Seguir o O MINHO

Região

Famílias belgas aprendem a conduzir as cabras às portas do Gerês

Turismo alternativo rumo ao coração do Minho atrai cada vez mais estrangeiros

em

Fotos: Armando Carriça / O MINHO

O turismo alternativo rumo ao coração do Minho atrai cada vez mais estrangeiros que buscam férias que não passem por simples idas à praia. Um desses casos é o de seis famílias belgas, vindas da região da Flandres, que passaram este sábado por entre as freguesias de Aboim da Nóbrega e Gondomar (Vila Verde) e Vade S. Pedro (Ponte da Barca), às portas do Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG), onde trocaram as sandálias e os banhos do mar pela recriação de tradições minhotas que levam na memória para casa, de onde chegaram no início desta semana. Foram acompanhados por Armando “Carriça” Rodrigues, guia já habituado a dirigir turistas estrangeiros pelos recantos geresianos.

Katrien Crou. Foto: Armando Carriça / O MINHO

Katrien Clou, cientista na área da Química, é uma das turistas que aprendeu a “escorregar em penedos” e a conduzir cabras nas aldeias à porta do Gerês. Veio passar dez dias a Portugal com marido e filho depois de se ter inscrito numa agência de viagens que promove férias alternativas [Anders Reizen], e que os enviou para Ponte da Barca, onde ficam numa casa de turismo rural situado em S. Martinho de Crasto, casa essa também à guarda de uma cidadã belga a residir por cá há vários anos.

“Fomos três dias à praia, no Porto, depois de chegarmos, mas estes últimos sete dias são passados aqui no meio da natureza e estamos a adorar a experiência”, contou a belga a O MINHO. O sábado de Katrien, do marido e do filho, assim como das restantes cinco famílias belgas, que apenas se conheceram já em solo português, foi preenchido por caminhadas pelos trilhos naturais da região e pelo acompanhamento de um “cabreiro”, José da Costa, um dos últimos cuidadores de cabras da região.

Foto: Armando Carriça / O MINHO

Os belgas acompanharam o rebanho de perto de meia centena de cabras durante uma caminhada, uma vez que os animais vão pastando enquanto andam pelas verdes encostas da Nóbrega e do Livramento, cruzando distritos de Braga e Viana do Castelo, mostrando que as fronteiras só existem no papel. José da Costa, natural de Aboim da Nóbrega, é dos últimos “cabreiros” da região e, embora tenha sido apenas mais um dia em que leva as cabras a pastar, ficou agradado com a companhia dos turistas, sobretudo das crianças que mostram sempre curiosidade perante os animais.

Liz Moons. Foto: Armando Carriça / O MINHO

Liz Moons, arquiteta de profissão, e inserida no mesmo grupo, contou a O MINHO que este tipo de férias é cada vez mais procurado na região belga, onde existem áreas verdes mas, sublinha, não com esta “autenticidade”. “Estamos radiantes por ver toda esta natureza e pelas tradições que nos mostram, mas também pela simpatia dos portugueses que nunca nos tratam como turistas”, realça.

A belga explica que outro dos atrativos neste sábado foi o “brincar nos penedos”, tradição de outros tempos que agora é negligenciada pelos portugueses, Garante ainda que o “verde autêntico” e as tradições minhotas vão na memória de todos aquando do regresso ao ocidente da Europa, previsto para o início da próxima semana.

Foto: Armando Carriça / O MINHO

Como explica Armando, o guia português que os acompanhou, estes turistas “nunca se esquecem do que daqui levam”. Para além de acompanhar as cabras, os turistas passaram algum tempo por entre penedos onde se mostraram radiantes.

Foto: Armando Carriça / O MINHO

“Todos querem descer os penedos em cima das giestas ou correr a subir os penedos maiores, o que é engraçado quando se faz o contraste com os portugueses que, quando lá chegam, ficam apenas a olhar e não querem participar”. Armando refere-se ao “escorregar” em penedos gigantes com recurso a giestas, diversão que domina e, garante, não tem qualquer perigo. A acompanhar Armando esteve a filha Laura, que serviu de intérprete, já que o guia não “domina o inglês”.

Armando, em conjunto com Domingos Costa, zelador do Parque de Campismo e Caravanismo Rural de Aboim da Nóbrega, promovem este tipo de iniciativas naquela freguesia para turistas e caminheiros.

