Seguir o O MINHO

Desporto

Pequim2022: Vanina Oliveira falha porta e não termina prova de slalom

Lusodescendente de Guimarães

em

Foto: DR

A esquiadora portuguesa Vanina Oliveira falhou hoje uma porta no início da segunda manga e não terminou a prova de slalom nos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022, depois de ter sido 46.ª na primeira descida, entre 88 participantes.

Na disciplina em que se sente mais confortável, Vanina Guerillot Oliveira, de 19 anos, com raízes em Atães, Guimarães, partiu para Pequim com o objetivo de ficar entre as 30 primeiras no slalom, mas o erro logo à saída da segunda manga na pista Ice River, em Yangqiing, gorou as expectativas da atleta lusa.

A eslovaca Petra Vlhová, número um do ´ranking` mundial e vice-campeã do mundo, conquistou o ouro olímpico, com um tempo de 1.44.98, depois de ter sido oitava na primeira descida e ter sido a melhor na segunda descida.

Katharina Liensberger, austríaca, campeã do mundo, terminou em segundo e a suíça Wendy Holdener, prata em PeyongChang2018, conseguiu o bronze em Pequim2022 e somou a sua terceira medalha olímpica numa prova em que a campeã em título, a sueca Frida Hansdotter, se retirou da competição em 2019.

A norte-americana Mikaela Shiffrin, ouro em Sochi2014, a mais nova campeã olímpica no slalom e uma das favoritas, caiu na quinta porta da primeira descida e ficou fora da prova, como tinha acontecido no slalom gigante.

Entre 88 atletas à partida, 30 não terminaram a primeira manga e oito não chegaram ao fim da segunda descida no slalom.

O chefe de missão, Pedro Farromba, sublinhou as condições da pista, “com a neve muito rija”, que atirou 38 atletas para fora de prova, e acentuou a frustração de Vanina Oliveira, após “uma boa primeira manga” que antevia cumprir “o que estava definido”.

“Estamos tristes. Esta era a prova onde ela é mais forte. A Vanina teve azar, acontece. É sempre frustrante. Ela está muito triste e desiludida, porque é muito tempo de treino e de trabalho para, num momento, não correr bem”, disse hoje Pedro Farromba, em declarações à Lusa.

O responsável realçou que o esqui alpino tem a particularidade de não permitir recuperar quando se comete um erro e salientou o foco na comitiva já na próxima prova, os 15 Km clássicos no esqui de fundo de José Cabeça, na sexta-feira.

“É um desporto difícil, que tem destas coisas. Quando se erra, já não dá para recuperar nada. Agora, vamos focar-nos no Zé Cabeça”, referiu o chefe de missão, em declarações à agência Lusa.

Pedro Farromba apontou como objetivo para Pequim2022 melhorar os resultados das anteriores edições.

Camille Dias foi 40.ª classificada no slalom em Sochi2014, em 88 esquiadoras a competirem.

Vanina Oliveira estreou-se nos Jogos Olímpicos de Inverno na segunda-feira, com um 43.º lugar no slalom gigante, entre 82 participantes, numa prova em que a sueca Sara Hector conquistou a medalha de ouro.

A esquiadora portuguesa cometeu um erro na fase final da primeira manga, que a fez perder algum tempo e a afastou do ‘top 40’ que tinha como objetivo para o slalom gigante, mas assegurou a melhor classificação lusa na disciplina, superando o 59.º lugar de Camile Dias em Sochi2014, entre 90 participantes.

Nos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022, que decorrem entre 04 e 20 de fevereiro, na China, Portugal está também representando no esqui alpino por Ricardo Brancal, que entra em ação em 13 de fevereiro (slalom gigante) e 16 (slalom), e por José Cabeça, no esqui de fundo, que entra em pista dia 11, no 15 Km clássicos.

Populares