Seguir o O MINHO

Braga

Em maio de 1999, Braga ficou maior: abriu o Braga Parque – foi há 20 anos

Maior centro comercial a norte do Porto foi inaugurado a 13 de maio de 1999

em

Foto: Thiago Correia / O MINHO

Ícone da cidade de Braga neste século, o Braga Parque completou, esta segunda-feira, 20 anos. Foi inaugurado a 13 de maio de 1999, brilhava na cidade, naquela altura, o Braga Shopping, na Avenida Central. É propriedade da Urbaminho, S.A, empresa participada em 70 % pela Mundicenter SGPS e 30% por empresários bracarenses, que também é promotora, desde 2005, do Campus S. João, no Porto.

Com 180 lojas, mais de 2 mil postos de trabalho, 2.500 vagas de estacionamento e cerca de 8 milhões de visitantes por ano, o centro comercial é visto como um “comprovativo” do crescimento da capital do Minho, na sequência do fortalecimento da Universidade do Minho e da chegadas de empresas fortes, como a Bosch, e outros pólos tecnológicos e culturais.

António Afonso, director-geral do Braga Parque. Foto: O MINHO

“Se lembrarmos a zona em que está o Braga Parque há 20 anos, tinha a Universidade a seguir, mas a cidade terminava aqui”, recorda a O MINHO António Afonso, director-geral daquele shopping desde o primeiro dia.

“Aquilo que sentimos é que depois da abertura, a cidade cresceu muito para este lado. E orgulha-nos muito que, não só as pessoas de Braga, mas do Minho em geral, tenham a ideia de que o Braga Parque é um centro comercial à dimensão da cidade”, afirma.

Ana Paula Pereira, gerente da unidade da loja Vista Alegre. Foto: O MINHO

“Temos muitos clientes de Viana do Castelo, de Famalicão… espanhóis. As pessoas de outras cidades encaram o Braga Parque como deles também. É um shopping do Minho”, acredita Ana Paula Pereira, gerente da unidade da loja Vista Alegre, no shopping desde a sua inauguração.

Assinado pelo arquiteto Frederico Valassina, o projeto do Braga Parque já recebeu duas grandes expansões, uma em 2007, outra em 2009, o que permitiu a chegada de novas lojas, como a Fnac. Antes, o Braga Parque era um shopping de médias dimensões, agora conta com 54 mil metros quadrados de área de construção.

Numa das expansões, por exemplo, o centro comercial acabou por agregar o então hipermercado Feira Nova, atual Pingo Doce, que ficou mais pequeno e abriu espaço para a Primark.

“O shopping há 20 anos não tinha este tamanho, nem o mesmo número de lojas, e tinha menos marcas de renome e grandes grupos”, diz Ana Paula, como é conhecida por todos no local.

“O Braga Parque conseguiu conquistar este espaço, acabou por atrair as marcas que não estavam no início e que o tornam neste momento num shopping grande, que não fica nada atrás dos que ficam em outras cidades”.

Para o director-geral, a evolução do centro comercial surgiu naturalmente.

“Evoluiu porque foi uma novidade em Braga, um centro comercial do género. Foi entrando no hábito das pessoas e foi fazendo parte da cidade. Por outro lado evoluiu porque o próprio edifício evoluiu. O Braga Parque foi muito particular porque teve várias expansões, e, como um ser vivo, tornou-se maior no que é hoje”, completa António Afonso.

Apesar de ser o maior centro comercial a norte do Porto e atrair visitantes de todo o Minho e da Galiza, o Braga Parque caracteriza-se por ser um shopping dentro da cidade, que acaba por entrar na rotina dos bracarenses.

A localização acabou por contribuir para este perfil. O Braga Parque está na maior freguesia do concelho – São Victor – e muito próximo do campus de Gualtar da Universidade do Minho, do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), de milhares de habitações e também do centro histórico.

“Somos um centro comercial muito grande, mas de cidade. O Braga Parque tem o perfil que atrai pessoas de toda a zona norte, que vêm ao fim de semana. Mas, por estar dentro da cidade, para os bracarenses está no dia-a-dia das pessoas. As pessoas vêm logo cedo para o supermercado, clínica dentária, e uma data de serviços, [pelo que] somos um centro comercial de frequência diária, um ponto de encontro para tomar um café, encontrar os amigos”, salienta o director-geral.

