Seguir o O MINHO

Região

GNR apanha grupo que vendia retroescavadoras furtadas para África via Amesterdão

em

Foto: GNR

A GNR identificou seis homens, em Vila Nova de Famalicão e em Santarém, no sul do país, esta quarta-feira, por furto de máquinas industriais pesadas, incluindo retroescavadoras, que eram posteriormente enviadas para Amesterdão, na Holanda, para serem comercializadas em países do médio oriente e em África, informou hoje aquela força de segurança.

Os furtos ocorreram na zona norte do país, tendo a primeira ocorrência sido registado no concelho de Vieira do Minho.

No âmbito de uma investigação levada a cabo pelo Núcleo de Investigação Criminal da Póvoa de Lanhoso, desde início em outubro de 2017, foram realizadas sete buscas domiciliárias às residências dos suspeitos, e 27 não domiciliárias, nomeadamente em anexos, garagens e veículos.

Da lista de apreensões, consta o seguinte material:

· Uma arma de fogo, tipo “Shotgun”;

· Dois detetores de sinais GPS/GSM;

· Quatro comandos de alta frequência;

· Um computador portátil;

· Várias placas VIN (número de identificação/marca de segurança) de máquinas retroescavadoras;

· Um detetor de metais;

· 30 doses de haxixe;

· 28 telemóveis;

· 32 450 euros em numerário.

· Uma máquina de contar notas;

Nesta ação foram ainda apreendidas munições de vários calibres e diversas chaves de veículos.

Segundo a GNR, cinco dos suspeitos têm antecedentes criminais por falsificação de documentos, fraude fiscal, furto qualificado, abuso de confiança, coação e burla qualificada.

Os suspeitos, com idades entre 21 e 65 anos, foram constituídos arguidos e sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência, sendo que quatro dos arguidos serão presentes no Tribunal Judicial de Vila Verde, no dia 14 de dezembro, sexta-feira, para primeiro inquérito judicial.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Mais de 300 participantes trazem a tradição folclórica às festas de S. João de Braga

Espetáculo folclórico marcado para as 21:30

em

Foto: Divulgação

O São João de Braga volta a dar destaque à cultura folclórica de Braga e junta, hoje, pelas 16:30, mais de 300 participantes para que, trajados a rigor, encham o centro histórico de Braga. O cortejo arranca da Rua de S. João e culminará na Praça Municipal.

“Este será um momento importante para a cidade voltar a contemplar as capotilhas, pequenas capas traçadas sobre o peito, usadas pelas mulheres da cidade, tornadas num marco tão diferenciador da etnografia bracarense”, refere nota da associação.

Além do Cortejo Etnográfico, que será seguido de espetáculos de rua conduzidos pelos grupos participantes, o folclore subirá ao palco da Praça da República, pelas 21:00, para um espetáculo que juntará o Grupo Folclórico da Universidade do Minho, os Sargaceiros da Apúlia, Grupo Folclórico da Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo (Matosinhos), Grupo Etnográfico de Areosa (Viana do castelo) e Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio.

Continuar a ler

Ave

Orquestra da Academia de Música de Basto dá concerto no centro cultural de Celorico de Basto

Aluno da Academia prepara-se para ingressar no Ensino Superior de Música

em

Foto: DR

O Centro Cultural Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, em Celorico de Basto foi o local escolhido para apresentar mais um Concerto de Classes desta Instituição e um recital por José Francisco Silva, aluno da Academia que se prepara para ingressar no Ensino Superior.

Este espetáculo musical está agendado para hoje, às 15:30. O recital será a conclusão da frequência do Curso de Trombone.

Para a Academia de Música de Basto “é um orgulho” ver um dos seus alunos seguir música como objetivo de vida. “Estamos muito orgulhosos do Francisco, é um jovem muito dedicado que se entrega à música de corpo e alma” disse Carla Lopes, Diretora da Academia de Música de Basto.

Como habitualmente, a Academia de Música desenvolve um concerto de classes para mostrar ao público parte do trabalho desenvolvido ao longo do ano com os seus alunos, com a apresentação de múltiplas interpretações musicais.

Este ano letivo conta ainda com mais uma apresentação pública, o Musical “História de Alladino” no dia 06 de Julho pelas 21:00 horas no Auditório dos Bombeiros Voluntários de Celorico de Basto.

Continuar a ler

Braga

Propostas para o Orçamento Participativo de Braga já podem ser submetidas

Até 15 de setembro

em

Foto: DR

Aí está mais uma edição do Orçamento Participativo da cidade de Braga. Esta é a 6ª edição do OP, “uma iniciativa que pretende mais uma vez apresentar-se aos munícipes como um projecto consolidado e um meio participativo por excelência”, como refere um comunicado municipal.

O montante global do Orçamento Participativo de Braga é de 750.000 euros. Uma parte desta verba, 100.000 euros, destina-se ao Orçamento Participativo Escolar. Os 750.000 euros são cabimentados no Orçamento Geral da Câmara Municipal de Braga. Os Bracarenses poderão apresentar as suas propostas até ao próximo dia 15 de Setembro.

Após o término do prazo de apresentação de propostas, as mesmas serão alvo de análise por parte dos serviços municipais, que irão averiguar a sua viabilidade e exequibilidade.

Para serem submetidas à votação dos cidadãos, as propostas devem inserir-se no quadro de competências e atribuições da Câmara Municipal de Braga e ter um custo global igual ou inferior a 85 mil euros.

odem participar no Orçamento Participativo de Braga todos os cidadãos com idade igual ou superior a 16 anos que residam, trabalhem ou estudem em Braga e que, devidamente identificados, se inscrevam no portal do Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Braga.

A fase de votação das mesmas decorre de 14 de Outubro a 15 de Novembro – 1ª e 2ª fase de votação.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares