Seguir o O MINHO

Cávado

Procura turística em Esposende acima da média europeia

Turismo

em

Foto: O MINHO

O alojamento tradicional (hotelaria) de Esposende registou, de 2018 para 2019, um crescimento de 7%, nas dormidas, e 6%, em termos de hóspedes. Nesse período, – diz o Gabinete de Comunicação do Município – “o número de dormidas em estabelecimentos turísticos, em Portugal, cresceu 3,4% face ao ano anterior, ultrapassando a média europeia que subiu 2,4%. Ou seja, em termos de dormidas, Esposende registou um crescimento acima da média europeia e também da registada pelos estabelecimentos turísticos em Portugal”.

O crescimento, em 2019, das dormidas, – acrescenta – “reflete a tendência dos últimos anos, e o aparecimento de novas empresas ligadas ao turismo, afigurando-se como uma aposta com claro potencial de crescimento, geradora de emprego e potenciadora de oportunidades de negócio”.

Negócios crescem com peregrinos

Nos últimos três anos, o volume de negócios do setor turístico registou, em Esposende, um crescimento superior a 40% e o Valor Acrescentado Bruto subiu 55%.

Esposende consegue aumentar, de forma consolidada, a procura turística e, nesta contabilidade, o Caminho da Costa para Santiago de Compostela tem contribuído, através de uma procura crescente. O Albergue de São Miguel de Marinhas registou, em 2019, a passagem de 7127 peregrinos, correspondendo a um aumento de 10,13%, relativamente ao ano anterior. Desde que abriu, em 2011, este espaço de acolhimento já deu dormida a 27.153 pessoas.

Apesar de registar um aumento significativo do recurso dos turistas aos suportes digitais, o Centro de Informação Turística locL registou, em 2019, uma afluência de 4790 visitantes.

O Centro Interpretativo de S. Lourenço TEVE, em 2019, a visita de 11.363 pessoas e a Casa das Marinhas recebeu mais de mil visitantes.

Estes dados – acentua o organismo autárquico – “traduzem o trabalho de divulgação desenvolvido, marcando presença nos principais certames nacionais e internacionais de promoção (Bolsa de Turismo de Lisboa, Xantar em Ourense, Feira Ibérica do Turismo, na Guarda e a Turexpo, em Silleda, Galiza). Os turistas portugueses continuam a ser os mais assíduos frequentadores do concelho, bem secundados por espanhóis e alemães. Durante os meses de verão, Esposende vê triplicar a sua população.

Anúncio

Barcelos

Festa das Cruzes cancelada em Barcelos

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A Festa das Cruzes, em Barcelos, não se vai realizar este ano. A medida foi anunciada hoje pelo presidente da autarquia, Miguel Costa Gomes, em videoconferência para fazer um balanço da situação da epidemia Covid-19 no concelho, cujo pico está previsto para maio.

Conhecida como a primeira grande romaria do calendário de festividades do Minho, a Festa das Cruzes tem o seu ponto alto nos primeiros dias de maio.

O presidente da Câmara de Barcelos pondera, ainda, o cancelamento de todos os eventos promovidos pela autarquia, até final de junho, decisão que deverá ser confirmada nos próximos dias.

Miguel Costa Gomes anunciou ainda a cedência do Pavilhão Municipal ao Hospital de Barcelos, o qual já está a ser usado pelos colaboradores como base de apoio daquela unidade hospitalar.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde desta segunda-feira, com os números aproximados daquilo que são os casos fidedignos de infeções por Covid-19 discriminados por concelho, Barcelos tem atualmente 35 casos.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 00:00 de segunda-feira e podem comportar apenas cerca de 75% dos casos reais. Em todo o Minho, estão confirmados 505 casos de infeção.
Braga, com 213 casos confirmados, Guimarães com 75 e Famalicão com 71 são os concelhos da região mais atingidos pela pandemia.

Continuar a ler

Barcelos

Utentes de lar em Barcelos não infetados serão transferidos para hospital particular

CASP – Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os utentes do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, estão hoje a fazer os testes de despistagem da covid-19, com vista à transferência dos não infetados para uma unidade de saúde particular do concelho.

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, numa conferência de imprensa por videoconferência.

Segundo o autarca, o CASP “não tem condições internas”, tanto a nível de instalações como de pessoal, para garantir o necessário isolamento, separando os infetados dos não infetados.

“Vamos retirar do lar os que não estão infetados e colocá-los uma unidade de saúde privada”, acrescentou.

No domingo, o presidente da direção do CASP, Joaquim Pereira, disse à Lusa que já estavam contabilizados cinco idosos e quatro funcionárias infetados com covid-19.

Os cinco utentes que testaram positivo estão em isolamento na instituição e assim deverão continuar se permanecerem, como atualmente, “estáveis”. Os restantes 19 utentes mantinham-se assintomáticos.

Das 31 funcionárias que a instituição possui, e ainda segundo Joaquim Pereira, só “menos de meia dúzia” estava ao serviço. Das restantes, quatro estão em casa após terem testado positivo para a covid-19 e as outras ou apresentam sintomas da doença, ou estão em quarentena, incluindo as duas enfermeiras da instituição.

Hoje, estão a ser feitos testes a todos os utentes e funcionários, para apurar o real ponto da situação.

Segundo o presidente da câmara, o caso da Pousa é, em termos de instituições, o “mais difícil” no concelho, uma vez que evoluiu “de uma forma muito rápida”. De resto, acrescentou o autarca, está “tudo sereno”.

No concelho, há 650 utentes em lares, contando-se ainda 646 em centros de dia e 444 que têm apoio domiciliário.

Portugal regista hoje 140 mortes com covid-19, mais 21 do que na véspera (+17,6%), e 6.408 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 446 em relação a domingo (+7,5%).

Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Continuar a ler

Barcelos

Estudante do IPCA cria aplicação para pedir medicamentos às farmácias

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

Chama-se Rui Fernandes, frequenta o mestrado em Engenharia Informática do IPCA, e criou a aplicação Farmaemcasa, que pretende afastar os portugueses das farmácias nesta altura critica que o país atravessa, foi hoje anunciado.

Em comunicado divulgado pelo politécnico, Rui Fernandes, fundador da We Make It , refere que o objetivo desta aplicação é servir “as pessoas que estão em casa e necessitam de algum medicamento ou produto farmacêutico”.

Através da aplicação, a pessoa pode “fazer o pedido”, assim que o mesmo estiver pronto “pode fazer o levantamento na farmácia”. Em alguns casos em que as farmácias façam entregas ao domicílio evita que em nenhum momento “a pessoa tenha que sair de casa”.

O objetivo é impedir as habituais filas nas farmácias portuguesas, situação que tende a agravar-se com o aumento de contágios da Covid-19 e com as novas regras de atendimento nestes espaços.

No desenvolvimento da aplicação estiveram envolvidos outros estudantes do IPCA: Sérgio Cruz, Bruno Silva, José Rocha e Luís Macedo.

A aplicação está já disponível para Android e iOS e pode ser descarregada sem qualquer custo associado:

Pode ser descarregada aqui.

Continuar a ler

Populares