“O shopping está muito perto destes pólos culturais e muito importantes que fazem de Braga uma cidade importante, e ao mesmo tempo, o Braga Parque é um pólo comercial por excelência. É possível um shopping enquadrar-se na cultura e no dinamismo e no crescimento económico da cidade”, analisa Ana Paula.

O 20.º aniversário do Braga Parque está a ser celebrado pelas ruas de Braga e na região do Minho, com uma campanha de multimeios, sob o tema “Fazemos todos 20 anos”.

Na semana passada, o centro promoveu um shopping day, com iniciativas alusivas aos anos 1990, tendo recebido um concerto dos GNR no seu interior.

Até ao final do ano, o Braga Parque tem preparadas várias surpresas, que vão desde exposições a retratar a sua evolução, numa mensagem de agradecimento a todos os que fazem parte da história do centro, a ativações especiais de aniversário e passatempos.

Anúncio

Braga

Gabriela Monteiro vai a sepultar este sábado em Braga

Funeral realiza-se em Real, Braga

em

Foto: DR

Gabriela Monteiro, mulher que perdeu a vida às mãos do companheiro na passada quarta-feira, na via pública, em Braga, vai a sepultar este sábado, em Real, concelho de Braga, pelas 17:00 horas.

A quarta mulher vítima mortal de violência doméstica deixa dois filhos e uma grande onda de consternação na cidade de Braga que se alastrou um pouco por todo o país, face ao cenário de horror em que perdeu a vida.

Em nota da agência responsável pelos serviços funerários, é indicado que o corpo da falecida ficará em câmara ardente a partir das 10:00 de sábado, a Igreja Paroquial de Real, com a missa de corpo presente a realizar-se pelas 17:00.

Gabriela foi a quarta mulher a perder a vida no distrito de Braga durante o ano de 2019, e a vigésima primeira a nível nacional.

Paulo Fernandes, autor das facadas que vitimaram Gabriela, está em prisão preventiva enquanto aguarda julgamento, depois de se ter apresentado no posto da PSP de Santa Tecla poucos minutos após ter cometido o bárbaro crime.

A morte de Gabriela, de 46 anos, e funcionária no Theatro Circo, em Braga, causou uma grande onde de pesar na cidade, que lhe prestou homenagem na noite desta quinta-feira, com mais de 500 pessoas em vigília silenciosa às portas do local onde trabalhava, em pleno centro histórico da cidade.

Continuar a ler

Braga

M1lhão saiu no distrito de Braga

Jogos Santa Casa

em

Foto: DR / Arquivo

O código vencedor do concurso 038/2019 do M1lhão, sorteado hoje, é DXS 18908, informou o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O prémio, no valor de um milhão de euros, saiu a uma aposta registada no distrito de Braga.

Continuar a ler

Braga

Ministra anuncia 35 horas semanais para todo o SNS, menos no Hospital de Braga

Os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais

em

Foto: DR

A passagem do horário normal de trabalho das 40 para as 35 horas semanais para todas as classes profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi hoje concluída pelo Ministério da Saúde.

A medida deixa, no entanto, de fora os profissionais do Hospital de Braga.

Em comunicado, o Ministério da Saúde (MS) adianta que o período normal de trabalho de 35 horas semanais já tinha sido atribuído à generalidade dos profissionais, com exceção dos que ainda não dispunham de um acordo específico – técnicos superiores de saúde, informáticos, docentes, administradores hospitalares e capelães.

“Para cumprir este objetivo, foi apresentada uma proposta de acordo que foi hoje assinada por duas estruturas sindicais – Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), que abrange cerca de 2200 profissionais – mas não pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, que considerou imperativo incluir os profissionais do Hospital de Braga”.

Assim, esclarece o MS, os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais.

A gestão do Hospital de Braga transitou da esfera privada para a esfera pública em 01 de setembro.

Continuar a ler

Populares