Seguir o O MINHO

Alto Minho

Madeireiro de Paredes de Coura foi cremado por engano em Espanha

Apesar dos testes de ADN às cinzas ainda não estarem concluídos, o corpo foi identificado como sendo do trabalhador português, devido à aliança de casamento.

em

Jorge Cunha, madeireiro de 39 anos que morreu na região de Pontevedra, Espanha, depois de ter sido atingido por uma árvore, no passado dia 30 de abril, foi cremado por engano por uma funerária espanhola.


Segundo conta o Jornal de Notícias na sua edição imprensa de sexta-feira, o homem foi autopsiado no Hospital Nicolás Penha, em Vigo, no dia 01 de maio. Depois, a funerária Ermorvisa de Vigo, que tinha um serviço marcado para aquela unidade hospitalar, levantou o cadáver de Jorge Cunha, que se encontrava no tanatório Vigo Memorial, cremou-o e entregou as cinzas a uma família das Astúrias.

Foto: DR

Apesar dos testes de ADN às cinzas ainda não estarem concluídos, os restos mortais foram identificados como sendo do trabalhador português, devido à aliança de casamento.

“A advogada considerou que as provas não deixavam dúvidas”, disse uma fonte conhecedora do processo ao JN.

As cinzas foram a enterrar na quinta-feira, na freguesia de S. Jorge, em Arcos de Valdevez, terra natal da esposa do homem de 39 anos.

O caso está entrega às autoridades espanholas.

Anúncio

Alto Minho

Centenas manifestam-se pelo fim da Águas do Alto Minho

População exige remunicipalização do serviço

em

Manifestação em Ponte de Lima. Foto: O MINHO

A população de sete concelhos do distrito do Alto Minho exigiu hoje o regresso da gestão de redes de água em baixa e de saneamento aos municípios da região, assegurada desde janeiro pela empresa Águas do Alto Minho (AdAM).

A manifestação foi convocada através das redes sociais para as 10:00 de hoje, junto aos edifícios camarários dos sete concelhos que integram a AdAM.

A AdAM, empresa de gestão das redes de água em baixa e de saneamento, é detida em 51% pela AdP e em 49% pelos municípios de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Manifestação em Ponte de Lima. Foto: O MINHO

Manifestação em Ponte de Lima. Foto: O MINHO

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS) – reprovaram a constituição daquela parceria.

A nova empresa começou a operar em janeiro, “dimensionada para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

Em abril, a empresa suspendeu a faturação depois de terem sido detetados erros de faturação que afetaram 15 mil consumidores.

A constituição tem sido contestada por vários partidos e pela população de alguns concelhos, que se queixa do aumento “exponencial” das tarifas e do funcionamento dos serviços.

Hoje, na cidade de Viana do Castelo, mais de meia centena de pessoas concentrou-se junto à Câmara Municipal.

Elsa Abreu e Rosa Gomes, da freguesia da Miadela, queixaram-se que a fatura “disparou” e do “mau serviço de atendimento” prestado pela empresa.

Manifestação em Valença. Foto: Bruno Gonçalves

Manifestação em Valença. Foto: Bruno Gonçalves

Manifestação em Valença. Foto: Bruno Gonçalves

“Quero entrar em contacto com a AdAM e ninguém atende o telefone, nem por email respondem. É complicado. Já passei à porta da empresa dois meios dias e só à terceira vez é que fui atendida. Tenho problemas de saúde, não posso estar muito tempo de pé. É escandaloso. São filas enormes de pessoas”, disse Elsa Abreu, exigindo o regresso do serviço à Câmara municipal.

Para José Cambão, da Meadela, “os bens de primeira necessidade não podem ser privatizados e dar lucro, mas sim entregues a uma entidade pública”.

“Eu senti um aumento de cerca de 10 euros na fatura da água. A fatura tem taxas e taxinhas que não percebemos bem. A gestão das águas deve voltar aos serviços municipalizados de Viana do Castelo”, referiu.

No protesto de Viana do Castelo, participaram representantes de vários partidos políticos.

Protestos contra Águas do Alto Minho nos sete concelhos abastecidos pela empresa

Na sexta-feira, contactada pela agência Lusa, fonte do comando da PSP de Viana do Castelo, que também abrange o concelho de Ponte de Lima, disse não ter sido oficialmente informada de qualquer manifestação na sua área.

Hoje, a mesma fonte confirmou a realização de ações nestes dois concelhos, mas sem adiantar o número de participantes.

Na sexta-feira, fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo disse ter recebido comunicação de um protesto em Caminha.

A Lusa conseguiu apurar que decorreram iniciativas nos sete concelhos.

Continuar a ler

Alto Minho

Avião cai no combate a incêndio no Gerês. Dois feridos graves

Lindoso

em

Foto: DR (via Correio da Manhã)

Um avião despenhou-se na manhã deste sábado quando combatia o incêndio de grandes dimensões que lavra em Lindoso, Ponte da Barca, no Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Há dois feridos graves, tripulantes do Canadair.

O acidente aconteceu pelas 11:20 e “os meios de socorro estão a caminho”, embora se desconheçam para já detalhes sobre o que aconteceu e sobre a existência de feridos, indicou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo.

Nove meios aéreos combatem incêndio de grandes dimensões no Gerês

Numa nota de imprensa, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) afirmou que se trata de um avião anfíbio pesado (Canadair CL215), do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, do Centro de Meios Aéreos de Castelo Branco, que participava nas operações de combate a um incêndio que lavra no Parque Nacional da Peneda Gerês, freguesia e concelho do Lindoso, distrito de Viana do Castelo.

O avião despenhou-se num acidente junto à Barragem do Alto do Lindoso, na sequência de uma operação de ‘scooping’ (reabastecimento de depósito de água), acrescentou.

O GPIAAF – Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários indicou à Lusa já ter sido notificado do acidente e que está a enviar para o local uma equipa para dar início às diligências.

Entretanto, outra fonte da Proteção Civil acrescentou que se trata um avião português que fazia parte do dispositivo de combate a incêndios florestais e que os feridos graves são os ocupantes do aparelho.

Disse ainda que o avião caiu numa zona montanhosa.

De acordo com a página de internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, mais de 100 operacionais, apoiados por 28 veículos e 10 meios aéreos portugueses e espanhóis combatiam pelas 12:00 o incêndio que lavra no Parque Nacional da Peneda-Gerês desde as 05:19 de hoje.

Notícia atualizada às 13h16 com mais informação.

Continuar a ler

Alto Minho

Nove meios aéreos combatem incêndio de grandes dimensões no Gerês

Lindoso

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um incêndio de grandes dimensões deflagrou na madrugada deste sábado, em Lindoso, Ponte da Barca, no Parque Nacional da Pendeda-Gerês.

No combate às chamas estão nove meios aéreos, 89 operacionais e 20 viaturas.

O alerta foi dado às 05:19.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo explicou que alguns dos nove meios aéreos “são de coordenação e não de combate” e que o total de meios e operacionais no terreno inclui portugueses e espanhóis, pois o incêndio afeta a freguesia de Lindoso, concelho de Ponte da Barca, em Portugal, e “a zona de Lindos”, em Espanha.

A mesma fonte disse desconhecer de que lado da fronteira teve início o fogo, notando que o CDOS apenas recebeu o alerta do incêndio do lado português, pelas 05:19.

De acordo com o CDOS, “não há habitações em perigo”.

Está a arder uma zona de povoamento florestal, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Notícia atualizada às 11h28.

Continuar a ler

Populares