Seguir o O MINHO

Desporto

Rali de Portugal com etapas em Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto e Fafe

Edição 2020 apresentada esta quinta-feira

em

Foto: DR / Arquivo

Os regressos de Mortágua, Porto e Felgueiras constituem algumas das novidades para a edição deste ano do Rali de Portugal, sexta prova do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), revelou esta quinta-feira o Automóvel Club de Portugal (ACP).

A 54.ª edição foi apresentada em Lisboa e, além do regresso destes três troços, o ACP anunciou que a prova, a decorrer entre 21 e 24 de maio, terá mais quilómetros do que no ano passado, com uma extensão total de 1.582,25, contra os 1.463,55 de 2019.

Ao todo, serão disputados 330,98 ao cronómetro, divididos por 22 provas especiais de classificação (PEC), enquanto em 2019 foram 311,59, cumpridos em 20 PEC.

Em 21 de maio, primeiro dia da prova, o ‘shakedown’, que serve para os pilotos procederem a afinações finais, volta a ter lugar em Paredes, arrancando logo às 09:00, com a partida oficial, novamente da porta férrea da Universidade de Coimbra, agendada para as 20:30.

Para o dia 22, disputam-se as primeiras especiais da prova, na zona centro, primeiro com duas passagens por Lousã (1 e 4), Góis (2 e 5) e Arganil (3 e 6), seguindo depois o rali para norte, com o regresso de Mortágua (7), e fechando o primeiro dia em Lousada (8).

No sábado, estão previstas outras oito provas especiais, todas com duplas passagens, começando o dia em Vieira do Minho (9 e 12), Cabeceiras de Basto (10 e 13) e Amarante (11 e 14), para o Porto também marcar o seu regresso com a ‘Porto Street Stage’, um troço de apenas 1,93 quilómetros, que será cumprido duas vezes pelos concorrentes (15 e 16).

O último dia da prova, a decorrer no domingo, conta com mais seis troços, também a serem percorridos por duas vezes, destacando-se o regresso de Felgueiras (17 e 20), que abre o dia, seguindo-se Montim (18 e 21) e Fafe (19 e 22).

A segunda passagem por Fafe volta a ser disputada em formato de ‘Power-Stage’, com o aliciante de atribuir bonificações aos pilotos melhor classificados.

O Rali de Portugal é pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis, com os carros Rally1 (ex-WRC), e para o campeonato WRC2, com os carros Rally2 (ex-R5).

A etapa portuguesa do Mundial está integrada no Campeonato de Portugal de ralis e este ano conta ainda com a presença da Peugeot Rally Cup Ibérica, sendo a prova portuguesa a primeira do calendário desta competição, agora disputada com o novo Peugeot 208 Rally 4.

Rali de Portugal já tem confirmada edição de 2021

O Rali de Portugal tem confirmada a realização da edição de 2021 do Campeonato do Mundo de ralis, revelou Carlos Barbosa, presidente do ACP.

“Já há acordo para 2021, posso confirmar em primeira mão”, disse o dirigente, após a apresentação da 54.ª edição da prova.

Carlos Barbosa referia-se ao facto de atualmente já não existir o sistema de rotatividade de provas e que, apesar de existirem sete países com pretensão de entrar no Mundial, já há acordo para Portugal organizar a edição de 2021.

A 54.ª edição do Rali de Portugal, sexta etapa do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), decorre entre 21 e 24 de maio.

Anúncio

Futebol

Eleições no Gil Vicente agendadas para 30 de março

Francisco Dias da Silva é o atual presidente

em

Foto: DR / Arquivo

As eleições dos órgãos sociais do Gil Vicente para o triénio 2020-2023 vão realizar-se em 30 de março no Estádio Cidade de Barcelos, anunciou hoje o 11.º classificado da I Liga de futebol, no ‘site’ oficial.

“As listas candidatas aos corpos sociais deverão ser dirigidas em envelope fechado e lacrado e entregues nos serviços administrativos até às 18:00 de 20 de março de 2020”, explica a convocatória assinada pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, Fernando Sineiro, indicando que o ato eleitoral decorrerá das 10:00 às 20:00.

Natural da freguesia barcelense de Abade de Neiva, Francisco Dias da Silva reassumiu as rédeas do Gil Vicente em maio de 2017, após uma passagem inicial na temporada 1989/90, que consagrou uma subida inédita dos minhotos ao escalão principal.

Enquanto impulsionava a recuperação do Óquei de Barcelos entre 2012 e 2019, traduzida nas duas conquistas consecutivas da Taça CERS em 2016 e 2017, o empresário foi eleito com 1.831 votos na lista única que liderou ao sufrágio gilista.

Francisco Dias da Silva sucedeu ao atual presidente honorário António Fiúsa, que decidiu encerrar um ciclo de 13 anos à frente dos ‘galos’, marcados pela reintegração administrativa do Gil Vicente na I Liga, na sequência do ‘caso Mateus’.

Após uma temporada sem competir no Campeonato de Portugal, os minhotos subiram duas divisões de uma assentada e têm superado as expectativas na I Liga, ocupando a 11.ª posição ao fim de 22 jornadas, com 26 pontos, 11 acima da ‘linha de água’.

Continuar a ler

Futebol

Rúben Ribeiro regressa aos convocados do Gil Vicente

I Liga

em

Foto: Arquivo

O médio Rúben Ribeiro regressou, esta quinta-feira, aos convocados do Gil Vicente para a deslocação ao terreno do Boavista, no sábado, da 23.ª jornada da I Liga de futebol, ao contrário do defesa Henrique Gomes.

Contratado na reabertura de mercado, após meio ano sem atividade e uma breve passagem pelo Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, o extremo somou duas aparições pelos minhotos em janeiro, até falhar as últimas seis rondas por lesão.

No boletim médico dos “galos” continuam a constar os brasileiros Rodrigo e Vitor Carvalho e o argelino Zakaria Naidji, além do defesa Henrique Gomes, totalista desde a sétima jornada, que sofreu problemas físicos durante a semana e foi dado como inapto.

O Gil Vicente, 11.º classificado da I Liga, com 26 pontos, desloca-se ao Boavista, nono colocado, com 28, no sábado, às 20:30, no Estádio do Bessa, no Porto, em jogo da 23.ª jornada, com arbitragem do lisboeta Hélder Malheiro.

Lista dos 18 convocados:

– Guarda-redes: Wellington e Denis.

– Defesas: Arthur Henrique, Fernando Fonseca, Edwin Banguera, Rúben Fernandes e Ygor Nogueira.

– Médios: Soares, João Afonso, Claude Gonçalves, Bozhidar Kraev, Rúben Ribeiro e Ahmed Isaiah.

– Avançados: Lourency, Hugo Vieira, Yves Baraye, Samuel Lino e Sandro Lima.

Continuar a ler

Futebol

I Liga: Ivo Vieira é o treinador com mais substituições decisivas

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A edição desta temporada da I Liga tem sido marcada por uma forte tendência goleadora dos jogadores que “saltam” do banco de suplentes, que já apontaram um total de 66 golos, divididos por 42 marcadores diferentes, anunciou hoje a Liga Portugal.

Em comunicado, a entidade que gere as duas principais ligas portuguesas destaca o treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, como o técnico que na presente edição da I Liga viu as suas substituições darem origem a um maior número de golos diferentes.

No total, as mexidas do técnico natural do Machico resultaram num total de onze golos diferentes. Um pecúlio que, de resto, começou a ser desenhado na jornada 5, com Pêpê Rodrigues a marcar o quarto golo do triunfo dos vimaranenses frente ao CD Aves. A contagem acabaria por ficar fechada ao minuto 94, altura em que o recém-entrado Rafa Soares assistiu Alexandre Guedes, também acabado de sair do banco.

As alterações de Ivo Vieira continuaram a surtir efeito na jornada 9, no triunfo expressivo diante do Belenenses, por 5-0. Léo Bonatini assumiu o papel de “suplente de luxo”, assistindo para o tento de João Carlos Teixeira, ao minuto 77, fechando as contas quatro minutos depois, apontando o quinto golo do conjunto minhoto.

A tendência manteve-se durante as rondas 13,14,17,18 e 20, onde as mexidas operadas pelo treinador de 44 anos estiveram na origem de um total de seis golos diferentes.

O último episódio deste “toque de midas” de Ivo Vieira aconteceu, precisamente, no passado fim-de-semana, altura em que os “Conquistadores” saíram vencedores no terreno do CD Aves (0-2). Para isso muito contribuiu Davidson que, após ter entrado ao minuto 59, inaugurou o marcador volvidos apenas seis minutos.

Continuar a ler

Populares