Seguir o O MINHO

Braga

‘Bus Rapid Transit’ é a prioridade do recandidato Ricardo Rio para Braga

Eleições autárquicas

em

Foto: DR / Arquivo

O candidato da coligação PSD/CDS-PP/PPM/Aliança à Câmara de Braga, Ricardo Rio, atual pesidente, diz que uma prioridade num próximo mandato será a mobilidade, destacando o projeto do Bus Rapid Transit (BRT), uma “revolução” no sistema de transportes públicos.

Em declarações à Lusa, o social-democrata destaca ainda os projetos para a criação de um “grande pulmão verde” da cidade e a candidatura à Capital Europeia da Cultura em 2027, se for reeleito presidente da autarquia nas eleições deste ano.

Ricardo Rio é presidente da Câmara de Braga desde 2013, estando atualmente a cumprir o segundo mandato, tendo sempre sido eleito pela coligação PSD/CDS-PP/PPM.

Este ano, a coligação vai ser alargada também ao partido Aliança. Houve ainda negociações com a Iniciativa Liberal, mas não chegaram a bom porto.

Em relação ao BRT, Rio enfatiza ser “um projeto essencial, um instrumento chave para a mobilidade urbana sustentável no concelho de Braga e para toda a região”.

Segundo o autarca, já há a garantia do Governo de que o projeto “está sinalizado como prioritário” no próximo quadro de financiamento comunitário Portugal 2030.

Também conhecido por metrobus, o BRT tem um custo estimado de 150 milhões de euros. Um dos objetivos será, desde logo, estabelecer uma ligação mais rápida e eficiente entre a estação de caminhos de ferro e a Universidade do Minho.

“É um projeto que elevará a cidade de Braga para um patamar superior de sustentabilidade e qualidade de vida”, destacou.

Ainda no campo da mobilidade, o candidato apontou o nó de Infias e a Variante do Cávado como projetos de grande importância.

Já o “grande pulmão verde” que está desenhado para a cidade +e constituído pelos parques da Ponte, das Camélias e do Picoto.

A candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027 foi já apresentada no ano passado. Na altura, Ricardo Rio sublinhou que o concelho tem já uma estratégia cultural definida até 2030, o que poderá ser um “trunfo” na corrida para obter a distinção. A assumida missão é mudar numa década a face cultural do concelho.

“Braga ainda não é Capital Europeia da Cultura, mas é seguramente uma capital de cultura e de esperança”, referiu.

Com 48 anos e economista de formação, Rio diz que a sua principal referência política “foi sempre” Aníbal Cavaco Silva, ex-primeiro ministro e ex-Presidente da República.

Atualmente, o autarca é presidente da associação transfronteiriça de municípios “Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular” e do Conselho Executivo da Comunidade Intermunicipal do Cávado.

É membro do Comité Executivo do Global Parliament of Mayors, membro do Comité das Regiões da rede EUROCITIES e membro da direção da Associação de Turismo do Porto.

Antes de ganhar a Câmara de Braga, foi duas vezes derrotado, tendo sempre assumido, desde 2005, o mandato de vereador da oposição.

Em 2013, e depois de um ‘reinado’ de 37 anos do socialista Mesquita Machado, a candidatura de Rio elegeu seis elementos para a Câmara, cifra que subiu para sete nas autárquicas de 2017.

Atualmente, a Câmara de Braga conta ainda com três eleitos do PS e um da CDU.

As eleições autárquicas ainda não têm data anunciada pelo Governo, mas por lei terão de se realizar entre 22 de setembro e 14 de outubro.

Populares