Seguir o O MINHO

Braga

Julgamento de alegada corrupção nos Transportes Urbanos de Braga começa dia 16

Antigo vice presidente da Câmara de Braga no banco dos réus

em

O Tribunal Judicial de Braga começa na quarta-feira a julgar o processo de alegada corrupção nos Transportes Urbanos de Braga (TUB), que conta com cinco arguidos, entre os quais o ex-vice-presidente da Câmara local, Vítor de Sousa.

O antigo autarca vai responder pelos crimes de corrupção passiva para ato ilícito e administração danosa.

Em causa está o alegado favorecimento da MAN Portugal nos concursos para fornecimento de autocarros aos TUB, mediante o pagamento de “luvas”.

A acusação do Ministério Público (MP), subscrita em sede de instrução, refere que Vítor de Sousa, na qualidade de presidente do conselho de administração dos TUB, terá recebido de contrapartidas mais de 226 mil euros.

Uma vantagem patrimonial que, acrescenta a acusação, seria “suportada” pelos TUB, por acrescer ao preço dos veículos, causando assim “um prejuízo importante” àquela empresa municipal.

No processo, é também arguida, pelos mesmos crimes, Cândida Serapicos, ex-vogal da administração dos TUB e classificada pelo MP como “braço direito político” de Vítor de Sousa.

Cândida Serapicos terá obtido 27.500 euros de “luvas”.

Outro arguido é Luís Vale, na altura diretor do Departamento de Manutenção e Planeamento dos TUB e principal decisor nos concursos públicos para fornecimento de autocarros.

Luís Vale terá conseguido 23 mil euros de contrapartidas.

Referindo que aquelas contrapartidas eram pagas “de forma desconcentrada”, em parcelas, “a fim de evitar suspeitas”, o MP quer que os três sejam obrigados a pagar ao Estado as verbas que terão conseguido com a sua atividade criminosa, tendo para o efeito já determinado o arresto de bens.

Para o MP, estes três arguidos “mercadejaram” com os seus cargos, “para satisfação exclusiva” dos seus interesses particulares, “em manifesto e grave desrespeito pelo interesse público e pelas regras e princípios que devem presidir aos procedimentos concursais públicos”.

No processo, são ainda arguidos a MAN Portugal e um responsável da empresa, acusados pelo MP de um crime de corrupção ativa em prejuízo do comércio internacional, em concurso com um crime de corrupção ativa.

Em causa está a compra dos TUB à MAN de um total de 23 autocarros, entre 2003 e 2008.

O MP refere que os cadernos de encargos dos procedimentos concursais careciam de objetividade, “prestando-se, deliberadamente, a uma apreciação subjetiva das propostas” e a uma “escolha arbitrária”, em ordem a “favorecer” a MAN.

Os cinco arguidos foram detidos em fevereiro de 2016 pela Polícia Judiciária, mas acabaram por ficar todos em liberdade.

No caso dos responsáveis dos TUB, foram aplicadas cauções de 100 mil euros (Vítor de Sousa), 27 mil (Cândida Serapicos) e 23 mil (Luís Vale).

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Procuram-se jovens músicos bracarenses para se juntarem à Escola do Rock

Inscrições até 01 de abril

em

Foto: GNRation

A Escola de Rock de Paredes de Coura vai descer até Braga para apresentar um concerto que irá integrar jovens músicos bracarenses.

O convite partiu do gnration e está inserido nas comemorações do seu sexto aniversário. Para isso, a estrutura bracarense vai organizar uma “open call onde irá procurar jovens guitarristas e baixistas da cidade de Braga, com idades entre os 13 e os 17 anos.

O espetáculo sobe a palco a 27 de abril, sábado, pelas 16:30. Os ensaios de preparação decorrem a 13 e 14 de abril, sábado e domingo, respetivamente, das 14:30 às 18:30. Ainda a 27 de abril, da parte da manhã, haverá um ensaio-geral.

As inscrições são gratuitas e decorrem até 1 de abril. Os interessados deverão contactar o gnration através do e-mail [email protected]

Recorde-se que a Escola do Rock surgiu em Paredes de Coura, corria o ano de 2014, numa iniciativa municipal para potenciar o aparecimento de novas bandas e novos músicos. Composta por cerca de 50 jovens músicos, já atuou em diversas salas de espectáculos e festivais de música.

Continuar a ler

Braga

Larápios deixam carro sem as quatro rodas em Braga

Em Fraião

em

Foto: Semanário V

O proprietário de um veículo da marca Mercedes, parado num estacionamento numa rua de Fraião, em Braga, foi esta quinta-feira surpreendido, após lhe terem furtado as quatro jantes e respetivos pneus.

Os larápios deixaram a viatura apoiada num macaco e num tijolo.

A GNR foi chamada ao local.

Continuar a ler

Vila Verde

Moçambique: Vila Verde lança ações para apoio às vítimas do ciclone Idai

Executivo vai propor um donativo de 5 mil euros

em

Foto: DR

Em apoio às vítimas do ciclone Idai, que devastou regiões de Moçambique, o Município de Vila Verde vai concretizar um conjunto de diversas ações de solidariedade a favor das populações afetadas, incluindo donativos, recolha de bens e eventos públicos para angariação de fundos.

Na próxima reunião de executivo, o executivo social-democrata vilaverdense vai propor um donativo de 5 mil euros para ajudar a UNICEF na missão que está a desenvolver no terreno, apoiando as cerca de 200 mil crianças que estão a precisar de vacinação e que carecem de muitas outras necessidades.

O Município de Vila Verde vai avançar já na próxima segunda-feira com a colocação no concelho de vários pontos de recolha de bens essenciais e prioritários, que serão enviados, através da Associação Portuguesa de Moçambique.

Brevemente, em data a anunciar, decorrerá um concerto solidário organizado em parceria com a Academia de Música de Vila Verde, cujos contributos reverterão a favor das vítimas causadas pelo ciclone.

“É muito importante que o concelho de Vila Verde se una em prol desta causa humanitária e que todos possamos contribuir para ajudar e minorar o sofrimento das vítimas desta enorme catástrofe natural”, disse Júlia Fernandes, vereadora da Cultura, Educação e Ação Social da Câmara Municipal de Vila Verde.

Para esta campanha de solidariedade, os contributos deverão ser alimentos não perecíveis (enlatados e empacotados), vestuário e calçado (para clima tropical), produtos de higiene pessoal (sabonetes, pensos e shampôs), meios de saneamento e purificação de água (cloro, detergentes) e bens de abrigo (tendas, cobertores, lençóis, colchões, etc).

A catástrofe natural causada pela passagem do ciclone tropical Idai, em Moçambique, Maláui e Zimbabué, no passado dia 14 de março, provocou um elevado número de feridos e centenas de vítimas mortais, que não param de aumentar, tendo despoletado o desalojamento de milhares de pessoas.

Continuar a ler
Anúncio

ÚLTIMAS

Reportagens da Semana

EM FOCO

Populares