Seguir o O MINHO

Aqui Perto

Montalegre quer incentivar à natalidade e lutar contra o despovoamento

Projeto “Olhares pela Maternidade”

em

Foto: DR

A Câmara de Montalegre envolveu as famílias no projeto “Olhares pela Maternidade” que visa incentivar a natalidade e anunciou um apoio mensal de 50 euros a atribuir a todas as crianças até aos 3 anos.


“Quisemos assinalar esta necessidade de abanar um pouco a comunidade e dizer claramente que o município está sensível e preocupado com o problema do despovoamento, da natalidade, e sobretudo que este problema só pode ser resolvido pelos casais”, afirmou hoje o vice-presidente da Câmara de Montalegre, David Teixeira.

O “Olhares pela Maternidade” envolve as famílias, o município e o Centro de Saúde de Montalegre, através da médica Sandra Alves.

O projeto tem três grandes objetivos: o olhar pela demografia e natalidade, a promoção turística do concelho e a conceção de uma ferramenta de consulta sobre a vigilância da gravidez de baixo risco em cuidados de saúde primários.

“Viver nesta região de fronteira, longe das grandes cidades, tem também, na questão da gravidez, um risco acrescido pelo tempo que as mães demoram a chegar a Vila Real ou a Braga”, referiu o autarca.

No âmbito da iniciativa, está patente no edifício da câmara uma exposição de fotografias de recém-nascidos e ainda de barrigas de grávidas pintadas com ícones do concelho, como o castelo, uma bruxa, a ponte da Misarela, o parapente ou o rali. As fotografias foram também transpostas para um calendário.

Daniela Morgado, advogada de 28 anos, está grávida de sete meses e foi uma das participantes do projeto que diz que quer “alertar para a baixa natalidade”.

“Portugal tem uma taxa de natalidade reduzida, mas as zonas do Interior muito mais. De certa forma, o projeto quis alertar para essa situação e incentivar futuros casais a terem filhos. Também é uma forma de dizer que é bom viver em Montalegre. Não sou daqui, mas sinto-me tão bem aqui como me sinto em casa”, salientou.

Com cerca de 11.000 habitantes, este concelho do distrito de Vila Real regista uma média de 40 nascimentos por ano.

Tânia Afonso, 26 anos, mãe de uma menina recém-nascida e de outro menino, salientou que a participação no projeto foi “uma experiência diferente”, que gostou “muito”.

O “Olhares pela Maternidade” quer também fortalecer a identidade dos barrosões.

Tânia Afonso disse que gosta de viver em Montalegre. “É uma vida mais calma aqui. Não temos tanta confusão, tanto trânsito. Vou com eles a todo lado, não temos o problema de estacionamento. É calmo e gostamos dessa tranquilidade”, frisou.

O município anunciou também um “cheque maternidade” de 50 euros, por mês, que será atribuído durante os primeiros três anos, a todos os casais que tiverem filhos. A autarquia prevê aplicar 75 mil euros nesta medida.

Este apoio exige que as faturas apresentadas resultem de gastos realizados no concelho e que os casais também ali residam.

David Teixeira destacou que as duas vertentes deste financiamento são “garantir que a economia local funciona e garantir que os bebés, as crianças, têm as melhores condições”.

“Sem dúvida que é muito bom. É lógico que não se deve pensar em ter filhos só por causa dos benefícios, mas sem dúvida que é uma ajuda preciosa para qualquer casal ter esse apoio por parte do município”, salientou Daniela Morgado.

Tânia Afonso acrescentou que, neste momento, “toda a ajuda é bem-vinda”. “Usam fralda os dois e temos algumas despesas. A ajuda da câmara veio mesmo a calhar”, referiu.

Anúncio

Aqui Perto

Mais 14 pescadores infetados e 45 em isolamento em Vila do Conde e Póvoa de Varzim

Covid-19

em

Foto: DR

Catorze pescadores da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, distrito do Porto, que operavam em duas embarcações, testaram positivo à covid-19, informou esta terça-feira a Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar.

Segundo a instituição, surgiram nove casos numa embarcação e cinco noutra, forçando a suspensão da atividade de ambas, que estão, de momento, atracadas no porto de pesca de Matosinhos, uma vez que os 45 elementos das tripulações estão em confinamento profilático obrigatório nos domicílios.

A Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar informou que desde o início do mês já promoveu 100 testes de despiste à covid-19 a pessoas ligadas à atividade da pesca, e mostrou “preocupação” com o aumento no número de casos positivos no setor, garantindo que continuará a promover a testagem.

“Manifestamos grande preocupação com o setor e com os impactos que esta pandemia poderá trazer aos nossos pescadores”, partilhou a associação numa nota informativa.

Este é um segundo surto de covid-19 nesta comunidade piscatória da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, uma das maiores do país.

Em agosto, 15 pescadores foram infetados pelo novo coronavírus, forçando ao isolamento de 90 homens e à paragem de quatro embarcações.

De acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde, Vila do Conde registou, desde o início da pandemia, 842 casos de infeção pelo novo coronavírus, tendo concelho vizinho da Póvoa de Varzim somado 537 casos.

Continuar a ler

Aqui Perto

Homem desaparecido desde domingo encontrado morto em Santo Tirso

Óbito

em

Foto: Redes sociais

Um homem que estava desaparecido desde domingo foi encontrado morto, esta terça-feira, em Vilarinho, na fronteira entre Vizela e Santo Tirso (distrito do Porto).

De acordo com a Rádio Vizela, o homem, de 56 anos e residente naquela freguesia, é conhecido por Berto Serralheiro e estava desaparecido desde domingo, levando a várias campanhas nas redes sociais após o seu desaparecimento.

Segundo a mesma fonte, o homem foi encontrado nas imediações da sua residência, junto ao campo de futebol de Vilarinho. O mesmo padecia de vários problemas de saúde, desconhecendo-se as causas da morte.

No local estiveram os Bombeiros de Vila das Aves e a GNR.

Continuar a ler

Aqui Perto

Jovem de Montalegre morre atropelado na Alemanha

Óbito

em

Foto: DR

Um jovem de 25 anos perdeu a vida na sequência de um atropelamento em passadeira no passado sábado, em Munique, Alemanha.

De acordo com o portal Sinal TV, Tomás Ferreira, natural de Outeiro, em Montalegre, terá sido colhido por um automóvel quando atravessava uma passadeira junto à sua residência, acabando por ser projetado vários metros.

O jovem estudou em Montalegre, onde fez parte da Banda de Música de Perafita, tendo emigrado para Munique, onde vivia e trabalhava.

Desconhecem-se ainda as datas para as exéquias fúnebres do jovem que era filho de um funcionário da Câmara de Montalegre.

Continuar a ler

Populares