina Figueiredo (SIC).

Da parte da tarde estão previstos novos painéis temáticos paralelos e o destaque vai para a sessão plenária agendada para as 17:30, com intervenção de Nuno Gil (Fundação Champalimaud), abordando o tema “Comunicar a morte”.

A Conferência de encerramento (18:30) aborda o tema “A morte entre os povos Bantu de Angola – uma perspetiva antropossociológica”, por Victor Kajibanga (Universidade Agostinho Neto, Angola).

Na noite de sábado acontece ainda um momento cultural com a gravação do programa de rádio (Antena 1) “E Deus Criou o Mundo”, apresentado por Henrique Mota e com os comentários de Joshua Ruah, Pedro Gil e Khalid Jamal.

Populares