José da Costa é dos últimos “cabreiros” da região. Foto: Armando Carriça / O MINHO

Adiantam que, pelos penedos, já passaram mais de um milhar de pessoas, sobretudo estrangeiros, que levam no regresso o nome destes montes minhotos como uma referência que, com comparação ao restante continente, em nada devem às terras altas da Escócia ou outros recantos procurados por turistas que procuram caminhadas na natureza.

Anúncio

Região

Norte 2020 abre concurso de mais de 19 milhões de euros para requalificar e modernizar escolas da região

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

em

Foto: DR / Arquivo

O programa Norte 2020 tem aberto até 15 de outubro um concurso para financiar, com 19,2 milhões de euros de fundos comunitários, a requalificação ou modernização de escolas da região, foi hoje divulgado.

Na página oficial do programa regional, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), responsável pela gestão, explica estar em causa financiamento comunitário do Norte 2020, destinado a “recuperar instalações escolares de vários graus de ensino, do pré-escolar ao superior, incluindo equipamentos de formação profissional”.

Só não são elegíveis para financiamento “as intervenções de modernização de infraestruturas financiadas há menos de 10 anos”, explica a entidade gestora do Norte 2020.

De acordo com a CCDR-N, este concurso visa “a requalificação/modernização das instalações de educação pré-escolar, dos ensinos básico, secundário e superior e dos equipamentos de formação profissional”.

A intenção, acrescenta, é “colmatar situações deficitárias e melhorando as condições para a educação, o ensino e a formação profissional”.

Estes investimentos devem estar previstos nos Pactos para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT), dinamizados pelas sete comunidades intermunicipais (CIM) da região Norte e pela Área Metropolitana do Porto (AMP).

Dos 19,2 milhões de euros, 4,2 milhões destinam-se a projetos da AMP, seguindo-se, nos primeiros lugares, a CIM do Tâmega e Sousa com 4,1 milhões de euros e a CIM do Alto Minho com 3,7 milhões, com a CIM do Cávado em último com 343,7 mil euros.

O Norte 2020 (Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020) é um instrumento financeiro com uma dotação de 3,4 mil milhões de euros de apoio ao desenvolvimento regional do Norte de Portugal.

Até 31 de maio, data da última atualização dos dados do Norte 2020, foram aprovados 7.456 projetos para a região que representam um apoio UE de 2,1 mil milhões de euros e um investimento total de 3,7 mil milhões de euros.

Está integrado no Acordo de Parceria PORTUGAL 2020 e tem como Autoridade de Gestão a CCDR-N.

 

Continuar a ler

Braga

Pudim Abade de Priscos ainda pode vencer 7 maravilhas doces de Portugal

Doce tradicional de Braga

em

Foto: DR

O concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal resolveu repescar todos classificados na segunda posição de cada distrito para voltarem a concorrer à meia-final do concurso.

No distrito de Braga, o vencedor foi o Bolinhol de Vizela, por ter angariado mais votos via telefone, com o Pudim Abade de Priscos, de Braga, a classificar-se na segunda posição.

Durante esta quarta-feira, este pudim tradicional de Priscos estará a votos até às 17:30 de forma a juntar-se aos doces de Vizela como representantes do distrito nas meias-finais do concurso que elege o doce português favorito da população.

Continuar a ler

Braga

Turistas feridas com gravidade após colisão entre cavalos no Bom Jesus

Colisão entre três cavalos faz quatro feridos

em

Foto: DR

Duas turistas de nacionalidade estrangeira ficaram com ferimentos graves na sequência de uma queda quando seguiam em cima de cavalos na zona do Bom Jesus, em Braga.

Ao que O MINHO apurou junto de fonte envolvida no socorro, a situação deu-se ao início da tarde da passada segunda-feira, às portas do parque do Bom Jesus, quando um cavalo se soltou e embateu contra outros dois que seguiam com as turistas em cima.

Para além das mazelas verificadas nas cidadãs de nacionalidade estrangeira, também dois tratadores que seguiam junto às turistas acabaram com ferimentos, estes considerados ligeiros.

De acordo com o jornal Correio da Manhã, uma das vítimas foi transportada para o Hospital de Braga em viatura particular enquanto as outras três foram assistidas no local.

Os passeios a cavalo são uma atração turística às portas do parque do Bom Jesus desde tempos imemoriais e uma das imagens de marca para crianças e turistas que acorrem àquele sacromonte de Braga.

Esta já não é a primeira situação de alguma aflição a ocorrer com os cavalos do Bom Jesus.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares