Seguir o O MINHO

Braga

Morreu o físico Gaspar Barreira, natural de Braga

“Perdemos um grande amigo do CERN e da física de partículas”

em

Foto: DR

O físico português Gaspar Barreira morreu na última noite, aos 79 anos, revelou hoje o presidente do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), Mário Pimenta.

Numa comunicação, Mário Pimenta salientou que Gaspar Barreira deixou “um imenso legado de visão, resistência e resiliência”.

A morte do físico português foi também anunciada na página na Internet da instituição, que Gaspar Barreiras ajudou a fundar.

“Trabalhou como poucos na construção de um Portugal onde Conhecimento, Liberdade e Racionalidade foram decisivos, antes e depois da Revolução de 25 de abril de 1974”, evidenciou.

Gaspar Barreira foi um dos fundadores do LIP e, ao longo dos últimos 30 anos, “dedicou-lhe grande parte de sua imensa energia”, acrescentou.

“O seu último grande projeto e entusiasmo, a instalação em Portugal de um centro de tratamento e pesquisa para terapia do cancro com ‘prótons’, ainda não foi realizado. Por isso, vamos nos esforçar”, acrescentou.

Gaspar Barreira nasceu em Braga a 04 de maio de 1940 e estudou Física e Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Na sequência da entrada de Portugal para o CERN como membro de pleno direito, criou em 1986, juntamente com Mariano Gago, o LIP, uma associação científica com delegações em Lisboa e Coimbra, que realiza investigação no campo da física experimental de altas energias e da instrumentação associada, colaborando com diversas entidades internacionais.

Gaspar Barreira foi representante oficial de Portugal em diversas organizações científicas internacionais, tendo coordenado diferentes programas de cooperação científica e tecnológica internacional.

Em 2006 recebeu a Ordem do Infante D. Henriques pelo seu contributo para a internacionalização da Investigação Científica Portuguesa.

Numa mensagem, a diretora geral do CERN, Fabiola Gianotti, diz-se “profundamente chocada”.

“Estou muito triste. Perdemos um grande amigo do CERN e da física de partículas, um cientista excelente e uma pessoa verdadeiramente única”, acrescentou.

Anúncio

Braga

Governo quer baixar preços de estacionamento no Hospital de Braga

Empresa privada detém concessão até 2039

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O Governo está a avaliar a possibilidade jurídica de intervir junto da entidade gestora do edifício do Hospital de Braga, de forma a baixar os preços praticados no parque de estacionamento daquela unidade, anunciou o Ministério da Saúde.

Em documento enviado à Assembleia da República, em resposta ao grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, “o Governo reconhece as queixas de utentes e profissionais, relativamente aos preços praticados no parque de estacionamento do Hospital de Braga e admite intervenção junto da Entidade Gestora do Edifício”.

“Os preços praticados pela empresa que está a explorar o parque têm sido motivo de queixa, quer por parte dos utentes, quer por parte dos profissionais, estando presentemente a ser avaliada a possibilidade jurídica de intervir junto da EGE”, refere o órgão que tutela a saúde em Portugal.

Sobre o pedido de tornar gratuito o estacionamento, feito pelos deputados do BE, eleitos pelo círculo eleitoral de Braga (José Maria Cardoso e Alexandra Vieira), o Governo diz ser inmpossível, uma vez que a concessão do estacionamento a uma empresa privada é válido até 2039.

Continuar a ler

Braga

Turista em estado grave após queda no Gerês

Cascatas do Tahiti

em

Foto: O MINHO

Um homem, com 51 anos, sofreu ferimentos graves na sequência de uma queda em cascatas do Gerês, ao final da manhã deste sábado, em Vilar da Veiga, concelho de Terras de Bouro, disse a O MINHO fonte envolvida no socorro.

No local, conhecido por albergar as famosas Cascatas do Tahiti, estiveram socorristas da delegação de Rio Caldo da Cruz Vermelha Portuguesa, acompanhados por elementos dos Bombeiros de Terras de Bouro.

A vítima, residente em Lisboa, caiu num pequeno lago (poço natural) depois de ter escorregado e caído de uma altura de seis metros.

Ao que apuramos, a vítima, em estado de hipotermia, sofreu ferimentos a nível do crânio.

Foi transportado para o Hospital de Braga.

O alerta foi dado cerca das 12:00 horas.

A GNR do Gerês registou a ocorrência.

Continuar a ler

Braga

Roubam 400 mil euros em assaltos à mão armada em Braga e no Porto

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de quatro homens, com idades entre os 31 e os 50 anos, pela prática de 10 crimes de roubo com recurso a armas de fogo, em concelhos do Porto e de Braga.

Em comunicado, a PJ esclarece que os suspeitos “apropriaram-se de cerca de 400 mil euros” e que os factos ocorreram entre março de 2019 e esta sexta-feira, quando foram detidos.

“Os detidos atuaram sempre com grande violência sobre as vítimas, com recurso a armas de fogo, que não hesitavam usar, tendo, em mais de uma ocasião, feito diversos disparos”, sublinha a PJ.

Seis desses crimes consistiram em assaltos a carrinhas e pessoas que procediam ao abastecimento de numerário em caixas multibanco.

“Num desses assaltos os arguidos não lograram apropriar-se de qualquer quantia, porém, nos outros cinco, conseguiram sempre os seus intentos”, refere.

Os restantes crimes consistiram em abordagens, no exterior dos bancos, a cidadãos que ali se deslocavam para depositar dinheiro.

O último assalto, na sexta-feira, “consumou-se na Senhora da Hora, concelho de Matosinhos, tendo os arguidos sido detidos poucos momentos depois, ainda na posse da quantia de 30 mil euros, que tinham acabado de roubar à vítima, e de uma arma de fogo”, esclarece.

Segundo a PJ, a três destes arguidos competia-lhes fazer a abordagem das vítimas, enquanto o outro se dedicava às tarefas de vigilância.

Buscas realizadas durante o dia de sexta-feira permitiram recuperar mais de 15 mil euros em numerário, proveniente de anteriores assaltos, roupa usada pelos arguidos e outros elementos de prova. Foram também apreendidos seis automóveis utilizados nos diversos assaltos.

Três dos detidos têm antecedentes criminais e todos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial e aplicação das adequadas medidas de coação.

Continuar a ler

Populares