Seguir o O MINHO

Braga

Empresário Manuel Rodrigues investe 20 milhões em edifício no centro de Braga

60 apartamentos e dez espaços de comércio e serviços

em

Projeto do Prédio Carvalhal

A obra, de 20 milhões, já arrancou. A empresa bracarense Onires, que sucedeu à firma Rodrigues & Névoa é gerida por Manuel Rodrigues de Sá Serino e pela família, anunciou, esta segunda-feira, que vai promover um investimento estimado em 20 milhões de euros na construção do Edifício Carvalhal, composto por 60 apartamentos habitacionais e uma dezena de espaços destinado a comércio e serviços, no centro da cidade de Braga.

Em comunicado, adianta que o novo complexo será edificado em terrenos com frente, quer para a praça Conde de Agrolongo (vulgo Campo da Vinha), quer para a rua do Carvalhal, quer ainda para o caminho pedonal que liga o Campo da Vinha ao largo de São Francisco, num traçado próximo daquele que percorre o túnel que por aí passa no subsolo.

“É um projeto urbanístico cuja qualidade arquitetónica permitirá consolidar a atual malha urbana na zona do Campo da Vinha, reforçando a oferta habitacional no coração da cidade, bem como a oferta ao nível do comércio e serviços, potenciando a revitalização e o rejuvenescimento do centro histórico”, realça o grupo Onires.

Projeto do Prédio Carvalhal

E acrescenta: “Esta é, em investimento financeiro e em potencial gerador de emprego, a maior obra de sempre ao nível da reabilitação urbana da cidade”, garante, garantindo que será “um verdadeiro ícone da cidade”.

Regenera espaço público

O projeto para o Edifício Carvalhal inclui a regeneração e a requalificação do espaço público envolvente, pelo que – assinala a Onires – “constitui uma mais-valia que proporcionará a Braga, uma cidade cada vez mais cosmopolita, a fixar cidadãos locais e não locais e que está perfeitamente alinhada com o conceito de viver no centro histórico”.

O estudo arquitetónico foi realizado pelos ateliers, Carvalho Araújo e Big Arquitetura, estando as especialidades a cargo da BO Associados, “na fase de construção, criar cerca de 400 empregos diretos”, salienta o administrador Manuel Rodrigues.

Populares