Seguir o O MINHO

País

Costa quer desenvolver em Portugal uma base industrial ferroviária

Designadamente na área da manutenção e na produção de material circulante

em

Foto: Twitter / Arquivo

O primeiro-ministro considerou hoje que Portugal deve ter como projeto o desenvolvimento de uma base industrial ferroviária, designadamente na área da manutenção e na produção de material circulante, com objetivos de entrar no mercado exportador.

António Costa assumiu este desígnio económico no final da cerimónia de assinatura do contrato de serviço público entre a CP e o Estado, na Estação do Rossio, em Lisboa, no qual também estiveram presentes os ministros de Estado e das Finanças, Mário Centeno, e das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos.

“A CP pode ser um fortíssimo motor para a criação de uma nova área de competência industrial em Portugal, designadamente na área da manutenção e de novo na produção de material circulante. Esta é uma enorme oportunidade que temos. Não é garantido que a possamos alcançar, mas a vida já nos ensinou que quem não tenta não alcança”, justificou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, no plano estratégico de médio e longo prazos, Portugal “precisa de reforçar a sua base económica e elevar o seu nível de produtividade”, o que impõe que se “aumente o valor dos bens e serviços que presta”.

“Portugal não pode deixar de tentar alcançar o objetivo de criar uma base industrial na indústria ferroviária, servindo a CP, mas também com o objetivo de constituir uma nova porta de exportação para a economia portuguesa”, defendeu.

Na sua intervenção, no que respeita a desafios de curto prazo, António Costa classificou como “pesadas” as obrigações do Estado em relação à CP, dizendo que no próximo ano serão transferidos “90 milhões de euros” para que esta empresa pública possa cumprir a sua missão.

“Mas é um investimento da maior importância, porque não basta ter uma boa infraestrutura, não basta ter um material circulante e porque é fundamental ter boa qualidade de serviço. Só assim aqueles que temos de servir podem confiar na CP e podem confiar no transporte público ferroviário como uma alternativa”, sustentou o líder do executivo.

Neste contexto, o primeiro-ministro advertiu que a celebração do contrato programa é apenas uma estação de “um longo caminho ainda a percorrer” na estratégia de investimento na ferrovia, especialmente no que respeita à melhoria das infraestruturas existentes e do material circulante.

“Quando ouvimos o presidente da CP [Nuno Freitas] sinalizar que ao longo das próximas décadas vamos ter de adquirir mais de duas centenas de composições e vamos ter de continuar a investir em material circulante, não podemos então deixar de ver nessa necessidade uma enorme oportunidade para a nossa economia”, acrescentou.

Anúncio

País

‘Jackpot’ de 100 milhões do Euromilhões saiu em Portugal

Sorte grande

em

Foto: O MINHO

O primeiro prémio do concurso 005/2020 do Euromilhões, no valor de cerca de 100 milhões de euros, saiu a um apostador em Portugal, informou esta sexta-feira o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O segundo prémio, de 349.306,00 euros, contemplou quatro jogadores no estrangeiro, enquanto o terceiro prémio, no valor de 65.085,87 euros, vai ser entregue a cinco apostadores, nenhum deles em Portugal.

Já o quarto prémio, de 2.487,14 euros, contemplou 64 apostadores, sete dos quais em Portugal.

A chave vencedora do concurso 005/2020 do Euromilhões, sorteada esta sexta-feira, é composta pelos números 08 – 19 – 20 – 29 – 44 e pelas estrelas 03 e 08.

Continuar a ler

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: O MINHO

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta sexta-feira, 17 de janeiro: 8, 19, 20, 29 e 44 (números) e 3 e 8 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 100 milhões de euros.

Continuar a ler

País

Iniciativa Liberal quer reduzir IVA da alimentação infantil

Orçamento do Estado 2020

em

Foto: Facebook

A Iniciativa Liberal (IL) apresentou duas propostas para reduzir o IVA da alimentação para crianças pequenas para 6% e para eliminar a limitação etária na dedução do IRS para famílias que tenham mais do que um filho.

De acordo com um comunicado sobre as propostas apresentadas pelo partido no âmbito da apreciação na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2020, a Iniciativa Liberal propõe “reduzir o IVA da alimentação infantil”, passando a incluir estes produtos na tabela de bens e serviços essenciais e cuja taxa é de 6%.

O partido liderado por João Cotrim Figueiredo, também deputado único desta força política na Assembleia da República, defende que a proposta contribui para “uma maior inclusão de todos os produtos alimentares destinados a crianças” e também elimina a “injustiça de produtos com base em fruta e sem adições terem uma taxa mais elevada do que a própria fruta”.

A IL também pretende fazer alterações à proposta do Governo, liderado pelo socialista António Costa, de aumentar o valor das deduções no IRS a partir do segundo filho.

“O partido propõe que a dedução se aplique independentemente da idade do primeiro filho, retirando a limitação etária proposta [pelo Governo] de até três anos de idade“.

João Cotrim Figueiredo afirma que a proposta do partido “torna o incentivo efetivo” e anula a forma “artificiosa como o Governo pretende limitar o benefício” fiscal.

O executivo identificou “um problema real”, mas adotou “medidas pouco ambiciosas e pouco eficazes, aparentemente só para enganar os mais distraídos”, prosseguiu a IL.

A nota refere também que a Iniciativa Liberal vai apresentar outras propostas “com o objetivo de desagravar e simplificar outros impostos” e de resolver “problemas reais como a emigração jovem”.

Continuar a ler

Populares