Redes Sociais

Famalicão

Projeto pretende incluir portadores de deficiência através do circo

a

Foto: Divulgação

A escola de Circo de Vila Nova de Famalicão abriu, na passada quarta-feira, as portas ao EnvolvAr-te 2018, um projeto promovido pela Câmara Municipal que pretende através das artes circenses e da sua capacidade de estímulo à liberdade e de abertura ao infinito, envolver e integrar os cidadãos portadores de deficiência do concelho famalicense numa missão artística repleta de novos desafios, mas também muito convívio e alegria.

O projeto conta com a participação de 70 pessoas portadoras de deficiência, oriundas das várias instituições de solidariedade social do concelho. Com uma duração de nove meses, o EnvolvArt-te decorrerá sempre às quarta-feiras, nas instalações do INAC – Instituto Nacional das Artes do Circo, em Ribeirão. Num final, realizar-se-á um período de criação, numa residência intensiva, com participantes selecionados, tendo em vista a apresentação de um espetáculo.

Incentivar o respeito por si próprio e pelos colegas; socializar e integrar; desenvolver a coordenação motora; praticar atividade física através do trabalho muscular e de alongamento; aprender a noção de espacialidade e concentração; ganhar consciência corporal e despertar o interesse e a perceção artística, fomentando um acréscimo na formação como cidadão e público artístico-circense são os objetivos específicos deste projeto, que conta com a participação das seguintes instituições; APPACDM, a ACIP, a AFPAD, a Associação Teatro Construção, o Centro Social de Landim e o Centro Social e Paroquial de Ribeirão.

As sessões são coordenadas por dois formadores do INAC, Ana Dora Borges, que trabalha a dança e o movimento, e Fábio Constantino, que trabalha a acrobacia aérea e têm a duração de duas horas.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Famalicão investiu mais de 10 milhões de euros nas escolas do 1.º ciclo em cinco anos

Autarca Paulo Cunha visitou Escola Básica de Esmeriz.

Publicado

a

Paulo Cunha visitou a Escola Básica de Esmeriz. Foto: Divulgação / CM Famalicão (21/09/2018)

Desde 2013, a autarquia de Vila Nova de Famalicão, liderada pelo social-democrata Paulo Cunha, eleito nesse ano, investiu mais de 10 milhões de euros na requalificação de cerca de meia centena de escolas do primeiro ciclo e pré-escolar, revelou hoje aquela câmara do vale do Ave.

“A escola está maior e mais bonita, as salas de aula são mais confortáveis e modernas e temos um recreio coberto”, afirma Matilde, de 8 anos, que frequenta o 4.º ano na Escola Básica de Esmeriz e está “muito feliz” com “a escola nova” que beneficiou, este ano, de obras de ampliação e modernização, segundo cita o município, em nota enviada a O MINHO. Também João, de 9 anos, mostrou o seu contentamento com os novos espaços, principalmente com o novo campo de futebol que “está muito fixe”.

A Escola Básica de Esmeriz, acrescenta o texto, exemplifica bem o trabalho que tem sido desenvolvido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, nos últimos anos, na rede pré-escolar e do 1.º ciclo do concelho, o que levou o presidente da autarquia famalicense a visitar, esta sexta-feira, o edifício lembrando os grandes investimentos dos últimos anos.

Para este ano letivo 2018/2019, a autarquia está a investir 3,7 milhões de euros em obras, que abrangem cerca de 20 escolas, algumas já concluídas e outras com conclusão prevista até ao final do ano.

Paulo Cunha visitou a Escola Básica de Esmeriz. Foto: Divulgação / CM Famalicão (21/09/2018)

“A escola centenária que existia não tinha as condições de funcionalidade necessárias para dar resposta às exigências educativas de hoje e foi preciso avançar para uma intervenção de fundo, que implicou um grande investimento municipal, mas cujos resultados estão à vista”, assinala o autarca, também citado, referindo-se à comodidade e modernidade dos espaços.

“Temos uma escola moderna, funcional, confortável, segura, com condições de excelência para que o processo educativo possa cumprir-se”, acrescenta.

Tal como Esmeriz, o autarca destacou as obras nas escolas Conde S. Cosme (sede n. º1), Riba de Ave e Ruivães, que ainda estão em curso.

