CIM do Ave lança concurso para serviço público de autocarros

Comunidade Intermunicipal do Ave lançou hoje o concurso para a concessão do Serviço Público de Transporte Rodoviário de Passageiros, no valor de 1,84 milhões de euros, que vigorará por cinco anos, de acordo com o Diário da República.

“Aquilo que se pretende com esta concessão é garantir o transporte público para toda a população”, disse hoje à Lusa a secretária intermunicipal, Marta Coutada.

Aquela responsável assinalou ter sido a primeira vez que as comunidades intermunicipais, que se constituíram como autoridades de transportes, foram chamadas a promover este tipo de concursos, o que obrigou, no caso do Ave, a “um trabalho muito complexo e moroso” para definir as várias peças concursais, iniciado em 2018.

Anotou, também, o desafio que representou a preparação desta concessão num território formado por concelhos com diferentes características, desde os urbanos, como Guimarães, Famalicão e Vizela, aos de baixa densidade, como Mondim de Basto e Cabeceiras de Basto.

Segundo Marta Couta, a CIM do Ave pretende, em termos gerais, que o operador que venha a ganhar o concurso público garanta mais linhas, novos horários, maior qualidade nas frotas e um sistema de bilheteira articulado com as linhas inter-regionais.

Para os territórios da baixa densidade, onde não se justificam linhas regulares, está prevista a existência do denominado transporte a pedido, ou transporte flexível, para satisfazer as necessidades das populações, anotou.

Os transportes escolares, que são garantidos pelos municípios, não estão incluídos neste concurso, indicou.

A CIM do Ave compreende os municípios de Guimarães, Famalicão, Vizela, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto, correspondendo a cerca de 425 mil habitantes.

De acordo com o anúncio publicado hoje em Diário da República, os interessados têm agora 70 dias para apresentar as suas propostas.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Autoridade Marítima garantiu segurança às aeronaves do incêndio em Ponte de Lima

Próximo Artigo

Classificação de 44 “Lojas Memória” de Viana do Castelo em discussão pública

Artigos Relacionados
x