Seguir o O MINHO

Braga

Homem mata mulher a tiro em Braga

Violência doméstica

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma mulher de 54 anos morreu esta sexta-feira em Braga vítima de um tiro de arma de fogo disparado pelo próprio marido.

O homem terá disparado sobre a mulher dentro da residência, localizada na rua da Bugide, freguesia de Pedralva.

Dirigiu-se esta noite ao posto territorial do Sameiro (GNR) onde confessou a autoria do crime.

Ao local acorreu uma ambulância INEM e a VMER de Braga, tendo confirmado o óbito da mulher.

O homem, de 59 anos, encontra-se sob custódia policial. Desconhecem-se ainda os motivos do crime.

Este é já o segundo caso de morte entre casais no distrito de Braga no espaço de seis dias.

No passado domingo, um homem matou a companheira em Gondifelos, Famalicão, pondo termo à vida de seguida.

Anúncio

Braga

Detido com matrícula falsa e sem seguro no centro de Braga

Na Praça da República

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um jovem de 24 anos foi detido, na tarde da passada sexta-feira, no centro da cidade de Braga, por conduzir uma viatura com matrículas falsas, anunciou hoje a PSP.

O condutor foi intercetado em pleno centro da cidade, na Praça da República, na posse de um veículo onde ambas as matrículas eram falsas.

Durante a operação de fiscalização, os agentes policiais perceberam ainda que a viatura não tinha seguro válido para circulação viária.

O detido foi notificado para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Câmara de Vila Verde aprova tarifário “reduzido” para transportes públicos

Mobilidade

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara de Vila Verde aprovou hoje um tarifário reduzido para os transportes públicos, que estipula um limite máximo de 20 euros para os passes sociais com destino aos distritos de Braga e Viana do Castelo.

Em comunicado, a Câmara refere que a proposta hoje aprovada está enquadrada nos objetivos do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) de fomento dos transportes coletivos e de garantia de uma maior acessibilidade económica ao transporte público, “concorrendo, assim, para uma maior qualidade ambiental e para reduzir as despesas familiares neste capítulo”.

A proposta sublinha que o transporte individual “é responsável pela emissão de mais de um quarto dos gases com efeito de estufa, revelando-se importante promover uma mudança de paradigma, alterando os padrões de mobilidade das populações através de uma maior utilização dos transportes públicos”.

Com a mesma proposta, acrescenta o comunicado, a Câmara pretende aproveitar o PART “para levar a bom porto uma política pública de mobilidade tendente a reforçar a coesão territorial e social, no concelho de Vila Verde”.

No pressuposto de que “os hábitos de mobilidade devem ser criados e incrementados, em especial no público juvenil e universitário”, a Câmara propõe-se ainda alargar a gratuitidade do transporte escolar ao ensino universitário, para todos os alunos contemplados com bolsa de estudo.

Aos demais estudantes, o município comparticipará os custos de deslocação, de modo a que os encargos com os respetivos passes rodoviários tenham também um custo máximo de 20 euros.

“A mobilidade sustentável e a aposta numa política de forte apoio às famílias vilaverdenses emergem, assim, como dois importantes vetores de uma consistente estratégia de modernização e desenvolvimento sustentado do território concelhio”, refere ainda o comunicado.

Citado no comunicado, o presidente da Câmara, António Vilela (PSD), refere que “o estímulo à utilização de transportes públicos, com custos extremamente reduzidos para as famílias vilaverdenses, serve o duplo objetivo de preservação do equilíbrio ambiental e de consolidação de políticas ativas de apoio social, ao mesmo tempo que, a par da atribuição de bolsas de estudo, proporciona o acesso de um crescente número de jovens ao ensino superior.”

Continuar a ler

Braga

‘Piratas’ desviam mais de um milhão de euros de contas bancárias em Braga

‘Phishing’

em

Foto: DR / Arquivo

Apoderaram-se de cerca de um milhão de euros provenientes de contas bancárias que não lhes pertenciam. Um grupo de piratas informáticos terá cometido mais de uma dezena de furtos através do conceito de phishing, estando agora em investigação pelo Ministério Público.

Segundo a edição impressa do Jornal de Notícias desta segunda-feira, o processo conta já com cerca de 55 arguidos, entre cabecilhas e os próprios informáticos, que agiam sobretudo na região do Minho.

Para se apoderarem do dinheiro, em grande número através de contas do Montepio, utilizavam falsos emails onde solicitavam o número de conta, número dos cartões de crédito, identidade, entre outros documentos.

Quase sempre agiam em nome do próprio banco, nos emails, induzindo os clientes ao erro, pensando tratar-se de correspondência legítima da entidade bancária. Só numa conta, terão desviado 10 mil euros. Atuaram entre 2013 e 2018, segundo a acusação

Continuar a ler

Populares