“Com estas grandes intervenções fechamos um ciclo que começou há cerca de 15 anos e que envolveu um investimento muito grande na educação, dotando o concelho de um parque escolar de grande qualidade, com condições estruturais únicas no país”, afirma Paulo Cunha.

O autarca lembrou ainda que se fecha um ciclo, mas não terminam as obras.

“Há um conjunto de intervenções que irão avançar em breve que são menores, mas igualmente importantes e necessárias”, conclui.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Famalicão

Nanotecnologia impulsiona empresas do Minho e Norte a competirem internacionalmente

Redes que permitem atrair peixes e roupas que se limpam pela luz solar são exemplos das aplicações tecnológicas desenvolvida pelo centro de nanotecnologia CeNTI, em Famalicão.

Publicado

a

Foto: DR

Redes que permitem atrair peixes e roupas que se limpam pela luz solar são exemplos das aplicações tecnológicas desenvolvida pelo centro de nanotecnologia CeNTI, que têm permitido “potenciar as empresas do Norte a nível internacional”, revelou hoje o diretor.

Vídeo: Facebook de CeNTI – Centre for Nanotechnology and Smart Materials

Através da incorporação de novas tecnologias e meios interativos em produtos já existentes, as equipas de investigadores do centro “auxiliam as empresas a tornar os seus produtos mais competitivos no mercado”, afirmou à Lusa o diretor de operações do CeNTI – Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes com sede em Vila Nova de Famalicão.

“Ajudamos as empresas a diferenciarem-se e a liderarem pela qualidade, mas também pela inovação. Esta região do Norte tem um conjunto de condições extremamente favoráveis e únicas a nível nacional, o que permite uma maior proximidade e colaboração entre as empresas, os centros, mas também com as universidades”, salientou.

João Gomes. Chief Operations Officer at CeNTI – Centre for Nanotechnology and Smart Materials. Foto: Linkedin de João Gomes

Soluções na área têxtil, como peças de roupa incorporadas com tecnologias que permitem uma limpeza automática, ou até um sistema antimicrobiano, foram duas das funcionalidades desenvolvidas pelo centro nanotecnológico de Famalicão.

“Esta são soluções que permitem uma maior limpeza, sustentabilidade, visto que há até materiais que se limpam com ação da luz solar”, contou.

Segundo João Gomes, foi através do projeto [email protected], finalizado em maio, que as equipas do centro conseguiram “incorporar os produtos de sistema inteligentes”, mas também “sensibilizar a sociedade para o potencial destas novas tecnologias”.

“O potencial destas novas tecnologias não é apenas importante ao nível da economia, visto que permite a criação de emprego, mas também porque ajuda a melhorar a nossa qualidade de vida”, sublinhou o diretor de operações.

Um dos vários produtos inovadores é um rodapé que deteta inundações, desenvolvido pelo centro e pela Sonae Indústria de Revestimentos, que conectado com o telefone comunica se houver algum incidente na cozinha.

Assim como as redes de pesca industriais, que através de um sistema incorporado de iluminação, permitem aos pescadores identificarem a posição das redes em alto-mar, mas também atrair mais peixe.

Segundo João Gomes, neste momento, o CeNTI, em colaboração com as Universidade do Minho, Porto e Aveiro, está a desenvolver 52 projetos nacionais e 16 relacionados com o programa europeu Horizonte2020 nas áreas de metalomecânica, materiais de construção, área têxtil, médica e de mobilidade.

“O único objetivo e missão do CeNTI é valorizar a indústria nacional através desta transferência de conhecimento e soluções tecnológicas para os seus produtos e processos”, acrescentou.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Famalicão

Octogenário atropelado mortalmente em Antas

Na Rua Frei Bartolomeu dos Mártires, em Santiagos de Antas.

Publicado

a

Foto: O MINHO

Um octogenário foi atropelado mortalmente na madrugada desta sexta-feira, em Antas, concelho de Vila Nova de Famalicão.

A vítima, de 87 anos, foi colhida na Rua Frei Bartolomeu dos Mártires, em Santiagos de Antas, acabando por falecer pouco tempo depois, no Centro Hospitalar do Médio Ave, em Vila Nova de Famalicão.

A PSP, os Bombeiros Voluntários de Famalicão e o INEM prestaram assistência à vítima.

Continuar a ler

Populares