Seguir o O MINHO

Alto Minho

De Paris ao Minho: Três amigos fizeram 1.750 quilómetros de bicicleta (e um foi multado)

Cicloturismo

em

Foto: DR

Miguel Antunes (Codeceda/Vila Verde), Nuno Soares (Ferreira/Paredes de Coura) e Dinis Amorim (Arcos de Valdevez), naturais do Minho mas a residir em França, percorreram 1.750 quilómetros ao longo dos últimos doze dias em cima de bicicletas de estrada, por “pura diversão” e para conhecer as paisagens que nem sempre se desfrutam através de outros meios de viagem.

Os aventureiros, que partiram de Paris no passado dia 01 de maio, com apoio de duas autocarvanas, chegaram esta quarta-feira ao Alto Minho, entrando por Lindoso (Ponte da Barca), e tiveram direito a uma receção formal nas câmaras de Arcos de Valdevez e de Paredes de Coura, onde irão pernoitar. Mas só amanhã chegam ao fim da viagem, pelas 18:00 horas, na freguesia de Codeceda (União de Freguesia do Vade), na zona montanhosa de Vila Verde.

Foto: DR

Foto: DR

Miguel Antunes contou a O MINHO algumas das aventuras que vivenciaram durante a viagem que, até dois dias antes do início, esteve em vias de não se concretizar, face às restrições da pandemia. No entanto, França abriu as fronteiras e os três puderam percorrer três países, e não tiveram quaisquer problemas nos postos fronteiriços.

No entanto, houve um dos elementos que foi multado pela polícia espanhola, conforme dá conta o vila-verdense: “Assim fora do vulgar só nos aconteceu uma ‘anedota’: quando um elemento do grupo resolveu filmar enquanto circulava, fomos surpreendidos pela polícia espanhola, que vinha atrás de nós, e ordenou logo a paragem”, conta.

Foto: DR

Foto: DR

Apesar da peripécia, que até foi levada em tom humorístico pelos intervenientes, a viagem decorre sem quaisquer incidentes, à exceção de um furo que ocorreu durante a viagem numa das bicicletas. De resto, “foi sempre a abrir”, brinca.

Miguel conta que, anteriormente, os três já tinham feito o mesmo percurso, mas ao volante de motas de 50cc, estilo Zundapp. Desta vez, foi possível desfrutar das paisagens de uma forma mais lenta, conforme nota o aventureiro: “Agora foi melhor para ver as paisagens, sobretudo em França, porque passámos em vilas do interior e vimos costumes que não estávamos acostumados a ver”.

O cicloturista destaca o “lado positivo” da França, com muitos animais, natureza, rios, tudo o que nunca encontraram em outras viagens feitas entre os dois países: “Sem dúvida que foi uma oportunidade única de poder ver o que nunca tinha visto”.

Chegar a Lindoso, Ponte da Barca. Foto: DR

Outra das surpresas da viagem aconteceu já em Paredes de Coura, quando três elementos da equipa profissional de ciclismo Efapel acompanharam o grupo de amigos na viagem. “Foi muito bom para nós poder estar ao lado de ciclistas profissionais”, concluiu. Para além do grupo profissional, também alguns ciclistas da União Ciclista de Ponte da Barca acompanharam o grupo amador.

Com muito cansaço e algumas mazelas físicas, a viagem termina a partir de amanhã, quando, pelas 15:00 horas, saírem de Paredes de Coura rumo a Codeceda, onde serão recebidos por amigos, junto à igreja paroquial, entre as 17:30 e as 18:00. E, após descanso, certamente estarão prontos para outra aventura, de preferência sem multas (nem furos).

Populares