Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ponte de Lima eleita destino gastronómico do ano

“Pela diversidade e qualidade da oferta da restauração”

em

Paulo Sousa / Restaurante Confrade. Fotos: DR

Ponte de Lima venceu hoje, no Porto, o galardão de Destino Gastronómico do Ano da Revista de Vinhos, “pela diversidade e qualidade da oferta da restauração”, numa gala que premiou o enoturismo no Norte.

Paulo Sousa, vice-presidente da autarquia, agradeceu a “mais de uma centena” de empresários que investem nos restaurantes da “vila mais antiga de Portugal”, e também a todos os produtores de vinho.

Na 25.ª edição dos “Melhores do Ano”, organizada pela Revista de Vinhos numa gala decorrida hoje num hotel no Porto, o empresário José Roquette foi homenageado pelo seu trabalho no Esporão, “projeto que contribuiu para a revolução dos vinhos do Alentejo e que se prepara para celebrar 50 anos”.

Nos restantes prémios, o espumante da Bairrada Nossa Solera Desde 2001 Extra Bruto, elaborado por Filipa Pato e William Wouters, venceu o prémio de Vinho do Ano.

António Ventura, enólogo com 40 anos de atividade, foi eleito Personalidade do Ano, o espumante Nossa Solera Desde 2001 Extra Bruto foi o Vinho do Ano e a Quinta do Monte d´Oiro, em Alenquer, região demarcada de Lisboa, foi eleita Produtor do Ano.

Já a família Vieira de Sousa venceu na categoria Produtor de Vinhos Fortificados do Ano, e a Herdade Aldeia de Cima, na Vidigueira (distrito de Beja), projeto de Luísa Amorim e Francisco Rêgo, ganhou a distinção Produtor Revelação do Ano.

“Famosa pelos espumantes que elabora em Távora-Varosa, a Murganheira foi considerada Empresa do Ano”, refere a organização, e o vinho Cabeça de Toiro, do Tejo, conquistou o estatuto de Marca do Ano.

O prémio de Enólogo do Ano foi atribuído a Nuno Mira do Ó, Anna Jorgensen ganhou o prémio Enólogo Revelação do Ano e Ricardo Rodrigues (The Ocean, Algarve) foi o ‘Sommelier’ do Ano, tendo a Garrafeira Imperial, em Lisboa sido a Loja/Garrafeira do Ano, e a Garcias o distribuidor.

A Norte, o vinho do Porto tónico em lata Offley Porto Clink ganhou o título Inovação/Investigação do Ano, e o prémio do Enoturismo do Ano foi atribuído à Quinta da Pacheca, no Douro.

O portuense Vila Foz, do chefe de cozinha Arnaldo Azevedo, foi eleito o Restaurante do Ano, e o Il Gallo d´Oro, do hotel Porto Bay, no Funchal, ganhou a distinção de Serviço de Vinhos do Ano.

“Alexandre Silva, dos restaurantes Loco e O Fogo, em Lisboa, foi considerado Chefe de Cozinha do Ano, enquanto Tiago Penão, do asiático Kappo, em Cascais, mereceu o sublinhado de Chefe Revelação do Ano”, indica ainda a organização.

Já a UNIQUEIJO – União de Cooperativas Agrícola da Ilha de São Jorge, nos Açores, foi eleita Produtor Artesanal no Ano pela elaboração do Queijo DOP São Jorge.

Miguel Guedes de Sousa foi a Personalidade do Ano na Gastronomia, e a Personalidade do Ano no Brasil foi Adolar Hermann, mentor da importadora Decanter Vinhos Finos.

O Vinha Grande 2019, tinto do Douro elaborado pela Sogrape Vinhos, venceu o prémio Compra do Ano, por obter uma pontuação mínima de 16 valores (numa escala de 0 a 20), ter um preço máximo de 10 euros e ser amplamente distribuído e disponibilizado.

A cerimónia de anúncio e entrega de prémios foi presencial mas limitada, tendo incluído a presença dos vencedores dos prémios, de convidados institucionais e dos parceiros do evento.

Populares