Seguir o O MINHO

País

Confederação de pais pede polícia nas escolas de forma permanente

Para dissuadir violência

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério da Educação recebeu esta quarta-feira um documento da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), com a sugestão de policiamento junto ás escolas de forma permanente, para dissuadir violência, anunciou a CNIPE em comunicado.

“A CNIPE sugere ao Ministério da Educação que coloque agentes das forças de segurança pública nas escolas, de forma permanente, de modo a que possam servir como elemento dissuasor e mediador de qualquer tipo de conflito físico, garantindo a segurança de toda a comunidade escolar”, diz a entidade.

Esta posição surge na sequência de “nas duas últimas semanas, e de forma quase diária “existirem atos violentos nas escolas portuguesas, como foi o caso de Valença.

No entanto, o número de ocorrências registadas pelos diretores das escolas desceu de 1.321 no ano letivo de 2013/2014 para 422 no ano letivo de 2016/2017.

“Estes dados reportados pelos diretores contradizem, de alguma forma, as últimas notícias. No entanto, foi disponibilizada, este ano letivo, uma plataforma online para que os diretores das escolas possam denunciar, de uma forma mais célere, os atos de bullying nas escolas”, acrescenta.

A CNIPE “lamenta profundamente todos estes atos, entendendo que tudo deverá ser feito para minimizar ou, idealmente, acabar, com este tipo de comportamentos e atitudes”.

“Não basta os diretores escreveram na plataforma. Os casos devem ser, desde logo, mediados e tratados através de procedimentos disciplinares e com recurso às forças de segurança pública”, sublinha a confederação.

Populares