Parlamento unânime em voto de pesar pela morte de Virgínia Coutinho

Óbito
virginia coutinho

A Assembleia da República aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar pela morte de Virgínia Coutinho, referência nacional na área do marketing digital, natural de Moreira de Cónegos, Guimarães, que morreu na quarta-feira, aos 36 anos.

“Natural de Guimarães (freguesia de Moreira de Cónegos), Virgínia Coutinho era considerada uma das principais especialistas em redes sociais e uma referência no marketing digital no nosso país”, salienta o voto de pesar  que foi apresentado pelo PSD.

O documento recorda que Virgínia Coutinho “estudou ‘visual merchandising’ na London College of Fashion da University of the Arts, tendo-se licenciado em comunicação de ‘marketing’ na ESEC e pós-graduado em gestão de empresas no ISCTE”.

Lembrando o seu percurso, o PSD assinala igualmente que “trabalhou no Brasil como representante da Facebook-Brasil e depois na empresa Socialbakers em São Paulo e em Praga ascendendo a diretora de ‘marketing’ global da empresa”, em “2014 publicou o livro ‘The Social Book: Tudo o que precisa de saber sobre o Facebook'”, e três anos depois regressou a Portugal, “tendo integrado o projeto de formação da Google”.

“Em 2018, fundou e dirigiu a Lisbon Digital School, uma escola de formação na área do marketing digital” e “em 2019 criou e promoveu o evento Upload Lisboa”, acrescenta.

Morreu Virgínia Coutinho, de Guimarães, nome maior do marketing digital em Portugal

“O legado da sua curta vida mistura um empreendedorismo vibrante com a solidariedade a que se dedicava. Nas últimas semanas de vida criou o ‘Fundo Virgínia Coutinho’ através do qual pretende apoiar o projeto “Tech4Good” da Associação “Girls Move” que visa apoiar jovens adolescentes em Moçambique com vista a favorecer o surgimento de uma nova geração de mulheres líderes”, é ainda destacado no voto de pesar.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Famalicão vence Gil Vicente com três golos na segunda parte

Próximo Artigo

Têxtil Coelima declarada insolvente pelo Tribunal de Comércio de Guimarães

Artigos Relacionados
x