Seguir o O MINHO

Guimarães

“Casa torcida” em Guimarães é finalista em prémio mundial de arquitetura

Combinação de madeira e betão

em

Foto: Ivo Tavares

A Casa A, do atelier de arquitetura REM’A, com sede em Guimarães, está nomeada para a categoria de “Melhor Produto Aplicado” nos prémios “Building Of The Year 2020”, organizado pelo prestigiado portal de arquitetura ArchDaily.

O projeto, também conhecido como “casa torcida”, foi desenvolvido pelos arquitetos Romeu Ribeiro e José Pedro Marques, do atelier REM’A, e localiza-se num loteamento dentro da cidade de Guimarães (que não iremos revelar por questões de privacidade).

“O betão e a madeira fundem-se numa escala de cinzas, numa constante mutação cromática”, escreveu, a propósito da obra, o Diário Imobiliário.

Casa A em Guimarães do atelier de arquitetura REM’A. Foto: Ivo Tavares Studio

A engenharia ficou a cargo da Fortunato & Paulo e a construção é obra das Construções Bairro do Sol, ambas de Fafe. A obra foi concluída em 2019 ocupando uma área total de 450 metros quadrados.

A Casa A foi escolhida entre mais de quatro mil projetos a concurso, integrando os cinco finalistas da categoria de produto aplicado.

Casa A em Guimarães do atelier de arquitetura REM’A. Foto: Ivo Tavares Studio

Casa A em Guimarães do atelier de arquitetura REM’A. Foto: Ivo Tavares Studio

Casa A em Guimarães do atelier de arquitetura REM’A. Foto: Ivo Tavares Studio

Está a ser levada a cabo uma votação no site da ArchDaily que termina a 17 de fevereiro.

Para além da obra vimaranense, existem outros três trabalhos portugueses por entre os nomeados.

O Centro de Interpretação do Românico, do atelier Spaceworkers, concorre na categoria “Arquitetura Cultural”. Já o atelier Aires Mateus tem dois projetos finalistas, a Casa Monsaraz na categoria “Casas” e o projeto Atelier Cecílio de Sousa, na categoria “Arquitetura de Interiores”.

Anúncio

Guimarães

Jovem em estado grave após queda de quatro metros em Guimarães

Em Prazins

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem de 28 anos sofreu ferimentos graves na sequência de uma queda, na manhã deste sábado, em Corvite, concelho de Guimarães.

A vítima terá caído de uma altura de quatro metros, numa habitação, estando ainda as causas da queda por apurar. Alegadamente, terá caído do telhado, mas essa informação não foi confirmada oficialmente.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários das Taipas e a VMER de Guimarães.

No resultado do impacto, terá fraturado a coluna em vários sítios, disse a O MINHO Rafael Silva, comandante dos Bombeiros das Taipas.

“Foi transportado para o Hospital de Braga com ferimentos graves”, acrescentou.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 15h34)

Continuar a ler

Guimarães

Detido por agredir homem de 80 anos em Guimarães

Moreira de Cónegos

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, com cerca de 40 anos, foi detido, esta sexta-feira, no seguimento de uma alegada agressão a um homem de 80, em Moreira de Cónegos, apurou O MINHO.

Tudo aconteceu num terreno adjacente à Rua da Doca, a poucos metros do rio Vizela, que divide os distritos de Braga e do Porto.

Ao que apuramos, os dois homens estiveram envolvidos numa situação de agressão resultando no transporte do octogenário para o Hospital de Guimarães e na detenção do alegado agressor.

A circunstancias em que ocorreu a agressão estão ainda por apurar.

Fonte dos Bombeiros de Vizela, que deu primeira assistência à vítima e procedeu ao transporte hospitalar, disse a O MINHO que os ferimentos da vítima foram considerados “ligeiros”. O alerta foi dado cerca das 15:00 horas.

Militares do posto da GNR em Lordelo deslocaram-se ao local, após contacto telefónico, e deteve o alegado responsável pela agressão.

O MINHO sabe que o agressor terá de se apresentar ao Tribunal de Guimarães, na próxima segunda-feira.

Continuar a ler

Guimarães

Cutelaria de Guimarães abre nova loja na baixa de Lisboa

Cutipol

em

Foto: DR / Arquivo

A empresa Cutipol, com sede em Caldas das Taipas, concelho de Guimarães, abriu na passada quarta-feira uma loja na baixa de Lisboa, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a cutelaria fundada por José Ribeiro, em abril de 1963, dá conta do novo espaço, localizado no prédio 105 da Rua do Alecrim, ao lado de outra loja que a marca já possuía desde 1998.

O espaço, com uma área de exposição de 140 metros quadrados, está localizado num edifício original datado do século XVIII que alberga o recém inaugurado Bairro Alto Hotel, projeto do arquiteto Eduardo Souto de Moura.

“O expositor propositadamente desenhado, revela-se nas suas linhas dinâmicas e imprevisíveis pondo à disposição do olhar a beleza e singularidade dos modelos da marca, formando um cânone no espaço”, explica a Cutipol.

“Destaca-se ainda a especial seleção de artigos de casa com um essencial foco na qualidade, trabalho manual e design. São peças com variadas origens, algumas de renome outras ainda não tão conhecidas que a Cutipol tem vindo a introduzir no mercado”, destaca.

Para além da nova loja, foi ainda lançado um novo site da marca na Internet, “para corresponder às atuais necessidades do seu público com o propósito de oferecer a melhor experiência de navegação possível, dando ênfase à otimização para dispositivos móveis, objetos que fazem cada vez mais parte do quotidiano das pessoas”.

Continuar a ler

Populares