Seguir o O MINHO

Braga

Petição para regresso da Feira de Braga já com 330 assinaturas

“Monte do Picoto tem droga e seringas”, diz Braga para Todos

em

Foto: DR

Uma petição para a Feira Semanal de Braga voltar ao seu lugar de sempre, o antigo Parque de Exposições de Braga, atual Fórum Altice, em vez de interromper a Estrada Nacional 101, já tem 330 assinaturas.

Segundo os seus proponentes, o movimento político Braga para Todos, aquando das obras “o atual presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, usou como justificativa as obras, situação que foi aceite pelos cerca de 300 comerciantes que todas as terças-feiras usavam o espaço”.

Ricardo Rio. Foto: DR

“No entanto, os mesmos souberam pelos meios de comunicação social que não voltariam ao seu local de trabalho, apesar de no passado terem a palavra de Ricardo Rio, revoltados, já tentaram agendar reunião com o mesmo e com a administração do Fórum, que até ao momento não aceitaram reunir”, refere o texto da petição pública.

“Os comerciantes, estão há dois anos a trabalhar numa estrada nacional, que é cortada ao trânsito automóvel todas as terças-feiras, em plena estrada, estão sujeitos a poças gigantes que faz com que em dias chuvosos não seja possível trabalhar, e outros a um descampado em terra”, acrescenta o Braga para Todos.

“Os últimos, face à terrível condição não estão a pagar avença, mas quem trabalha na rua, limitado por questões climatéricas paga o valor mensal correspondente ao espaço”, ainda segundo refere aquele movimento político.

Feirantes vão à Câmara protestar contra condições da feira de Braga

“A Feira Semanal de Braga por norma rendia 360 mil euros anuais à autarquia, uma média de 80 euros por mês cada comerciante – uns pagam mais, outros menos mediante o espaço que necessitam – e neste momento tem menos comerciantes porque não têm condições de trabalho, atraindo cada vez menos pessoas”, dizem os proponentes.

“Ricardo Rio, além de não dar uma justificativa aos comerciantes pela sua mentira, já que não os deixa voltar para o local onde sempre trabalharam em Braga, prometeu há cerca de quatro meses fazer melhorias na parte em terra, no entanto, está é pequena para 300 espaços e que tem uma estrada nacional atravessar a mesma, constituindo perigo para crianças, pessoas mais idosas e com mobilidade reduzida, porque a estrada nacional em algumas partes tem separadores”, explicam os responsáveis pela iniciativa.

“Acreditamos que é dever intrínseco de um presidente de uma câmara zelar pela cidade, pelos seus cidadãos e por quem cá vem e faz entrar valor nos cofres da autarquia, por isso, visto que não há nenhum impedimento legal fazemos esta petição para exigir a Ricardo Rio que cumpra a sua promessa e a nossa feira volte a ser no local de sempre, poupando 400 mil euros, valor previsto pela autarquia para requalificar o sopé do Monte do Picoto”, diz o Braga para Todos.

Foto: DR

Até por o Monte do Picoto “ser um local mais distante, em nada atrativo face a problemas com droga e repleto de seringas, que Ricardo Rio considera digno para 300 famílias trabalharem e para milhares fazerem as suas compras semanais”, na perspetiva da petição.

“Alertamos também, que face às grandes superfícies o trabalho destas pessoas torna-se cada vez mais difícil sendo uma obrigação as autarquias disponibilizar locais centrais e com condições básicas tanto para pessoas com menor mobilidade como casas de banho”, destaca o Braga para Todos.

“Ricardo Rio quer esconder a feira”

“Por outro lado, há recomendações da União Europeia para este tipo de comércio a par de fundos, pois Ricardo Rio usou os fundos para a reformulação do Altice Forum, no entanto, a sua memória curta leva-o a ignorar e a optar por esconder a feira e fazer tudo para que cada vez tenha menos pessoas, aliás, apenas por a querer esconder é que a retirou do Altice Fórum”, segundo o mesmo movimento político.

“Não nos revemos no elitismo de Ricardo Rio, nem na governação em prol dos amigos, queremos que os comerciantes da Feira de Braga voltem ao local de sempre, que tem ótimas condições e que Ricardo Rio os receba, tal como deve receber qualquer munícipe, pois vivemos em democracia e não podemos permitir em Braga uma minoria mandar em prol de interesses pessoais”, conclui o Braga para Todos.

