Marinha vai apoiar na logística e segurança da JMJ

Henrique Gouveia e Melo. Foto: Lusa

A Marinha vai prestar apoio logístico e de segurança da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza na primeira semana de agosto em Lisboa, disse hoje o chefe do Estado-Maior da Armada.

“Nós temos muitos meios que estão disponíveis quer logísticos, em termos de apoio logístico, quer em termos de apoio à segurança do evento”, disse aos jornalistas o almirante Henrique Gouveia e Melo, durante uma visita à sede do Comité Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude, no Beato, em Lisboa.

Gouveia e Melo foi questionado sobre que tipo de apoio e vigilância vai fazer a Marinha durante a JMJ, mas o chefe do Estado-Maior da Armada escusou-se a avançar com informações, alegando que a divulgação de dados “contrariam o pormenor da vigilância”.

Considerado o maior acontecimento da Igreja Católica, a JMJ vai realizar-se entre 01 e 06 de agosto em Lisboa, sendo esperadas cerca de 1,5 milhões de pessoas.

A escola de fuzileiros está a dar formação em liderança e trabalho a 160 chefes das equipas dos voluntários da Jornada Mundial da Juventude.

Gouveia e Melo afirmou que essa colaboração passa por transmitir “a experiência, capacidade logística e de organização para as pessoas que vão ter de reproduzir isso junto à juventude”.

A sede do Comité Organizador Local da Jornada Mundial da Juventude também recebeu hoje à tarde a visita do diretor nacional da PSP, Manuel Magina da Silva.

Na ocasião, o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 e coordenador-geral, Américo Aguiar, afirmou que tudo está a ser feito para que a JMJ corra bem, mas admitiu que “certamente algumas coisas” possam não correr bem.

“Um milhão de pessoas, além daqueles que é costume vão provocar constrangimentos. Vamos tentar diminuir os constrangimentos, fazer sinergias com as Forças Armadas e forças de segurança e com todos com responsabilidades no território”, disse o bispo Auxiliar de Lisboa.

Américo Aguiar recordou que se está a 64 dias da JMJ.

A JMJ nasceu por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

A edição deste ano contará com a presença do Papa Francisco, que estará em Portugal entre 2 e 6 de agosto.

A JMJ de Lisboa esteve inicialmente prevista para 2022, mas foi adiada devido à pandemia de covid-19.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Alunos de Braga vencem Olimpíadas de Química Júnior

Próximo Artigo

Novos limites às comissões bancárias entram em vigor terça-feira

Artigos Relacionados
x