Anúncio

Braga

Braga: MP acusa ex-autarca de Guisande do crime de peculato

MP acusa autarca de Guisande do crime de peculato – Condenado por insultos em “manif” mandou pagar duas indemnizações pessoais

em

Adelino Sá, ex-presidente da junta de Guisande. Foto: Facebook de Adelino Sá

O ex-presidente da Junta de Freguesia de Guisande, Braga, foi acusado pelo Ministério Público (MP) de Braga da prática de um crime de  peculato, por ter mandado pagar, com dinheiro da autarquia, duas indemnizações a que fora condenado, a título pessoal, em tribunal.

Ao todo, 3.760 euros liquidados pela junta a um casal da localidade. Mas não houve desvio de dinheiros da autarquia.

O caso remonta a 2012, quando Adelino Sá, eleito pela coligação Juntos por Braga (PSD/CDS) participou numa manifestação popular contra o alegado corte de um caminho público, a Rua da Cal, feito por Manuel Joaquim da Cruz Araújo e mulher, à revelia da autarquia.

A manifestação passou pela rua e, à porta do casal, registaram-se várias altercações verbais, com insultos mútuos. Dias depois, o casal pôs uma queixa em Tribunal contra o autarca e mais dois manifestantes, que acabou na condenação aquela pena de multa.

“Em defesa da população”

Fonte ligada ao processo disse ao MINHO que, em 2013, e quando se tornou secretário da mesma junta, Adelino Sá defendeu no executivo que a condenação ocorreu em defesa da freguesia e enquanto autarca, numa ação em defesa da população. A junta, que entretanto se agregou numa união com a de Oliveira São Pedro, não aceitou a tese e não pagou.

O agora arguido, levou o caso à Assembleia de Freguesia, a qual decidiu, com a abstenção e um voto contra da Coligação e dois a favor do PS que  deveriam ser os cofres da autarquia a assumir as indemnizações.

De seguida, enquanto secretário, mandou pagar a conta. A queixa judicial que se seguiu partiu do próprio casal. Na freguesia, e ao que soubemos, há um clima de mal-estar por causa do corte da via que se mantém apesar de sentenças que a mandam abrir.

O casal em causa tem mais três ações contra a Junta, esta uma em sentido contrário, e várias outras contra familiares e fregueses. Cerca de 20, no total, por causa da rua e de questões de terrenos e  tudo com apoio judiciário.

Continuar a ler

Braga

Aprender a dançar à moda oitocentista? Em Braga já pode, no Museu dos Biscainhos

Danças de Sociedade

em

Foto: Facebook de Danças de Sociedade

O grupo Danças de Sociedade, em parceria com o Museu dos Biscainhos e da Academia de Bailado de Guimarães, está a promover um curso de “baile oitocentista”, que decorre uma vez por mês, naquele espaço cultura na cidade de Braga.

O objetivo, de acordo com a organização, passa por “reviver a magia de um baile romântico”, com músicas célebres de Strauss, entre outros compositores da época.

Com três datas agendadas, o curso decorre nos dias 17 de novembro, 08 de dezembro e 12 de janeiro. No final, está marcado um “grande baile” no salão nobre do Museu dos Biscainhos.

As três datas calham a um domingo, de tarde, entre as 14:30 e as 17:30. Inscrições através do e-mail [email protected]

Continuar a ler

Braga

GNR detém dois suspeitos de mais de 40 assaltos em Braga

GNR

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Dois homens, de 30 e 49 anos, foram detidos por militares do Núcleo de Investigação de Braga da GNR, esta segunda-feira, anunciou a guarda em comunicado.

A investigação policial decorria há seis meses quando, esta manhã, os militares puderam fazer cumprir mandados de detenção a estes indivíduos que são suspeitos, diz a GNR, de 40 crimes de furto dentro de estabelecimentos de restauração e talhos nos concelhos de Amares, Braga, Vieira do Minho e Vila Verde.

Na nota divulgada à imprensa, aquela polícia informa que o método dos suspeitos passava pelo “arrombamento”, introduzindo-se posteriormente nos estabelecimentos com “intuito de furtar dinheiro, álcool, bens alimentares, combustível e eletrodomésticos”.

Os detidos, com antecedentes criminais pelos mesmos crimes, serão presentes ao Tribunal Judicial de Braga nesta terça-feira, para aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares